AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Anúncios de emprego falsos: como os identificar?

Veja como detetar os anúncios de emprego falsos e o que fazer nessas situações.

Anúncios de emprego falsos: como os identificar?
Depois de ler este artigo vai passar a ver os anúncios de emprego com outros olhos.

Sabia que mais de 90% dos anúncios de emprego são falsos? Esta é a dura realidade. Detetá-los nem sempre é fácil, mas basta ter alguns cuidados adicionais e pode livrar-se de uma verdadeira “carga de trabalhos”. Para evitar que caia num “esquema”, deixamos-lhe aqui os sinais de alerta a que deve estar atento.
 

Esteja atento aos sinais de alerta


Os anúncios falsos não são uma invenção dos tempos modernos. Sejam anúncios de emprego, automóveis, habitação, ajudas financeiras, enfim os falsos anúncios abrangem todas as áreas. Mas aqui interessam-nos os anúncios de emprego falsos. E agora pense: quem nunca esteve numa situação em que, depois de muito procurar, finalmente dá de caras com aquela oferta de emprego que lhe oferece tudo o que sempre ambicionou. Mas (e sim, há um mas!) será que é mesmo assim? Numa altura em que os anúncios de emprego falsos se estão a tornar cada vez mais frequentes convém que estar atento.
 
E por vezes nem mesmo os sites de emprego conseguem filtrar todos os falsos anúncios de emprego. É aí que deve entrar o seu “olho clínico”.
Saiba como identificar os anúncios de emprego falsos e o que fazer para evitar cair em alguma “armadilha”.
 
Continue a receber os melhores artigos de emprego no seu email

1. Não requer qualquer tipo de experiência

Mesmo que seja recém-formado é suposto que adquira experiência profissional antes de ser contratado, por essa razão muitas empresas promovem curtos períodos de estágio onde os selecionados (os estagiários) podem adquirir formação prática e desenvolver determinadas competências antes de serem formalmente contratados pela empresa. Por isso, se o anúncio não requer qualquer experiência e até parece que qualquer pessoa (independentemente da sua formação, experiência ou background) está apta a desempenhar as funções pretendidas, o melhor é ficar alerta.
 

2. As condições propostas são demasiadamente boas

Por mais atrativa que a proposta lhe possa parecer, não se deixe levar pela tentação. Senão pense. Numa altura em que o mercado de trabalho enfrenta tantas dificuldades não lhe parece suspeito que de repente (no meio de tantas ofertas) lhe saia a “sorte grande”? Antes de se deixar seduzir pelos valores salariais ou pelos benefícios prometidos, pare e analise a oferta. Pesquise informações sobre a empresa (seja para perceber se existe realmente ou não), procure saber qual a situação financeira da mesma (e ver se as promessas se enquadram na realidade da empresa) e, acima de tudo, esteja muito atento durante todo o processo de recrutamento.
 

3. Pedem-lhe que entregue uma quantia de dinheiro

Vá lá, esta é óbvia. Então você está à procura de emprego, a empresa procura um candidato, mas para que o escolham ou pelo menos o considerem para a posição é suposto que lhes pague uma determinada quantia de dinheiro. Não faz sentido. Claramente estão apenas a tentar extorquir-lhe dinheiro.
 

4. Os endereços de email não são empresariais

Quantas não foram as ofertas de emprego cujos emails terminam com denominações dos mais conhecidos fornecedores de email? O mais certo é terem sido muitas. Nos dias que correm já não é muito difícil as empresas criarem os seus próprios serviços de email, portanto antes de responder tente reunir o máximo de informações possível. Pesquise a empresa online ou contate-a para saber mais sobre a oferta de emprego.
 

5. São pedidos dados pessoais

Número de segurança social ou dados bancários, por exemplo, são informações que não devem ser solicitadas (e muito menos reveladas) durante o processo de recrutamento.
 

6. O anúncio é pobre em informação

Qualquer anúncio de emprego (pelo menos os bons) obedecem a algumas regras e são compostos seguindo as mesmas linhas – seja a descrição da empresa, das funções ou dos perfis pretendidos. Se o anúncio promete muito, mas não diz grande coisa sobre o trabalho propriamente dito ou mesmo sobre a empresa, o melhor é desconfiar.
 

“Quando a esmola é muita, o pobre desconfia!”

O ditado popular serve bem para descrever aquilo que deve ser a sua atitude ao analisar as ofertas de emprego e vai ver que é mesmo a melhor forma de detetar os anúncios falsos. Não se precipite. Lembre-se que por vezes é melhor estar desempregado a meter-se numa verdadeira confusão, onde quem sai a perder é você.

Agora que sabe como identificar os anúncios de emprego falsos é só manter os olhos bem abertos.
 
Veja também: