Como acabar com as dívidas

Saiba como acabar com as dívidas. Sete conselhos para acabar com as suas dívidas já.

Como acabar com as dívidas
7 dicas para eliminar as suas dívidas

Viva o seu fim do mês mais desafogado: Junte todos os seus Créditos num só >>Ainda que seja uma inevitabilidade para a maioria dos portugueses, particularmente por via do crédito à habitação, viver com dívidas pode ser extremamente stressante. A obrigação de cumprir com as suas prestações todos os meses, mesmo que em simultâneo com situações imponderáveis, isso origina. Assim, não é de estranhar que seja um desejo transversal acabar com as dívidas. Ainda que não seja tarefa fácil, é possível. Muitas vezes é apenas necessária alguma disciplina financeira. Conheça sete concelhos para acabar com as dívidas.
 

Acabar com as dívidas em 7 passos

1. O primeiro passo é fazer um diagnóstico à sua situação financeira. Faça um relatório completo do seu saldo em dívida, juros incluído. A realização deste “mapa” é fulcral para perceber a dimensão do seu endividamento, comparado com os seus rendimentos, e depois encontrar soluções;

2. Calcule a sua taxa de esforço. Normalmente uma taxa de esforço considerada aceitável ronda os 30%, ou seja, essa será a sua capacidade para suportar créditos;

3. Procure aferir junto das instituições de crédito da possibilidade da consolidação de créditos ou da renegociação de créditos. Estes são dois dos principais meios para acabar com as dívidas;

4. Garanta o envolvimento de todo o agregado familiar. Acabar com uma dívida, especialmente de grande dimensão, pressupõe sacríficos só possíveis de suportar se todo o agregado estiver “alinhado” no mesmo objetivo;

5. Evite as compras supérfluas e as compras por impulso. Na realidade, uns dos maiores inimigos da sua saúde financeira são este tipo de compras que, invariavelmente, acabam por se revelar inúteis e provocar frustração. Evitá-las é um grande passo para o ajudar a acabar com as dívidas;

6. Inicie e “alimente” constantemente uma poupança e/ou fundo de emergência. Estabeleça (com base nos seus rendimentos e no que inevitavelmente terá de gastar) uma quantidade de dinheiro mensal que deverá depositar na sua poupança e seja disciplinado e rigoroso no seu cumprimento;

7. Se tiver o seu orçamento familiar equilibrado, procure, se possível, efetuar amortizações às suas dívidas. Assim, conseguirá diminuir a dívida, a despesa total da mesma (contabilizando também os juros) e as prestações seguintes. No entanto, verifique se é vantajoso fazê-lo pois alguns bancos cobram comissões e outras penalizações nas amortizações de créditos.

Leia também: