4 boas alternativas ao YouTube

Conheça a nossa lista de alternativas ao YouTube! Algumas até oferecem mais vantagens que este “gigante” da internet.

4 boas alternativas ao YouTube
O YouTube não é a única plataforma de vídeos da internet

Estar presente em várias plataformas é uma das mais básicas estratégias de marketing atuais… E isso pode implicar ter conteúdos em diversos sites diferentes. Existem alternativas ao YouTube igualmente capazes e que oferecem outras vantagens que pode aproveitar.


Há vida além do YouTube: 4 alternativas


Dailymotion

Lançado em 2005 – apenas um mês depois do lançamento do YouTube –, o Dailymotion é um dos 200 sites mais acedidos em todo o mundo. Esta é, por si só, uma boa indicação sobre a empresa do grupo Vivendi. Diariamente recebe cerca de 28 milhões de pageviews.

Pode ser paga via PayPal, tem um índice de CPM (alcança mais pessoas por cada investimento feito) maior do que o Youtube, tem regras menos restritivas no que diz respeito aos conteúdos publicados, o player é personalizável, os vídeos de canais inscritos têm muito destaque na home e ainda permite fazer uma preview do vídeo através de uma thumbnail animada.

Por outro lado, o layout do site é mais confuso do que o YouTube, tem muita publicidade e não existe a possibilidade de escrever comentários.



Vidme

A equipa responsável pelo Vidme acredita que esta alternativa ao YouTube está entre o gigante vermelho e o Reddit. Foi lançado em 2014 e regista cerca de 860 mil pageviews por dia.

Além do layout organizado e limpo, o Vidme conta ainda com categorias personalizadas de acordo com o conteúdo e uma opção de “Random Creator” que permite conhecer novos criadores. Também o sistema de comentários é bem organizado, assim como o sistema de votação Upvote.

Por outro lado, andar para trás no vídeo obriga ao recarregamento do vídeo e o upload dos vídeos pode ser condicionado pela hora a que o faz.



Facebook

A rede social lançada por Mark Zuckerberg é, atualmente, considerada uma das boas alternativas ao YouTube. Apesar do Facebook ser ainda rudimentar em termos de edição de vídeos, começa a ameaçar o YouTube pela quantidade de utilizadores que acedem à plataforma diariamente.

A possibilidade de fazer vídeos em 360º confere-lhe alguma preferência, assim como a grande quantidade de views. O seu sistema de estatísticas é muito completo e o facto dos conteúdos serem publicados diretamente no feed também tem criado adeptos.

Por outro lado, o Facebook não tem nenhuma aplicação específica para vídeo e tem um baixo alcance em vídeos com links externos. Além disso, por causa do seu algoritmo, o vídeo não chega a todos os seguidores.



Vimeo

O Vimeo foi criado por Zach Klein e Jakob Lodwick no final de 2004 e rapidamente se transformou numa plataforma de partilha de vídeos mais refinada, que não permite vídeos comerciais nem de jogos eletrónicos - o que não o coloca, apesar de tudo, fora da nossa lista de alternativas ao YouTube.

Permite chegar a uma audiência mais específica, com a possibilidade de analisar todos os parâmetros da partilha, através da ferramenta Users Analytics – onde o utilizador por analisar o perfil de quem visita o seu canal.

Por outro lado, para ter acesso a todas as funcionalidades tem de se submeter a um plano pago – o Vimeo Pro ou o Vimeo Plus.

Veja também: