Cartão de crédito: Ainda é seguro?

Tendo em conta as últimas notícias sobre cartões clonados e fraudes electrónicas, muitas pessoas questionam-se se o cartão de crédito continua a ser um meio de pagamento seguro. Além disso, estamos em pleno Verão e na altura das férias, em que o uso do cartão é superior ao resto do ano. Será que o cartão de crédito ainda é seguro?

Cartão de crédito: Ainda é seguro?

Chegou o Verão, as merecidas férias e pagar tudo com o cartão de crédito é o mais fácil, já que se trata de um meio de pagamento aceite em quase todo o mundo, facilitando o pagamento da viagem, principalmente se for feita a reserva pela Internet e tudo o resto, restaurantes, hotéis, principalmente se estivermos num outro país.

 

Além de ser necessário ter os habituais cuidados com o uso do cartão de crédito no que respeita às taxas de juro associadas e o consequente risco de endividamento, existe também o risco de poder ser vítima de fraude e ver o seu dinheiro desaparecer da conta.

 

Ora através de phishing, pela utilização de e-mails fraudulentos, em que os criminosos têm acesso aos dados pessoais e acedem livremente à conta fazendo compras de bens e serviços com o dinheiro da vítima, ora através da técnica mais recentemente divulgada, a clonagem de cartões. Esta última consiste em copiar os dados da banda magnética de um cartão e obter o seu código secreto e assim fazer levantamentos indevidos.

 

Apesar de maior risco e das técnicas serem cada vez mais sofisticadas, devido ao avanço das tecnologias, as entidades financeiras também desenvolvem formas de proteger cada vez mais o cliente. Já há cinco anos que os bancos portugueses, de forma a melhorar a segurança dos cartões, passaram a introduzir um chip que disponibiliza informação encriptada sobre o próprio cartão e a conta associada e serve para proteger dados importantes e confidenciais. Além disso, esse chip faz com que ao fazer um pagamento com o cartão, o vendedor não possa tirar o cartão do terminal ATM, o que permite que o cartão esteja sempre sob a vigilância do cliente e assim evitar que o cartão passe em algum equipamento de duplicação de cartões.

 

Colocando a hipótese de ser vítima de burla, ao aperceber-se disso, deve comunicar de imediato essa situação ao seu banco, para que todas as transacções efectuadas após a comunicação sejam da responsabilidade da instituição financeira.

 

No entanto, todas as operações financeiras efectuadas antes de avisar o banco recaem sobre o cliente. Atentos a estas fraudes, os bancos desenvolveram cartões que já incluem um seguro de utilização fraudulenta, que cobre movimentos efectuados entre 24h a 48h antes de comunicar a situação ao banco.

 

O cartão de crédito ainda é um meio de pagamento seguro, desde que utilizado com cautela e que sempre que note alguma anomalia na sua conta, contacte de imediato o seu banco.