AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Ambição profissional: qual o limite?

Até que ponto a ambição profissional condiciona ou contribuiu para o desenvolvimento da sua carreira?

Ambição profissional: qual o limite?
Todos os profissionais têm as suas ambições e metas profissionais. Mas uns sabem usá-las melhor do que outros.

Afinal a ambição profissional é algo bom ou mau? E qual é o limite aceitável? Até que ponto pode ou não condicionar a sua carreira ou as suas relações profissionais? Pode estranhar as questões, mas a verdade é que a ambição faz (quer queira, quer não) parte da sua vida profissional.

Se não pense. O sucesso da sua carreira depende de vários fatores, que incluem – entre outros – as competências, o talento, o contexto da empresa em que está inserido ou a ambição profissional. Sim, a ambição também tem uma palavra a dizer no seu sucesso profissional. Aliás, esta é uma característica bem conhecida dos profissionais, já que todos (cada um à sua maneira e na sua medida) terá a suas próprias ambições e metas profissionais. De facto, estas duas últimas são, pelo menos de certa forma e desde que na medida certa, o “motor” de muitas carreiras.

 

Ambição profissional: sim ou não?

Definitivamente sim. A ambição é determinante para qualquer profissional. É graças a ela que (muitas vezes) superam as dificuldades e obstáculos que surgem ao longo do percurso e é também ela (a ambição) que fomenta o progresso da carreira. Aliás, isso faz parte da própria definição de ambição. Segundo o dicionário de Língua Portuguesa, ambição pode definir-se como “grande desejo de realizar ou atingir algo”.

Mas atenção. A ambição só é benéfica desde que não seja desmedida. Como certamente saberá, a ambição esta muitas vezes associada uma conotação negativa. Há quem considere que ser ambicioso significa ser ganancioso, pouco confiável, egoísta e nem tão pouco olhar a meios para alcançar os fins. Não vamos mentir. A conotação existe porque muitos profissionais são assim. Não é à toa que na definição (a mesma do dicionário de Língua Portuguesa) inclui um segundo ponto que descreve a ambição como “desejo veemente de poder ou do que dá superioridade; avidez; cobiça”.

Mas, em boa verdade, não se pode definir a ambição como sendo algo apenas bom ou mau. No fundo, tudo depende dos fins, dos meios utilizados e das motivações pessoais de cada um. Lá porque uns usam a ambição de forma errada, isso não quer dizer que ser ambicioso seja algo mau e a evitar a todo o custo. Nada disso. Ser ambicioso não é errado. Pode apenas implicar que tenha metas e objetivos profissionais bem definidos e que trabalhe para os alcançar.

Se isso vai condicionar as suas relações profissionais? Claro que sim. Mas não necessariamente de forma negativa. Vai, por exemplo, fazer com que aposte num bom networking, que reforce o seu marketing pessoal, que procure as oportunidades de emprego mais benéficas tendo em conta as suas ambições profissionais.

 

Seja ambicioso q.b.!

De facto, a ambição pode ser algo positivo. Uma virtude mesmo. Na dose certa, desde que regida por princípios, valores e ideais certos, a ambição serve de “combustível” para a produtividade dos profissionais, para um bom desempenho ou para o crescimento pessoal e profissional.



Veja também: