Publicidade:

Como evitar apps que usam os seus dados do Facebook

A polémica está instalada: apagar ou não o Facebook? Siga os nossos passos e saiba como evitar que determinadas apps usem os seus dados através da rede.

Como evitar apps que usam os seus dados do Facebook
Existem apps que acedem aos seus dados através do Facebook

Com as notícias que alertam os utilizadores do Facebook para o acesso aos dados pessoais por parte de terceiros, a polémica está instalada e, acredite, todo o cuidado é pouco. Mas a boa notícia é que não precisa de apagar a rede social dos seus dispositivos. É possível manter as suas informações mais seguras do que pensa estarem, através de algumas configurações simples.

Como evitar que o Facebook partilhe os seus dados com outras apps


Na verdade, os dados que, inicialmente, introduz para abrir uma nova conta no Facebook, não são tão privados quanto parecem. Ao registar o seu e-mail, localidade, data de nascimento e, até, o número de telemóvel, deve ter em atenção que algumas dessas informações podem tornar-se públicas.

Ao fornecer esses detalhes deve, depois, consultar as definições de privacidade do Facebook, de forma a controlar quais aqueles que quer manter públicos, os que deseja partilhar só com amigos ou, então, aqueles que quer que se mantenham privados – apenas visualizados por si, aos quais mais ninguém terá acesso.

facebook

Se tem uma conta nesta rede social há alguns anos (ou meses), deve rever as suas definições de privacidade, até porque ficará surpreendido com a quantidade de aplicações que já utilizou e às quais deu permissão de acesso aos seus dados – pois, só assim conseguiria possibilitar a sua utilização.

Sim, falamos daquelas apps nas quais não quis perder tempo a efetuar um registo e optou pela via “Registar com o Facebook”. São essas as apps às quais permitiu, depois, o respetivo acesso.

Podem ser jogos, sites, streamers de música (como o Spotify, por exemplo) ou até o próprio Instagram. As possibilidades são imensas e vai percebê-lo assim que consultar essas permissões. Depois de mais um “escândalo virtual”, com o acesso por parte da Cambridge Analytica aos dados de mais de 50 milhões de norte-americanos, mais vale prevenir.

Em vez de remediar, tenha em atenção os seguintes passos que pode completar de forma a proteger os seus dados do acesso por parte de terceiros.

O que deve fazer para proteger os seus dados

1. Abra o Facebook. Atenção, não complete estes passos num dispositivo móvel. Não é que não o possa fazer, mas aconselhamos que use um computador, onde terá melhor visibilidade e a garantia de que encontrará todas as opções;

2. No canto superior direito, ao lado do ponto de interrogação (Ajuda), encontrará uma seta invertida. Clique nela;

3. Carregue em “Definições”, no final do menu, para ter acesso às definições gerais da sua conta;

4. Pode agora verificar que tem um menu lateral, do seu lado esquerdo, com várias possibilidades de escolha. Clique em “Apps” e aceda às informações específicas das aplicações que têm acesso (parcial ou total) aos seus dados. Escolha a opção “Mostrar todas” (em baixo, ao centro) para ter uma melhor perceção;

5. À medida que passa o rato sobre essas apps, notará que surge um “x” em cada uma delas. Carregue para apagar uma a uma – já que o Facebook não permite que elimine todas de uma só vez.

Se quiser ir mais longe, poderá verificar que, mais abaixo, surgem quatro quadros cinzentos. No primeiro, que diz respeito às “Aplicações, sites e plug-ins”, pode carregar em “desligar a plataforma” e impedir que qualquer app aceda aos dados do seu Facebook. Contudo, deve ter a noção que, essa ação, impede os logins rápidos.

Da mesma forma, no quadro “Aplicações que outros utilizam”, pode também rever as permissões guardadas. Existem aplicações, usadas pelos seus amigos, que podem ter acesso aos seus dados. Alguma conseguem “ver” a sua lista de amizades, mas outras têm permissão para publicar por si – como se fossem um dos seus amigos.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.