PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Em caso de ataque cardíaco: o que fazer

É muito importante saber, em caso de ataque cardíaco, o que fazer! O E-Konomista dá-lhe algumas sugestões.

Em caso de ataque cardíaco: o que fazer
Saiba como atuar

O ataque cardíaco, também conhecido por enfarte agudo do miocárdio, acontece porque uma parte do tecido que forma o coração morre. E porque é que isto acontece? Porque as artérias do coração “entopem”, devido a um processo chamado aterosclerose.

Ao contrário do que se pensa e do que se imagina, nem sempre um ataque cardíaco é rápido e fulminante...ele vai “avisando” com alguns sinais de alerta.


Sinais a que deve estar atento

Caso tenha fatores de risco acrescidos (colesterol, pressão arterial alta, diabetes, seja fumador…) deve estar ainda mais alerta aos sinais. Assim, verifique se:

  • Começa a sentir ansiedade sem motivo aparente;
  • Sente um desconforto ou dor no tórax (sensação de pressão ou de “queimado”);
  • Começa a tossir repentina e vigorosamente sem estar constipado ou com alergia;
  • Sente vertigens e tonturas, a ponto de perder a consciência;
  • Entra num estado de cansaço grande e sem uma justificação para tal (este sinal é mais comum entre mulheres e pode ocorrer até semanas antes);
  • Começa a sentir o abdómen inchado e este inchaço vem acompanhado de náuseas ou falta de apetite;
  • Sente dor em algumas partes do corpo, sobretudo ombros, braços, maxilar, pescoço e abdómen. Entre homens, é comum que a dor seja no braço esquerdo e entre mulheres, é comum que seja nos dois braços;
  • A sua pulsação passa a ficar rápida ou irregular, a respiração mais aflita e o corpo começa a suar sem que tenha realizado qualquer esforço físico que o justifique;
  • Identifica algum tipo de inchaço no corpo (geralmente pés, tornozelos, pernas e abdómen).
 


Está a ter um ataque cardíaco: o que fazer?

Caso identifique algum destes sinais ou desconfie que pode estar a sofrer um ataque cardíaco, a primeira coisa a fazer é ligar imediatamente para o 112 e chamar uma ambulãncia (sobretudo se estiver sozinho…). Não seja mais um dos casos em que acha que a sensação “vai passar”. Mais vale um falso alarme do que uma situação bem mais complicada. Quanto mais rápido se proceder ao diagnóstico correto, maiores são as chances de recuperação.

Muitas pessoas encontram-se sozinhas quando sofrem um ataque de coração. Sem ajuda, uma pessoa cujo coração bata incorretamente e que comece a sentir-se desmaiar, só tem 10 segundos antes de perder a consciência!

Após chamar a ambulância, mostramos-lhe, em caso de ataque cardíaco, o que fazer:

  • Não entre em pânico e tussa repetida e vigorosamente;
  • Caso esteja em casa, abra a porta para que os paramédicos possam entrar sem problema;
  • Respire profundamente antes de cada vez que tosse. A tosse deve ser profunda e prolongada;
  • Entre cada inalação e cada tosse devem passar cerca de dois segundos. Repita este processo sem parar até que chegue a ajuda ou até que consiga identificar que o coração está de novo normalizado.


É muito importante ter a noção de, em caso de ataque cardíaco, saber o que fazer, pois este procedimento permite que as inspirações profundas renovem o oxigénio dos pulmões e que o coração fique mais comprimido, o que obriga o sangue a circular e assim a restabelecer o ritmo cardíaco. 

Quando um ataque cardíaco é diagnosticado com antecedência, é possível tomar medicamentos que dissolvem os coágulos que estão a impedir a passagem de sangue para o coração. Em alguns casos, mais graves, pode ser necessário recorrer a uma intervenção cirúrgica para revascularização do músculo cardíaco.

Veja também: