Alternativas de financiamento a empresas

Alternativas de financiamento a empresas

As opções de financiamento não se limitam às instituições bancárias.

Espaços coworking para pequenas empresas e freelancersO setor empresarial está a querer romper com as barreiras da crise em Portugal e a querer ressurgir mais forte, jovem e inovador. As empresas são atrativas e há cada vez mais alternativas para que estas se financiem. O facilitarismo para obter capital deixou de existir, mas estamos perante uma fase onde o planeamento, qualidade e rigor na forma de trabalhar são recompensados quando um empresário procura financiamento no mercado.

As alternativas de financiamento a empresas não se esgotam no setor bancário, como o senso comum nos transmite. Podemos afirmar até, que esta se trata da forma mais criteriosa e menos facilitada de recorrer a capital. Vamos conhecer as  alternativas.
 

As 4 alternativas de financiamento a empresas que mais se destacam

 

1. Crédito Bancário

O recurso ao banco para crédito é, historicamente, a forma mais conhecida de capitalizar a empresa. Existem planos habituais de financiamento que tornam fácil a adaptação do tipo de empréstimo ao negócio. Leasing, factoring, financiamento a médio longo prazo, conta corrente e crédito documentário são exemplos de produtos bancários para o setor empresarial.

 

2. Crowdfunding

O Crowdfunding consiste em obter capital, através da colaboração de uma comunidade anónima, na forma de doações. Esta alternativa de financiamento a empresas está a ganhar cada vez mais interessados pela forma fácil, anónima e possivelmente recompensadora de ajudar. De uma forma prática e simples, os candidatos apresentam as suas ideias numa plataforma online especializada em Crowdfunding. O candidato define uma das quatro formas de financiamento: donativo, recompensa, capital e empréstimo. A partir desse momento será necessário apenas aguardar por doações.

 

3. Fundos de Capital de Risco

Os Fundos de capital de risco ou financiamento por capital, está direcionado para empresas que estão a começar a sua atividade. Estes fundos têm como objetivo ajudar a capitalizar uma empresa, sem que esta se endivide numa fase tão prematura. A contrapartida apresentada é, na maioria das situações, uma percentagem da mesma ou do negócio.

 

4. Business Angels

Esta forma de financiamento consegue agregar o incremento de capital, adicionado à experiência e consultoria em gestão. Conforme sugere o nome traduzido, “anjo do negócio”, trata-se, normalmente, de um empresário que investe numa empresa capitais próprios, experiência pessoal e profissional, afim de garantir o sucesso do seu investimento, obtendo retorno do mesmo. O conceito aproxima-se dos fundos de capital de risco, sendo as maiores diferenças assentes na maior proximidade profissional com o investidor e nos montantes atingidos. Os fundos tratam, na sua maioria, com financiamentos de valor superiores.
O programa televisivo “Shark Tank” é um excelente exemplo desta forma de financiamento.


Veja também:

Sérgio Martins Sérgio Martins

Nasci e estudei em Coimbra, a capital do preto da saudade. Admito que, tal como diz a balada, “os segredos dessa cidade, levo-os comigo para a vida”. E são muitos! Depois de terminar o curso de Economia fui recebido na muy nobre e sempre LEAL invicta cidade do Porto. Aqui, aprofundei os meus estudos num mestrado em Gestão de Marketing, tornei-me bancário e casei. Gosto de criar dados para análise, interpretar estudos e resolver problemas. Interessa-me muito o mundo empresarial e sou apaixonado por futebol. Hoje com 30 anos, ainda tenho imensa vontade de mudar o mundo.

Também lhe pode interessar: