AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Cálculo do salário líquido: como se faz?

Entenda o conceito e saiba como fazer o cálculo do salário líquido.

Cálculo do salário líquido: como se faz?
Saiba quanto vai levar para casa no final do mês.

Saber como fazer o cálculo do salário líquido vai ajudá-lo a saber quanto vai ganhar no final do mês. É essa ajuda que lhe queremos dar. Para isso vamos ajudá-lo a perceber a diferença entre salário bruto e salário líquido e como calcular este o salário líquido.
 

Salário bruto vs salário líquido

Quando analisar uma oferta salarial é bom que faça as contas e que perceba a diferença entre o salário bruto (ou ilíquido) e o salário líquido.

Pensar apenas no primeiro pode causar-lhe alguns dissabores no final do mês, visto que ao salário bruto não inclui os valores deduzidos para pagamentos de impostos (IRS e Segurança Social). Ou seja, é o ordenado “maciço” acordado no contrato de trabalho.

Por sua vez, o salário líquido é o valor que efetivamente leva para casa no final do mês, já sem os valores correspondentes ao pagamento de impostos. Este valor inclui ainda subsídios (de alimentação e subsídios de férias e Natal em duodécimos) e/ou eventuais prémios de produtividade, ajudas de custo, etc.

 

Salário líquido: a fórmula de cálculo

A fórmula para calcular o salário líquido é a seguinte:

Salário líquido = salário bruto – descontos para a Segurança Social – descontos para o IRS

Traduzido por miúdos, significa que ao salário bruto deve retirar o valor dos descontos para a Segurança Social (que são 11%) e o valor dos descontos para o IRS (que variam mediante o estado civil, residência fiscal, regime - geral ou deficientes - e número de dependentes), tendo por base as tabelas de retenção de IRS aplicadas em 2015. Ao salário bruto é ainda retirado o valor da sobretaxa em vigor.

Depois de subtraídos os impostos ao salário bruto/ilíquido, há que somar o valor do subsídio de alimentação e o valor dos subsídios de férias e de Natal em duodécimos caso tenha optado por os receber em duodécimos.

 

Faça as contas!

Para 2016 estão previstas alterações a nível da sobretaxa de IRS, o que pode dificultar as contas.

Ainda assim é importante que saiba que as taxas variam de acordo com o rendimento de cada contribuinte e, nesse sentido, trabalhadores por contra de outrem, funcionários públicos e pensionistas que ganhem menos vão sentir um alívio na contribuição fiscal.

A título de exemplo, solteiros (com vencimento bruto até 801€) ficam isentos do pagamento de sobretaxa de IRS. Outra novidade para 2016 é que a sobretaxa deixa de ser fixa e passa a ser variável de acordo com os rendimentos. Ou seja, vai aumentando progressivamente até aos 3.5%, dependendo dos rendimentos auferidos pelos contribuintes.

Não há nada melhor do que saber com o que pode contar. E quando o assunto é dinheiro ainda mais. Por isso, o melhor é que esteja atento às taxas aplicadas.
 

Tudo sobre os impostos que aí vêm na nossa Newsletter


Veja também: