Arrendamento Jovem ou Crédito Habitação?

Arrendamento jovem ou crédito habitação? Qual será a melhor opção para o seu futuro? Saiba aquilo que o mercado oferece para escolher melhor.

Arrendamento Jovem ou Crédito Habitação?
Faça bem as contas

São muitos os portugueses que sonham ter casa própria, porém, hoje em dia, fruto da instabilidade do mercado de trabalho no início da vida adulta, há agora duas opções na balança: arrendamento jovem ou crédito habitação.

Enquanto que há pouco menos de uma década, quando pensava em viver sozinho ou em casal, o arrendamento estava em desuso e a compra era a primeira hipótese, agora, há mais oferta em ambos os casos e com as condições de trabalho precárias atuais e o conhecimento que a crise nos trouxe, há muito mais a ponderar.


CRÉDITO HABITAÇÃO PARA JOVENS

Alguns bancos ainda têm condições de crédito habitação especiais para jovens, como é o caso do BPI, do Crédito Agrícola, do Bankinter ou do Millennium BCP. Nestes casos, as grandes vantagens prendem-se com os prazos do empréstimo que podem atingir os 40 ou 50 anos, desde que, no final do prazo, a idade dos titulares seja inferior a 75 ou 80 anos.

Entre as ofertas no mercado, também encontra soluções que prevêem o ínicio das prestações com valores muito reduzidos que aumentam gradualmente nos primeiros anos e, depois de um período determinado (entre 8 a 10 anos), se mantêm constantes. Neste momento, há instituições financeiras a oferecer o spread e juros mais baixos do mercado dos últimos anos.

Com qualquer uma das opções acima, consegue prestações mas reduzidas que, no início de vida, podem ser úteis para outros projetos ou para iniciar uma poupança para o futuro. A nossa recomendação é simples: peça propostas de crédito habitação a todos os bancos para que não perca nenhuma hipótese de encontrar a melhor solução para as suas necessidades. Vai dar algum trabalho mas, no final, a sua carteira agradece.
 

ARRENDAMENTO JOVEM

A opção de arrendamento jovem tem como principal aliado de um programa do Estado, chamado Porta 65, cujo objetivo é incentivar estilos de vida mais autónomos, reabilitar área urbanas degradadas e estimular o mercado de arrendamento.

Normalmente, existem 4 fases de candidatura por ano e destina-se a jovens entre os 18 e os 30 anos, havendo a possibilidade de usufruir deste apoio público durante 3 anos consecutivos, sendo que no primeiro ano tem 50% de desconto no valor da renda, no ano seguinte tem 35% e no terceiro ano é de 25%. 

Ainda que o programa dure apenas três anos, é uma boa alternativa para quem vai viver sozinho ou em casal pela primeira vez. Com esta poupança, pode juntar dinheiro para outros projetos ou, inclusive, para uma entrada numa casa própria.


ARRENDAMENTO JOVEM OU CRÉDITO HABITAÇÃO: QUAL A MELHOR OPÇÃO?

Um bom indicador para o ajudar a decidir é calcular a sua taxa de esforço. Esta calcula-se determinando o seu rendimento bruto anual, dividindo por 12 e dividindo o resultado obtido pelo valor da sua prestação. Quanto menor a taxa, melhor, mais equilibradas estarão as suas finanças. Saiba que 30% é a taxa ideal. Não sendo possível este valor, a taxa nunca deve ser superior a 45% ou 50%.

Antes de tomar qualquer decisão, analise a situação financeira actual, considere os seus planos futuros e a fase de vida em que se encontra para perceber qual a melhor solução. Talvez não seja má ideia começar pelo arrendamento jovem antes de avançar para o crédito habitação já que, assim, tem oportunidade de perceber todas as responsabilidades que a manutenção de uma casa exige, antes de fechar um compromisso mais sério, como é a compra de uma casa.
 

Veja também: