Armadilhas nos supermercados: as 5 mais frequentes

Muitas vezes silenciosas, há armadilhas nos supermercados bastante frequentes que nos fazem comprar o que não precisamos. Saiba reconhecê-las e evitá-las.

Armadilhas nos supermercados: as 5 mais frequentes
Preparadas especialmente para que gaste a mais.

Conheça 5 truques de supermercado que estão a arruinar o seu orçamento sem saber.

 

1. Carrinhos grandes

 
Comecemos pelo início.  A verdade é que ao conduzir pela loja um grande carrinho vazio já está, subconscientemente, preparado para comprar mais - quanto maior o carrinho, maior a probabilidade de o encher. Esta é uma das armadilhas nos supermercados mais subtis, e também uma das mais eficazes. A solução? Coloque as suas compras nos cestos com rodinhas, bem mais pequenos que os carrinhos. 
 
 

2. Super-promoções

Um dos maiores erros que cometemos quando vamos às compras é deixarmo-nos levar pela febre das promoções. Quanto mais promoções existirem mais gastamos, pois tendemos a pensar que se trata de uma compra inteligente, uma “pechincha”, antes sequer de medirmos o custo real dessa aquisição: um desconto de 5 cêntimos valerá a compra de um produto que normalmente não faz parte da sua lista? 
 
Como evitar esta armadilha frequente no supermercado: 
 
  • Compare o preço original do produto em promoção com o de outros produtos semelhantes e veja se esta é a melhor poupança
  • Lembra-se da importância do custo por unidade? Verifique-o sempre que vê algo do género “2 por 5€”. Veja o preço individual de forma a confirmar se comprar dois fica, de facto, mais barato do que adquirir apena um. E cuidado com os sinais do tipo “10 por 10€” - é bem provável que consiga comprar uma unidade desse artigo por 1€, sem precisar de comprar 10. 
 

3. A ciência dos corredores

As coisas de que precisamos sempre, como leite ou ovos, estão, por norma, na periferia da superfície comercial, ao invés das zonas centrais. Isto não acontece por acaso: a maior parte dos supermercados coloca os produtos que importa vender no meio dos corredores e nas zonas de passagem. Para chegarmos ao que precisamos temos de passar por eles e… voilá! Antes de darmos conta, já estão no nosso carrinho. Não se esqueça, também, de verificar as prateleiras do topo e as do fundo para encontrar o melhor artigo ao melhor preço - os artigos mais caros/populares estão sempre ao nível dos olhos. 
 
 

4. Artigos que foram feitos para estar juntos

Outra variante da arte de dispor artigos nas prateleiras. A esparguete que tem aquele molho pesto mesmo ao lado; o chá que divide a prateleira com aqueles biscoitos com tão bom aspeto… Coincidência? Nem por isso. O nosso cérebro sabe o quão fantásticos eles ficam juntos… e os vendedores dos supermercados também. A solução? A “velhinha” lista é a sua melhor amiga nestas ocasiões. Ignore tudo o que lá não esteja.
 
 

5. Descontos-fantasma

Os supermercados confiam na nossa falta de atenção ao verificar a passagem dos artigos na caixa (não é por acaso que é nesta altura que estamos a colocar as coisas nos sacos). Antes de pagar, faça uma estimativa do valor que será cobrado, especialmente se leva artigos que estão em promoção. Pode dar-se o caso de o scanner da caixa registadora não reconhecer a promoção em vigor e portanto, não a assumir, ou pode ainda acontecer que o artigo que trouxe jugando estar em promoção seja, na verdade, o artigo posicionado imediatamente ao lado do que está em promoção na prateleira - e uma vez na caixa, é tarde para voltar atrás. Conveniente, não é?
 
Veja também: