PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Cancro da mama: 15 sintomas que deve conhecer

É o cancro mais comum nas mulheres em Portugal. O cancro da mama apresenta alguns sintomas que lhe damos a conhecer.

Cancro da mama: 15 sintomas que deve conhecer
Faça exames de prevenção

O cancro da mama, apesar de não ser dos mais letais, atinge um grande número de pessoas, sobretudo mulheres, e ainda tem uma taxa alta de mortalidade. Em Portugal, numa população feminina de cinco milhões, são identificados 6000 novos casos de cancro da mama por ano.


O que é o cancro da mama?

O cancro da mama inicia-se assim que uma célula se divide e cresce de forma anormal. Tal como outras formas de cancro, este consiste num aglomerado de células originárias que, por razões ainda não completamente esclarecidas, deixaram de obedecer a certas "regras de comportamento", nomeadamente de crescimento saudável. 

Ao penetrarem nos vasos linfáticos ou sanguíneos, estas células podem entrar em circulação e "colonizar" órgãos. É aí que surgem as metástases, tornando-se o seu combate bastante mais complexo.

Existem vários tipos de cancro da mama e cada um deles tem diferentes fases de desenvolvimento e cresce a diferentes ritmos. Isto significa que cada caso tem de ser individualizado ao nível de tratamento. De acordo com o estádio de crescimento, o cancro da mama não tem sintomas associados.

Apesar de serem conhecidos alguns fatores de risco para o cancro da mama, sobretudo associados a estilos de vida, a características de reprodução da nossa era moderna e alguns fatores hereditários, ainda não se sabe a causa específica do cancro da mama.

O que sabemos é que a prevenção é a melhor forma de minimizar os riscos através de uma deteção precoce do problema.

 

Cancro da mama: sintomas

Numa fase inicial, o cancro da mama pode ser silencioso; daí que a prevenção seja o ideal. Além disso, o facto de elencarmos alguns sintomas de cancro da mama, caso os sinta, não significa que sofra da doença! Pode ter, por exemplo, apenas um quisto benigno.
Em todo o caso, aqui fica uma lista dos principais sintomas na presença dos quais deve visitar imediatamente o seu médico:

  • Identificação de um ou mais nódulos na mama;
  • Aumento da espessura da mama;
  • Identificação da um ou mais nódulos na zona da axila ou aumento de espessura de algum já existente;
  • Alterações na cor da pele da mama (identificação de alguma zona avermelhada);
  • Alterações no tamanho da mama;
  • Alterações na cor e/ou na textura do mamilo;
  • Identificação de presença inexplicável de líquido ou sangue no mamilo;
  • Retração do mamilo (mamilo metido para dentro);
  • Vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama;
  • Assimetria entre as duas mamas;
  • Afundamento de uma parte da mama;
  • Endurecimento da pele da mama, ficando com um aspeto semelhante a casca de laranja;
  • Comichão frequente na mama ou no mamilo;
  • Formação de crostas ou de feridas na pele junto do mamilo;
  • Veias facilmente observadas e salientes.
Estes são apenas alguns dos sintomas de cancro da mama. Caso identifque alguma situação anormal, não deixe de visitar o seu médico!


Meios de diagnóstico

Como existem vários tipos de cancro da mama, é muito importante que o médico faça um diangóstico preciso para que o plano de tratamento seja o mais agressivo possível. A mamografia, ecografia e ressonância magnética são algunas dos exames de diagnóstico auxiliares à deteção da doença.

 

Mamografia

A mamografia consegue identificar a existência de tumores que não são palpáveis pela mão humana, pois esta só consegue identificar nódulos a partir dos cerca de dois centímetro de diâmetro. Os cancros podem ter vários aspetos na mamografia, sendo os mais frequentes a distorção, as calcificações com aspecto maligno e o nódulo irregular.
 

Ecografia

Este exame de diagnóstico é também bastante útil, e serve muitas vezes de complemento à mamografia. A ecografia permite uma divisão entre nódulos sólidos e quistos, sendo estes últimos habitualmente benignos. Já no que respeita os nódulos sólidos, a ecografia consegue orientar o profissional de saúde relativamente à sua natureza benigna ou maligna.


Ressonância magnética

Este exame tem vindo a ser gradualmente mais solicitado pelos médicos para esclarecimento de lesões duvidosas identificadas na mamografia e/ou na ecografia. Serve ainda para caracterizar tumores já diagnosticados.

 

Se após a mamografia, ecografia ou ressonância magnética existir suspeita de que uma lesão que corresponda de facto a um cancro, o médico pode fazer uma citologia ou uma biopsia, que corresponde à obtenção de uma pequena porção da referida lesão.

Veja também: