Aldeias do Xisto: território único em Portugal e no mundo

As Aldeias do Xisto são uma expressão de nós mesmos – uma celebração lusitana. São 27 destinos com alma e, mais do que de xisto, feitos de afecto.

Aldeias do Xisto: território único em Portugal e no mundo
Território único e feito de afectos

a•fec•to |ét|
substantivo masculino
1. Impulso do ânimo; sua manifestação.
2. Sentimento, paixão.
3. Amizade, amor, simpatia.

É esta a definição de afecto no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Uma palavra que, ainda que insuficiente para descrever o âmago das Aldeias do Xisto, é, talvez, a que mais se aproxima. Mais do que um projecto de desenvolvimento sustentável desenhado de forma dar a conhecer a região e os seus costumes únicos, a Rede das Aldeias do Xisto é um território onde os arquitectos – Portugueses de mãos calejadas e rostos suados –, sem planos de grandeza, souberam erguer as suas obras em sintonia com a Natureza.

Um projecto que une 27 lugares de uma singularidade singela e, ainda assim, tão expressiva, onde a memória colectiva é celebrada e não colocada em prateleiras deixadas ao sabor do tempo. Onde quem as visita se pode perder em ruelas e quelhas, peças de arte expostas ao sol, caminhos centenários de vegetação frondosa e sabores sem igual.

Xisto: um território único onde se eternizam tradições

Aldeias do XistoFonte: ADXTUR-Foge Comigo

Espalhadas por quatro diferentes grupos – Serra da Lousã, Serra do Açor, Zêzere e Tejo-Ocreza –, estas aldeias com História e saber retratam o que de melhor há em Portugal – este país ainda tão nosso, cúmplice das suas tradições e de olhos postos no futuro.

As Aldeias do Xisto são sítios onde se desvendam segredos de uma beleza indescritível e onde o visitante, acolhido de braços abertos pelo Homem e pela Natureza, não tem como não se sentir próximo das raízes. Seja ao espreitar o açude da Aldeia da Barroca, ao provar a ginga e até a pica de chouriço em Sobral de São Miguel, ao trincar uma das famosas cavacas da Aldeia das Dez ou ao percorrer um dos muitos Caminhos do Xisto, é certo que, neste território do Centro de Portugal, será presenteado com autenticidade e um reavivar feliz da memória.

As gentes da terra

Aldeias do XistoFonte: ADXTUR-Danilo Pavone

Aqui, irá escutar e testemunhar histórias poéticas e de humildade, de gente com alma e coração postos na terra. Como a de André Claro, pastor, apicultor, pedreiro, sapador florestal “e muito mais”, que fez crescer, para lá da linha do horizonte, com determinação e afecto, a sua Aldeia de Aigra Velha. Ou como a de Ti Lena e Ti Manel, os últimos habitantes a partirem da Aldeia do Talasnal, agora eternizados no restaurante com o seu nome e nas imagens que adornam as paredes de xisto.

Os sabores que nos fazem recuar no tempo

Aldeias do Xisto

E, depois, há, claro, a gastronomia. Entrar na cozinha da região é abraçar os saberes e sabores que moldaram gerações. É mergulhar nos aromas tradicionais e oferecer ao palato uma viagem no tempo. Nas Aldeias do Xisto, as receitas celebram, nas palavras do Chef Hélio Loureiro, “a capacidade do Homem em superar as adversidades da Natureza”. E fazem-no de forma sublime.

O cabrito estonado, o maranho, a chanfana, o plangaio, a tigelada, são alguns dos pratos com os quais se vai querer sentar à mesa – bucólica, feliz. Aqui, poderá também colocar as mãos na massa – literalmente – e cozer, na Aldeia de Casal de São Simão, o seu próprio pão num forno a lenha. Poderá ainda deliciar-se num Manjar da Aldeia em Aigra Nova, uma refeição temática do Ecomuseu das Tradições do Xisto, ou visitar um dos muitos restaurantes que reflectem a tradição, história e cultura da região.

O artesanato – reinventado e comemorado

Aldeias do Xisto

Também a arte é, aqui, palpável. As Aldeias do Xisto são pequenas galerias. Desde as figuras esculpidas em pedra pelos artesãos de Gondramaz, às peças de linho da Casa das Tecedeiras em Janeiro de Cima e às obras criativas espalhadas pelos mais variados recantos da Aldeia da Cerdeira, são inúmeras as homenagens à tradição manual que fazem perdurar a identidade e singularidade da região.

A Natureza, majestosa no seu silêncio

Aldeias do Xisto

Aqui, no Xisto, são muitos os recantos onde não conseguirá não parar para, simplesmente, absorver o silêncio e a beleza ímpar da Natureza ao seu redor. Serras que parecem não ter fim, cabras e ovelhas que percorrem vales e montes, fragas, rios e ribeiras de águas límpidas, aves de rapina que sobrevoam a vegetação.

Paisagens deslumbrantes que o deixarão sem palavras. São muitos os cenários e os pequenos pormenores que os tornam únicos que o farão esquecer-se do cinzento da cidade e entregar-se à tranquilidade do campo.

Xisto: um território sustentável

Aldeias do Xisto

Voltamos ao afecto. As Aldeias do Xisto são um projecto de afectos com as pessoas no seu âmago. Um território aninhado em belíssimas paisagens naturais que o farão querer voltar. Faça parte desse afecto e rume ao Centro de Portugal para uma experiência genuína e feliz. Faça-o ao abraçar o comércio justo através da Book in Xisto, uma plataforma sem intermediários em que poderá encontrar (e reservar) alojamento, experiências e restaurantes nestas aldeias singulares.

Veja também:

 

Isadora Freitas Isadora Freitas

Isadora Freitas é licenciada em Jornalismo e tirou o Mestrado Europeu em Direitos Humanos. Encontra-se atualmente no Camboja, onde ensina Português a guias turísticos e procura explorar esse canto do Mundo. Gosta de ler, escrever, fazer teatro e é apaixonada por rádio e fotografia. É apreciadora de pequenas coisas e gosta de contribuir para as grandes