A despedida do Brasil

Esta é a nossa última semana, tanto no Brasil como juntos. Ao olhar para trás parece que passou rápido, mas quando pensamos no que vivemos sentimos que foi bem mais que dois meses. 

A despedida do Brasil
A crónica de viagem de Diogo Campos

Dizemos adeus ao Brasil. Desde a chegada ao Rio de Janeiro, que já foi há tanto tempo, ficam as recordações das risadas, da feijoada na despedida e, claro, da beleza de toda a cidade e sua envolvência.


O inesquecível Brasil

As três semanas em Florianópolis, onde percorremos imensas trilhas até às praias e a subida do morro todas as noites que era algo surreal.

O fim de semana em São Paulo, além da curta visita à cidade, ficam os momentos partilhados por quem nos recebeu. Tal como em Holambra onde fomos tratados como príncipes pela fantástica família que nos acolheu durante dez dias.

1
A escola onde ficámos a dormir em Paraty, na qual ao início acordávamos com o som das crianças a chegarem pela manhã e que agora está vazia só para nós. A casa de Ubatuba enfiada no meio da Mata Atlântica, com as aranhas peludas na casa de banho, que me deixavam a pensar que era melhor deixar o banho para outro dia e as conversas ao pôr do sol, naquele pequeno paraíso.

A curta viagem a Ilhabela. E claro, a vila de Trindade com as suas praias e rochas onde eu e a Susana, contemplando as montanhas verdes e as águas cristalinas, refletimos sobre o ano que passou e como foi possível passar do sonho à realidade de termos realizado esta viagem.

2
Falámos dos sonhos para o futuro e o que desejávamos para o ano de 2017. Alguns dias depois percorremos a famosa trilha para a praia do sono. Foi altura de nos despedirmos de Paraty. O local no Brasil que mais gostámos pela sua arquitetura colonial e, claro, pela natureza. 

Seguimos para perto de São Paulo, numa viagem que durou quase dez horas de autocarro. Iríamos passar o fim de ano com quem nos recebeu em Holambra.

3
Logo no dia 1 de Janeiro a Susana seguiu para Portugal e eu vou seguir à boleia, com uma tenda e um mini fogareiro improvisado de uma lata de refrigerante pela América do Sul. O objetivo é ficar cerca de um mês em cada país, mas sem um plano muito rigoroso. Se tudo correr bem, o próximo país é o Uruguai. 

4
Por ironia do destino, um casal amigo de quem nos acolheu em Holambra ia para o sul no dia 2 de Janeiro e acabei por ganhar uma boleia de 400km e a dormida de uma noite em Curitiba.

O fim de ano foi passado em Bragança Paulista, uma cidade rural, mas com fogos de artifício que iniciaram ao final da tarde e se prolongaram noite dentro, sendo que à meia noite foi tão forte que até parecia a explosão de algum edifício. 

5
E assim terminou a primeira parte da viagem, com o momento da nossa despedida. Na primeira noite que dormi sozinho, sonhei bastante e acordei sem saber onde me encontrava. Era o momento de iniciar a segunda etapa da viagem, que seria muito diferente da primeira. Acompanhe-nnos em Puririy no Facebook.

Veja também:

Diogo Campos Diogo Campos

Diogo Campos é um sonhador de natureza. Tirou um Mestrado em Engenharia do Ambiente, já teve um negócio de sumos naturais e por vezes dedica-se à agricultura biológica. No ano de 2016 decidiu deixar tudo para trás e ir viajar apenas com bilhete de ida para a América do Sul, mas mais do que isso decidiu ir praticamente sem dinheiro. Neste momento está apenas dedicado à escrita e a viajar.