As melhores casas de fado em Lisboa

É fã de fado? Quer levar amigos estrangeiros a conhecer esta sonoridade tão portuguesa? Então, deixe-se guiar por este roteiro. Silêncio, que se vai cantar o fado.

As melhores casas de fado em Lisboa
O fado é Património Imaterial da Humanidade desde 2011

Fado corrido, à capela ou castiço: estes são os três tipos primitivos de fado, ainda que atualmente seja possível ouvir fado em muitos estilos, nas casas de fado em Lisboa.

Desde os tempos da Severa, a primeira fadista que se conhece, muitos outros nomes se foram firmando, e hoje o fado é cada vez mais ouvido e apreciado, com os nossos fadistas a encherem auditórios por todo o mundo.

Mas se assistir a um grande concerto de um fadista é com certeza uma experiência inesquecível, ouvir fado num restaurante típico lisboeta – foi precisamente nas tascas e tabernas da capital que o fado começou a ser cantado – tem igualmente um encanto especial. Selecionamos por isso as melhores casas de fado em Lisboa.
 

8 Casas de Fado em Lisboa que tem de conhecer


Adega Machado

machado
Fica no Bairro Alto e, à semelhança de quase todos os locais desta lista, aqui não se vem só para ouvir fado, mas para jantar ou petiscar também. É uma das mais antigas casas de fado ainda em funcionamento, de portas abertas desde 1937. Marco Rodrigues e Pedro Moutinho são algumas das vozes que vai poder ouvir aqui.
 


Sr. Fado

Uma casa pequena, acolhedora e com atendimento familiar, que tem ao leme o casal Marina e Duarte, que fazem de tudo um pouco. Aqui janta-se primeiro e depois, em silêncio, usufrui-se de momentos de emoção proporcionados por vozes poderosas, acompanhadas de excelentes tocadores de guitarra.
 


Tasca do Chico

chico
O sucesso desta casa de fado é tal que já não há só um espaço, mas dois: em Alfama e no Bairro Alto. Uma das vantagens desta sugestão é que não precisa de ir jantar – aliás, aqui só se petisca. Pode chegar depois do jantar e acompanhar a sessão de fados – que tanto pode ter vozes desconhecidas de grande valor, como fadistas de renome que aparecem de surpresa – com um bom copo de vinho.

Outra particularidade, que torna o espaço castiço, é que as mesas são partilhadas. Se a porta estiver fechada, aguarde, pois é sinal de que está a haver uma atuação e, uma vez que o espaço é reduzido, desta forma respeita-se os cantores e os músicos.
 


Parreirinha de Alfama

Não é generoso em termos de dimensões, pelo que é mais do que aconselhável fazer reserva - conselho que estendemos, aliás, a todas as sugestões deste roteiro. Conta com mais de 50 anos de atividade ao serviço do fado e por aqui passaram nomes como Alfredo Marceneiro e Amália Rodrigues.

Ambiente típico e gestão a cargo da fadista Argentina Santos.Não é generoso em termos de dimensões, pelo que é mais do que aconselhável fazer reserva - conselho que estendemos, aliás, a todas as sugestões deste roteiro.
 


Maria da Mouraria

mouraria
Uma casa de fados castiça, com ótimos petiscos e uma envolvente de bairro bastante genuína. Aliás, a localização não podia ser mais sugestiva: fica no Largo da Severa. A relação qualidade-preço é apontada por muitos como excelente, assim como o serviço simpático.
 


O Faia

Não é dos espaços mais baratos para se ouvir fado em Lisboa, mas é dos mais requintados. Normalmente, atuam quatro cantores diferentes e o jantar vai sendo servido nos intervalos das atuações. Fica no Bairro Alto.
 


Casa de Linhares

linhares
Não é das casas de fado mais sonantes da capital, mas tem recebido críticas muito positivas de quem a escolhe para vibrar com os sentimentos que esta música tão particular transmite. O espaço é acolhedor e está agora nas mãos da fadista Vânia Duarte. Fábia Rebordão e Jorge Fernando são outros nomes habituais por aqui.
 


Mascote da Atalaia

Uma taberna revivalista no Bairro Alto que sabe receber e onde se pode ouvir cantar e tocar bom fado. Aqui tanto pode jantar - o menu de petiscos é variado e inclui opções vegetarianas – como apenas beber um copo. A animação é garantida.

Veja também: