Conheça o café mais caro do mundo e descubra de onde ele sai...

É exótico, polémico e conquista um grupo restrito de pessoas em todo o mundo. Conheça o café mais caro do mundo, produzido através das fezes de mamíferos.

Conheça o café mais caro do mundo e descubra de onde ele sai...
Para paladares requintados, voluntariosos e delicados

Já ouviu falar num pequeno mamífero, parente das raposas, que mais parece um gato doméstico e é o “fabricante” de um dos cafés mais caros de todo o mundo? Chama-se civeta, é um animal noturno e habita nas florestas asiáticas e africanas.

Famosas por serem seletivas nos grãos que consomem, as civetas fazem a digestão mais importante do universo do café. Não entendeu? Nós explicamos: este pequeno mamífero escolhe bem os grãos que ingere e é a partir das suas fezes que o Vietname lidera a produção do Kopi Luwak – ou, como é popularmente conhecido, o café mais caro do mundo.

civeta

Quando o assunto é café, há dois países no topo do ranking dos maiores exportadores: Brasil e Vietname – em primeiro e segundo lugares, respetivamente. Embora as terras de Vera Cruz liderem a disputa no mercado internacional, com um café que alimenta, sobretudo, a demanda por marcas genéricas da bebida instantânea, é o pequeno país do sudeste asiático que ostenta o posto de maior produtor do café mais exótico – e dispendioso – de todo o globo. É do Vietname que vem o Kopi Luwak, um café conhecido por ser feito a partir das fezes de animais – e por ser muito, muito caro.

Uma chávena do café vietnamita pode custar mais de 28 euros. Sim, leu bem. E para comprar uma saca de 1 quilo pode ter que desembolsar quase 400 euros. Por isso, não por acaso, este café é conhecido como o mais caro do mundo.

Veja também:  3 em 1: nova máquina faz café em cápsulas, moído ou em pastilhas

Mas, afinal, porque tem este café um preço tão “salgado”?

cafe

A resposta é simples: existe uma forte combinação entre as forças do mercado e a excentricidade de um produto extremamente exótico e curioso. No entanto, a principal razão para o Kopi Luwak ter um preço tão alto é a sua produção muito limitada, que chega a ser inferior a 230 kg por ano.

Para realizar a produção deste café, é preciso executar um trabalho minucioso: localizar os grãos de café “descartados” pelas civetas. Estes animais são famosos por selecionar os melhores frutos, mais avermelhados e maduros, e digerirem apenas a polpa. A semente, necessária à produção do café, passa pelo sistema digestivo das civetas e sai intacta.

civeta

Os especialistas no assunto asseguram que, durante a digestão das civetas, há a ação de bactérias e enzimas e será este o grande motivo para o sabor deste café ser tão diferenciado. Descrita como menos amarga e ácida, a bebida feita a partir das fezes destes animais é conhecida pelo sabor de chocolate e sumo de uva.

O café exótico e a polémica da sua produção

Por mais incrível que possa parecer, e ainda que não queira acreditar, há mesmo paladares voluntariosos e delicados que consomem o café feito a partir das fezes deste pequeno mamífero. A crescente demanda tem alterado a sua comercialização e provocado alguns estragos – que têm deixado os defensores dos direitos dos animais de cabelo em pé.

O antigo método de coleta dos grãos praticamente deixou de existir e agora há um sistema intensivo de produção, com civetas enjauladas. A televisão BBC realizou uma investigação na região de Sumatra, na Indonésia – outro grande centro produtor do Kopi Luwak -, e verificou que existe mesmo uma forma cruel de criar as civetas para a produção do café.

Na Ásia, incontáveis hotéis de luxo retiraram a bebida da carta depois de serem fortemente pressionados por diversas Organizações Não-Governamentais que atuam em defesa dos animais.

Outros cafés curiosos

A par do café das civetas, existe um igualmente célebre e que também já conquistou o imaginário dos fãs da bebida, sendo famoso pelo alto preço da sua comercialização. Ainda que o café Kopi Luwak seja conhecido como o mais caro, na verdade, este tipo é ainda mais valioso e raro.

Produzido na Tailândia, este grão curioso é extraído das fezes dos elefantes e o preço do quilo pode rondar os 1.000 euros. O processo de produção é semelhante ao do café vietnamita: os grãos são retirados das fezes dos animais, moídos e levados à chávena. Os seus apreciadores dizem que o paladar tem toques de nozes, chocolate ao leite e frutos vermelhos, e que o aroma é de um floral intenso.

O Brasil, maior produtor de café do mundo, oferece a sua versão genérica do Kopi Luwak.  Uma fazenda no interior do país produz café com grãos descartados nas fezes de uma ave típica da região, a jacu – e também anuncia na sua publicidade que o animal sabe escolher o melhor grão para a sua alimentação.

Teria coragem de experimentar uma bebida produzida a partir das fezes de animais? É provável que, para a maior parte dos portugueses, a ideia de consumir o Kopi Luwak dê voltas à barriga – certo? Mas não precisa de ir tão longe para selecionar o seu próprio café de qualidade. Cada vez mais, é possível experimentar variedades, aromas e sabores exóticos ou tradicionais, sem precisar entrar em grandes aventuras.

A nova forma de fazer café em Portugal

dimobilli-d2

Temos mesmo orgulho em dizer que somos especialistas na arte de preparar esta infusão quente e viciante.

Sabia que agora já pode fazer o seu próprio café através de cápsulas laváveis e reutilizáveis? Basta escolher a sua marca favorita e comprar as cápsulas Dimobilli para utilizar na nova máquina exclusiva das lojas Rádio Popular. O novo “robot” de café tem conquistado os consumidores por ser capaz de encerrar grandes discussões acerca da bebida quente de eleição dos portugueses.

Em pó? Em cápsulas? Em pastilhas? A máquina “3 em 1” produz café como preferir. Sim, é verdade, e para completar as vantagens, ainda é capaz de servir chás, capuccino e chocolate quente. A ideia revolucionária nasce para satisfazer a maior parte dos consumidores nacionais, que adoram as cápsulas, mas não abrem mão da economia que o café moído oferece.

Se um dia for à Indonésia, ao Vietname ou à Tailândia, pode ser que ganhe coragem para experimentar os cafés mais exóticos e caros do mundo. Mas, por agora, não precisa de gastar muito para ter o melhor café do seu dia a dia.

Espreite a Dimobilli, faça contas e some as vantagens desta nova máquina portuguesa.

Veja também: