Publicidade:

8 alergias raras que o vão surpreender

Ter uma reação alérgica é sempre incómodo, seja ao que for. Ácaros, pólen, frutos secos são alergias comuns. Mas conhece estas alergias raras?

8 alergias raras que o vão surpreender
Alergias fora do comum

As alergias são um problema de saúde pública que afetam, de forma crónica, um terço da população. Provavelmente, está familiarizado com as mais comuns: ácaros, pólen, alimentos… Mas conhece algumas alergias raras, ou conhece quem delas sofre?

Alergias são respostas exageradas do corpo humano, após o contacto com determinados elementos do ambiente que nos rodeia. O sistema imunitário do corpo encara essa substância como perigosa e produz uma resposta. As causas para as alergias são várias: genética, mutações, uso excessivo de antibióticos, ambientais, obesidade… O corpo perde a capacidade de tolerar algumas substâncias e o sistema imunitário tem que se defender de forma excessiva para combatê-las.

Existem diversos tipos de alergias, e cada uma delas tem um tipo de resposta: urticária, espirros, tosse, diarreia etc. Fique a conhecer tipos de alergias raras, e possíveis reações.

Alergias raras: 8 exemplos


1. Carne

É possível ser alérgico a carne, sobretudo a carnes vermelhas. Não é uma intolerância alimentar tão comum como intolerância à lactose ou alergia à proteína do ovo, mas é possível. Tal como as mais comuns, reflete-se numa resposta imunitária ao alimento indesejado pelo corpo. Provavelmente, quem sofre deste tipo de alergia, também pode ter reações contraditórias a laticínios e derivados.

2. Exercício físico

exercicio

Não use este tipo de alergia como desculpa para não ir ao ginásio. Pode ser uma das alergias raras, mas é possível que o esforço físico que leve à transpiração cause reações alérgicas, desde vómitos a urticárias. Há pessoas a quem basta um ligeiro esforço como uma pequena caminhada para reagirem mal ao suor ou ao aumento do ritmo cardíaco.

3. Beijos

O problema não é o beijo em si, não tem de se preocupar. O problema é quando estamos perante uma pessoa especialmente sensível e com alergias variadas. O mais leve contacto com os fluidos corporais de outro humano que possa transportar esses elementos, com a saliva neste caso, pode despoletar uma reação alérgica grave.

4. Luz solar

Uma das alergias raras de que se ouve mais falar é, normalmente, uma condição que não é grave, mas é extremamente desconfortável. Podemos apelidá-la de fotossensibilidade, sendo que é normalmente causada pelo uso de certos medicamentos. Um período de exposição curto à luz do sol pode despoletar urticária e comichão incessante. É mais comum em mulheres entre os 15 e os 35 anos, de pele mais clara.

5. Moedas

Neste caso estamos perante uma reação alérgica ao níquel, um metal que está nas moedas, chaves, algumas jóias e piercings. A reação é sobretudo cutânea e pode ser tratara com cremes à base de corticóides. Pode ser desenvolvida por pessoas que trabalham em comércio durante muitos anos, por passarem o dia a tocar em dinheiro.

6. Dermatografismo

urticaria

Este tipo de reação deixa o doente com marcas na pele imediatamente a seguir a exercer nela algum tipo de pressão. As roupas, lençóis ou toalhas de banho podem causar este tipo de urticária. Atos tão simples como sentar-se ou enconstar-se a algum objeto sem roupa deixa a pessoa imediatamente marcada. Pode “escrever” na pele, e as marcas vão ficar, tal como as fez. É uma alergia tratada com anti-histamínicos.

7. Atividades sexuais

Não é possível ser alérgico ao ato sexual, mas é possível sê-lo a alguns componentes. Há quem seja alérgico ao latéx e, por isso, o uso de preservativos é um problema. Outra das alergias raras que podem surgir é ao sémen: além de inflamações cutâneas, o doente pode mesmo entrar em choque anafilático. Casos leves deste tipo de alergia podem explicar casos de infertilidade.

8. Menstruação

Um caso muito raro, mas que existe. Há mulheres alérgicas à progesterona, hormona feminina. Quando o ciclo menstrual se cumpre e a progesterona está nos níveis mais elevados, podem ocorrer urticárias ou aftas. Normalmente, este tipo de de alergia pode ser tratado com anti-histamínicos, mas em casos mais graves, pode ser necessário tratamento hormonal.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.