O que são certificados de reforma?

Saiba o que são e como funcionam certificados de reforma, para que possa tomar uma decisão acerca deste tipo de proteção quando se aposentar.

O que são certificados de reforma?
Juntam-se aos PPR para melhorar a nossa qualidade de vida no futuro

Quando chegamos a uma idade avançada, uma reforma de baixo valor não chega para tudo, pois as despesas essenciais que temos não diminuem, e podem até aumentar com a diminuição da nossa saúde. Para melhorar a nossa qualidade de vida após a aposentação, possuímos os Planos Poupança Reforma (PPR), ou os certificados de reforma, de que vamos falar neste artigo.


O que são?

Os certificados de reforma são um fundo de pensões do Estado lançado em 2008. São também conhecidos como “PPR do Estado”, e são essencialmente um complemente de pensão opcional, disponível a todos os trabalhadores que queiram ter mais algum dinheiro disponível quando chegarem à idade da reforma, ou em caso de invalidez absoluta.
 


Como funcionam os certificados de reforma?

Estes certificados funcionam através de contribuições mensais, que podem ser de 2% ou 4% do ordenado (incluindo subsídios). Existe também a opção de 6% para indivíduos que tenham mais de 50 anos. Após ter aderido e escolhido uma taxa, pode alterar a mesma na data de renovação, em fevereiro.

As contribuições mensais são depositadas numa conta em seu nome, gerida pelo Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, onde se tornam em certificados de reforma. A gestão das contribuições é definida de acordo com regras da política de investimento do mecanismo, que determina a valorização dos fundos.

Ao alcançar a idade de reforma, os fundos transformam-se numa fonte de rendimento vitalícia, a somar à sua pensão mensal. Terá também a opção de resgatar a totalidade dos fundos, e de acompanhar a evolução dos seus certificados de reforma através da Segurança Social Direta.

Atenção: apesar de poder acompanhar a evolução, pode apenas mexer nos fundos no caso de alcançar a idade de reforma, ou em caso de invalidez absoluta.
 


Como aderir

Para aderir, precisará de preencher o respetivo formulário, e de seguida dirigir-se a um serviço de atendimento da Segurança Social. Alternativamente pode fazê-lo através do telefone, pela Linha da Segurança Social: 300 502 502.
 


E se não puder pagar?

Previstas nas “PPR do Estado” estão algumas situações em que os aderentes podem vir a parar de contribuir. No caso de perder o emprego, de não trabalhar por ficar doente por um período superior a 30 dias, ou por invalidez relativa, por exemplo.

Pode, também, pedir para parar de contribuir. Este pedido terá de ser feito em fevereiro, e depois do mesmo continua a não ter acesso aos fundos já contribuídos até chegar à idade da reforma.

Veja também: