5 mitos sobre o seguro automóvel

A procura de um seguro automóvel pode ser uma tarefa árdua. Para lhe facilitar um pouco a vida, ajudamos a desmistificar algumas ideias existentes sobre o seguro auto.

5 mitos sobre o seguro automóvel
Distinga os mitos da realidade

Efetuar um seguro automóvel origina, frequentemente, uma série de dúvidas nos consumidores. Se juntarmos à inevitável procura do melhor preço, a variabilidade de ofertas, as diversas coberturas e os vários tipos de seguros existentes é natural que este se torne um processo, muitas vezes, complexo. 
São, talvez, estes alguns dos motivos para que os seguros automóveis estejam, habitualmente, associados a uma série de mitos.
Conheça os 5 maiores mitos sobre o seguro automóvel.

1. A cor do carro influencia o prémio do seguro automóvel.

É vulgar acreditar-se que os carros vermelhos, provavelmente dada a sua associação a veículos de alta cilindrada, têm um prémio de seguro mais elevado, mas na realidade a cor não influencia nem tem qualquer interferência para a determinação do valor do prémio. As seguradoras estão mais interessadas na marca, modelo, ano, e motor do automóvel ou na zona geográfica dos condutores.

2. Os seguros automóveis cobrem bens pessoais presentes no interior do veículo.

Não há cobertura de seguro para bens pessoais, como portáteis, telemóveis, GPS, etc., que estejam dentro do carro. O item da cobertura anti-roubo refere-se, exclusivamente, ao próprio veículo.

3. Não existe cobertura para catástrofes naturais.

Existem seguros com cobertura completa que também incluem catástrofes naturais. Basta que, para isso, solicite essa especificidade no seu seguro.

4. Multas de excesso de velocidade ou estacionamento influenciam o preço do seguro automóvel.

Embora esta seja uma opinião muitas vezes escutada, na realidade este tipo de multas, isoladamente, não têm influência no preço do seguro automóvel. No caso das multas de estacionamento, estas nem sequer contam para o cadastro do cliente a que as companhias de seguro têm acesso, já as multas por excesso de velocidade, podem até levar as seguradoras a considerarem a sua condução mais arriscada, no entanto, este facto, por si só, não faz com que o prémio do seguro automóvel aumente.

5. Ao emprestar o meu carro a um amigo ele passa a ser o responsável caso haja um acidente.

Esta é outra das crenças mais comuns, no entanto, os seguros automóveis cobrem o carro, não o condutor. Assim, você será sempre o responsável por um acidente e quaisquer danos que daí advenham. 

Veja também:

Continuar a Ler