Álcool na gravidez: sim ou não?

Esta é uma dúvida frequente entre as pré-mamãs. Conheça as complicações associadas à ingestão de álcool na gravidez.

Álcool na gravidez: sim ou não?
As opiniões divergem

Sabia que o álcool passa livremente pela placenta? Significa isto que a passagem deste elemento para o feto se faz livremente. A acrescer a este facto, aponta-se a questão do fígado do bebé, ainda em formação e desenvolvimento, metabolizar duas vezes mais lentamente do que um fígado adulto. Posto isto, será que beber álcool na gravidez é prejudicial?

De facto, podemos afirmar que não se deve ingerir álcool na gravidez dadas as graves complicações que daí podem advir. Este cuidado deve ser redobrado no primeiro trimestre, altura em que a formação do feto está a iniciar-se e onde se desenvolve o sistema nervoso central e principais funções.

No entanto, existem alguns especialistas que defendem que um copo de vinho uma vez por semana não é assim tão prejudicial que cause danos no desenvolvimento do bebé. Não é que estes defendam o consumo exacerbado de álcool na gravidez, apenas referem que o consumo muito esporádico não trará consequências. No entanto, trata-se de uma faixa reduzida de especialistas.

Álcool na gravidez: tudo o que precisa de saber

Síndrome do Álcool (SAF)

A Organização Mundial da Saúde estima que 2 em cada 12 mil bebés nascem com este síndrome, que é consequência do consumo de álcool na gravidez e que é irreversível.

Dependendo do grau de consumo de álcool na gravidez, as consequências para o bebé podem surgir na forma de problemas de comportamento, falta de crescimento, rosto desfigurado, atrasos mentais, entre outros.

Malefícios do consumo de álcool na gravidez

Estão comprovados variados malefícios associados a um consumo regular de álcool durante o tempo de gravidez:

  • Aborto espontâneo;
  • Trabalho de parto prematuro;
  • Alterações no peso (nascem mais pequenos);
  • Dificuldades de raciocínio e na memória;
  • Defeitos no coração;
  • Problemas de aprendizagem e de comportamento;
  • Face deformada;
  • Problemas no desenvolvimento físico e emocional.

Todos estes riscos ficam mais acentuados durante o primeiro trimestre de gravidez. Isto não significa que todas as mães que tenham bebido álcool na gravidez tenham filhos com problemas e deficiências, mas que existem riscos.

Álcool para aumentar a produção do leite?

“Eu só tomo uma cervejinha de vez em quando para ir preparando a quantidade de leite para o meu bebé”. É mito. Não existem quaisquer evidências que demonstrem que o consumo de cerveja aumente a quantidade de leite disponível.

Além disso, durante a gravidez o que é produzido é o colostro, uma espécie de soro de leite muito importante para os primeiros dias do bebé.

Quer aumentar a produção de leite? Beba muita água e tisanas e, mais importante que tudo, coloque o bebé a mamar. Quanto mais o bebé mamar, mais estimula o peito a produzir.

Veja também: