5 Regras de ouro das finanças pessoais

Existem algumas regras de ouro que não devem ser esquecidas se o seu objetivo é viver com algum desafogo financeiro. As suas finanças pessoais agradecem

5 Regras de ouro das finanças pessoais
Regras básicas que o podem ajudar a poupar!

Gerir o orçamento familiar é uma tarefa que envolve algum stress e que costuma gerar alguma ansiedade, especialmente quando somos confrontados com despesas que não param de aparecer e com o rendimento que tende a cair. Para o ajudar na gestão das suas finanças pessoais, apresentamos-lhe algumas regras de ouro que poderão marcar a diferença:


1. Cartão de crédito só para emergências:

A utilização do cartão de crédito deve ser moderada. Devemos evitar a sua utilização frequente para não criarmos hábitos que se tornem difíceis de contrariar. De notar que os promotores do cartão de crédito se esforçam por aumentar o valor percebido da utilização do cartão para criar habituação, sabendo que mais cedo ou mais tarde virão os juros e uma pressão forte no seu orçamento familiar.


2. Consulte o seu extrato com regularidade:

Devemos consultar com regularidade o extrato bancário de modo a conhecermos com detalhe os movimentos da nossa conta. Não falamos apenas da necessidade de controlar movimentos suspeitos mas, também, ganhar sensibilidade aos nossos hábitos de consumo.


3. Mantenha uma postura de corte de custos:

Apesar de poder ter algum desafogo financeiro, deverá manter uma postura de corte de custos, especialmente em coisas supérfluas. Naturalmente que poderemos ter alguns luxos e pequenos prazeres. No entanto, mais uma vez, é fundamental considerar que sendo "animais" de hábitos, é muito difícil cortar com alguns pequenos prazeres que prejudicam as nossas finanças pessoais.


4. Procure poupar:

Sendo cada vez mais um desafio, o apelo à poupança deverá ser seguido sempre que possível. Se tiver um controlo regular da sua conta e se mantiver uma postura de corte de custos, será mais fácil acumular algum património numa conta bancária segregada. Antes de dizer ser impossível poupar, analise os seus hábitos e custos e veja se é possível. Irá ver que com algumas alterações de hábitos conseguirá juntar algum dinheiro.


5. Fale sobre dinheiro:

Uma última ideia de grande relevo. Devemos perder o medo ou a vergonha de falar sobre dinheiro. Uma conversa sobre dinheiro pode evitar muitos problemas ou resolver algum mal-entendido. Defendemos que fale sobre dinheiro em casa, seja com o seu marido/mulher seja com os seus filhos.

Apenas algumas ideias que poderão ajudar na gestão das suas finanças pessoais.


Leia também: