AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Benefícios para casais desempregados

Conheça quais os benefícios para casais desempregados e como solicitar os benefícios disponíveis.

Benefícios para casais desempregados
Quais são?

Aumente as chances de ser contratado com um Curso de Inglês - 20 Aulas GrátisO aumento do número de casais em que ambos os cônjuges estão desempregados foi um dos flagelos decorrentes da crise económica no país. No entanto, existem benefícios para casais desempregados que visam atenuar a problemática. Trata-se, por exemplo, de mecanismos de apoio diretamente no subsídio de desemprego (para quem tem direito) ou em incentivos especiais para a contratação de um dos cônjuges. Conheça quais os benefícios para casais desempregados.
 

Majoração do subsídio de desemprego

Quando no mesmo agregado familiar, ambos os cônjuges (mesmo que a viver em união de facto) estejam a receber subsídio de desemprego e existam filhos (ou equiparados) a seu cargo, o valor diário do subsídio de desemprego é majorado em 10% para cada um dos beneficiários.

Além disso, se um dos beneficiários deixar de receber subsídio de desemprego e passar a receber o subsídio social de desemprego subsequente ou, continuando em situação de desemprego, deixar de receber qualquer prestação por desemprego, o outro beneficiário mantém a referida majoração.

Este benefício também se aplica a famílias monoparentais, desde que não recebam pensão de alimentos.

Para solicitar o requerimento da majoração do subsídio de desemprego basta preencher o modelo próprio (Mod.RP5059-DGSS) e enviá-lo através do site da Segurança Social Direta, escolhendo a opção “Documentos Eletrónicos da SSD”.

 

Outros direitos

Os agregados familiares onde ambos os cônjuges se encontrem em situação de desemprego beneficiam de outros apoios, uns mais diretos, nomeadamente descontos sobre despesas, ou indiretos, como o incentivo à contratação de um dos cônjuges. Outros benefícios para casais desempregados:

 

Inclusão na medida estímulo emprego

Trata-se de um apoio financeiro destinado a empregadores que celebrem contratos de trabalho, de longa duração, com uma pessoa cujo cônjuge (ou pessoa com quem viva em união de facto) se encontre igualmente em situação de desemprego e inscrito no IEFP.

 

Isenção das taxas moderadoras

Quando o montante do subsídio de desemprego não ultrapassa os 620,83€, os desempregados ficam isentos do pagamento das taxas moderadoras nos hospitais e centros de saúde.

 

Visitas gratuitas ou com descontos

A museus ou outros equipamentos culturais.
 

Conselhos sobre como subir na carreira, com a Newsletter do E-Konomista


Veja também: