Quais são os apoios à internacionalização para empresas?

Conheça os apoios à internacionalização de que as empresas podem usufruir, para serem mais competitivas lá fora e darem a nossa qualidade a conhecer.

Quais são os apoios à internacionalização para empresas?
Desde linhas de crédito a capital de risco

Se está a pensar avançar com a sua empresa e começar a ser competitivo a nível internacional, então há certos apoios à internacionalização que deve conhecer, para que não esteja a arriscar demasiado por si mesmo. Estes apoios, com informação divulgada no website da AICEP, podem vir a ajudar a sua empresa, para que a internacionalização não seja um desafio insuperável.
 

Apoios que ajudam empresas portuguesas a chegar mais longe

1. Portugal 2020

Portugal 2020 é um dos apoios à internacionalização que merece receber mais destaque, visto este receber cerca de 25 mil milhões de euros a partir de fundos comunitários atribuídos pelos seus programas operacionais, com destaque para o programa da “Competitividade e Internacionalização”.

Pode encontrar muita informação sobre todos os programas do Portugal 2020 no website do mesmo, e com alguma sorte e dedicação a sua empresa pode vir a receber alguns fundos para poder competir a nível global.

 

2. Linhas de crédito

Existem apoios à internacionalização no formato de linhas de crédito, para quando uma empresa necessitar de capital para poder crescer fora de Portugal. De entre estas linhas de crédito, existem três possibilidades, de acordo com a AICEP:
  • Créditos ao Importador para Apoio à Exportação Portuguesa / CGD
  • Linha de Crédito PME Crescimento 2014
  • Linha de Crédito Investe QREN 

Com incríveis montantes disponíveis nestas linhas de crédito, e com prazos que podem chegar até aos 10 anos, são certamente um grande apoio para empresas que estão prontas a arriscar.

 

3. Seguros de créditos

Para empresas que correm o risco de não receber dinheiro por vendas de produtos ou bens e serviços no estrangeiro, existem ainda seguros de créditos disponibilizados tanto por seguradoras como pelo Estado. O crédito disponibilizado varia de acordo com o país com o qual se está a lidar, havendo várias variáveis pelo meio, mas pode chegar a ter uma cobertura de 90%.

 

4. Garantia Mútua

A Garantia Mútua baseia-se num sistema privado de apoio às PME, que tem como objetivo facilitar o acesso ao crédito, bem como promover as condições do financiamento – seja em termos de prazo, custo ou montante. Pode ver-se a Garantia Mútua, de certa forma, como um “serviço de consultoria” de modo a que as empresas tenham acesso ao melhor possível, para que sejam competitivas lá fora.

 

5. Capital de Risco

O Capital de Risco baseia-se num reforço à estrutura financeira de uma empresa, traduzindo-se como um investimento a curto ou médio prazo no capital da empresa através de uma Sociedade de Capital de Risco (SCR) ou de um dos Fundos de Capital de Risco (FCR). Este apoio termina geralmente quando a estabilidade necessária ao desenvolvimento da empresa é adquirida.

 

6. Sociedade para o Financiamento do Desenvolvimento (SOFID)

A SOFID é um dos apoios à internacionalização com objetivos, de certo modo, políticos. Este apoio visa contribuir para o crescimento de países emergentes e em vias de desenvolvimento, contribuindo assim para a melhoria de relações a nível produtivo e comercial entre Portugal e estes países.

 

7. Financiamentos Multilaterais

Os Financiamentos Multilaterais, de acordo com o website da AICEP, baseiam-se na adesão de Portugal a instituições financeiras internacionais, com o objetivo de seguir interesses de política externa portuguesa, de aumentar a visibilidade nacional e de facilitar o acesso de empresas portuguesas ao mercado global de multilaterais financeiras – um mercado de mais de 100 mil milhões de dólares por ano. Este é um excelente mercado, cheio de oportunidades de negócio a serem exploradas.


Veja também: