Caixa de velocidades manual: como funciona

De uma forma simplista, a caixa de velocidades manual serve para transformar a potência do motor em força ou velocidade. Conheça as suas vantagens e desvantagens.

Caixa de velocidades manual: como funciona
O condutor escolhe a mudança através da alavanca das velocidades

A grande diferença entre a caixa de velocidades manual e a automática é que na primeira o condutor é responsável por escolher a mudança, enquanto na caixa automática o sistema seleciona a mudança mais adequada a partir do momento em que colocamos o comando na posição D e aceleramos.

Através da alavanca das velocidades, o condutor seleciona a mudança para que assim tire o melhor partido das capacidades do motor do carro, quer seja em termos de consumo, potência ou mesmo de estilo de condução.

De forma simplificada, a caixa de velocidades é o componente mecânico que faz a ligação entre o sistema de embraiagem e o veio de transmissão. Num automóvel a caixa de velocidades manual serve para desmultiplicar a rotação do motor para o diferencial, para que a potência do motor seja transformada em força ou velocidade. A típica caixa com comando H requer um pedal de embraiagem para trocar a mudança.

Embora, nos últimos anos, a caixa de velocidades manual tenha como fortes concorrentes as caixas de dupla embraiagem e as caixas automáticas, continua a ser a mais comum nos carros que circulam nas estradas portuguesas. O vídeo mostra como funciona o sistema da caixa de velocidades manual.

Caixa de velocidades manual: quando colocar a mudança certa?

Selecionar a mudança correta na caixa de velocidades manual é uma atividade básica e simples de realizar, contudo, nem todos os condutores conseguem perceber a altura certa para passar de uma mudança para outra. Se utilizar corretamente as mudanças não só vai estar a economizar combustível como ainda contribui para aumentar a vida útil do sistema do motor e da caixa de velocidades.

  1. Para começar, a primeira velocidade deve ser utilizada apenas para colocar o veículo em movimento. Nunca se deve manter a primeira velocidade com o veículo em andamento sem haver necessidade.
  2. A partir do momento em que o veículo arranca, o condutor deve colocar a segunda velocidade.
  3. Quando o carro atingir uma velocidade a rondar os 40/50 km/h deve-se colocar a terceira mudança.
  4. Assim que o veículo registar uma velocidade acima dos 60/70 km/h é conveniente trocar para a quarta mudança.
  5. A partir deste momento, se o veículo já conseguir desenvolver uma maior velocidade, o condutor deve colocar as velocidades seguintes. Por norma, a quinta velocidade é considerada uma velocidade económica, como tal, deve ser usada sempre que possível e quando o velocímetro está acima dos 70/80 km/h.

Existem alguns condutores que esticam as mudanças até o limite da rotação para o veículo ganhar velocidade rapidamente. De facto a velocidade aumenta, mas o consumo de combustível do carro também.

Para quem pretende fazer uma condução sustentável, economizando combustível, o melhor conselho é mesmo seguir as indicações acima. Conduzir com maior velocidade ou fazer acelerações bruscas aumenta o consumo de combustível de qualquer automóvel.

A única exceção em que se deve acelerar ao máximo e esticar as mudanças até o limite da rotação é quando o carro está a fazer uma ultrapassagem a outro veículo.

Caixa de velocidades manual: vantagens e desvantagens

Segundo os especialistas, existem algumas vantagens e desvantagens de utilizar uma caixa de velocidades manual.

Vantagens

  • Melhor controlo do uso da potência do motor;
  • Se a mudança das velocidades for colocada no momento correto contribui significativamente para a redução dos gastos com combustível;
  • As caixas de velocidades manuais com relações de caixa longas minimizam o ruído do motor.

Desvantagens

  • Desgaste progressivo da embraiagem;
  • Necessidade de tirar mão direita do volante.

 

Veja também: