Aprender inglês fora da caixa: o exemplo British Council

Aprender inglês fora da caixa através de eventos, atividades, da arte (como música e teatro), fora do país, e através das propostas do British Council.

Aprender inglês fora da caixa: o exemplo British Council
Saia da zona de conforto. Aprenda inglês fora da caixa!

A expressão “fora da caixa” está muito em voga em diferentes âmbitos: “pensar fora da caixa”, “agir fora da caixa”, “empreender fora da caixa”, “ser fora da caixa”, entre tantos outros exemplos que poderíamos aqui elencar.

E porque não aplicar esta metáfora a: aprender inglês fora da caixa?


Aprender inglês fora da caixa: porquê?

Importa, em primeiro lugar, perceber o que significa “fora da caixa”. A expressão “Pensar fora da caixa”, oriunda do inglês “Think outside the box”, significa “pensar livre das amarras convencionais”, algo que, principalmente no que diz respeito ao ensino e à aprendizagem, faz (ou deveria fazer) todo o sentido.

Se associarmos esta caixa à tradicional sala de aula, será caso para dizer que nem só na sala de aula se aprende inglês (embora também nela tenhamos excelentes exemplos de ensino e aprendizagem da língua inglesa).

No entanto, é necessário em educação e formação alcançar ideias e soluções inovadoras. Propomos então sair da caixa, desculpe, da sala de aula, e complementar o ensino e a aprendizagem do inglês também através de eventos, atividades, arte e muitas outras formas.

Trouxemos para esta aprendizagem de inglês fora da caixa o exemplo do British Council e de duas das suas inúmeras iniciativas.
 


Aprender inglês fora da caixa: o exemplo British Council

O British Council é a organização internacional do Reino Unido para as relações culturais e as oportunidades educativas. Trabalha com mais de 100 países em todo o mundo nas áreas das artes e cultura, língua inglesa, educação e sociedade civil. Todos os anos chegam a mais de 20 milhões de pessoas de forma presencial e mais de 500 milhões de pessoas por via digital, através de transmissões e publicações.

No campo das artes, o British Council trabalha com o melhor do talento criativo britânico em projetos inovadores e de qualidade, com artistas e instituições culturais em Portugal e em todo o mundo.

Dentro do programa Economia Criativa, por exemplo, pretendem ajudar os jovens profissionais do Reino Unido e de Portugal a estabelecer ligações na área das indústrias criativas. 

 

Casa da Música – Year of British Music

Em 2017, o programa da Casa da Música será dedicado à música britânica. Mais de 30 concertos e 1200 atividades educativas irão ter lugar durante o ano.

O British Council celebra a abertura deste fantástico programa, com uma série de eventos, entre 20 a 22 de janeiro, no Porto, na Casa da Música.
 


Teatro de excelência britânico ao vivo nos cinemas UCI

O British Council desenvolveu um vasto programa internacional, em 2016, para celebrar o 400.º aniversário da morte de Shakespeare. Em Portugal, o British Council estabeleceu uma parceria com a UCI Cinemas, para promover as peças da RSC (Royal Shakespeare Company) e o National Theatre, como parte do seu programa designado por Temporada Clássica.

Os alunos do British Council tiveram direito a desconto no preço do bilhete (até 4 bilhetes no total em cada sessão).

Recentemente, os cinemas UCI, em parceria com o British Council, transmitiram em direto do Royal Shakespeare Company as seguintes peças de teatro: Hamlet, Cymbeline e King Lear, assim como a produção de Romeo and Juliet de Branagh Theatre.

No seu website, o British Council promete anunciar o novo programa no início do ano de 2017.



Dentro e fora da sala de aula

Aprender inglês fora da caixa é possível com o British Council, dentro e fora de sala de aula, principalmente quando usamos esta expressão para nos referirmos à habilidade de pensar em soluções criativas, fora do padrão, que complementam o ensino e a aprendizagem da língua inglesa.

Aprender inglês fora da caixa pode ser algo trabalhado e concretizável. Pense nas 3 dicas seguintes:

 

1. Consumir

Consuma arte e cultura em língua inglesa ou eventos com ligação à língua e cultura do Reino Unido. Consuma conteúdo, seja na forma de livros, jornais, filmes, peças de teatro, música, etc. Estas iniciativas ativam partes do nosso cérebro, que é extremamente complexo, e, por isso, necessita de diferentes estímulos.

 

2. Mudar

Mude de lugar e procure estar sempre informado. Um dos maiores assassinos da criatividade é a rotina. Estar sempre no mesmo ambiente, a fazer as mesmas coisas, sem acesso a informação nova, coloca o cérebro num estado mecânico e letárgico, sem espaço para novos pensamentos e para novas aprendizagens e oportunidades.

 

3. Aprender

Aprender inglês fora da caixa também vem da prática, por isso faça diferente, pense diferente e participe em iniciativas como as sugeridas pelo British Council.

Saiba mais sobre o British Council e as suas iniciativas.

Continuar a Ler

Os mais vistos