Ciclo menstrual: tudo o que precisa de saber

Há duas fases importantes que deve ter em conta quando o assunto é o seu ciclo menstrual. Sabe quais são? Descubra o que acontece ao seu organismo durante este período.

Ciclo menstrual: tudo o que precisa de saber
O que acontece ao corpo feminino durante esta fase?

A maior parte das pessoas associa o ciclo menstrual aos dias de sangramento, mas engana-se quem pensa que o corpo da mulher apenas sofre alterações durante esta fase. Ao longo de todo o mês, o organismo feminino muda e passa por diferentes momentos importantes. Entender mais sobre o assunto é fundamental para perceber as necessidades do seu corpo e saber mais sobre a fertilidade da mulher.

Descubra neste artigo tudo o que precisa de saber sobre o ciclo menstrual, desvende os seus mitos e verdades e saiba o que pode esperar das alterações que ele provoca ao corpo feminino.

O que é o ciclo menstrual?

Na verdade, o ciclo menstrual compreende todo o mês – sim, o antes, o durante e o depois do sangramento. Caracteriza-se por ter duas fases muito distintas – e igualmente importantes. A primeira delas tem início ao primeiro dia da menstruação e vai até ao 14º seguinte. É nesta fase que os médicos consideram acontecer as alterações mais importantes do ciclo.

A segunda fase vai do 15º ao 28º dia. Durante estes dias as mudanças sofridas pelo organismo podem provocar fadiga e algum sentimento de fraqueza nas mulheres – é a famosa Tensão Pré-Menstrual (TPM).

Os ciclos menstruais não são sempre iguais

A informação é reforçada constantemente por especialistas, mas ainda há quem faça confusão e acredite que todos os ciclos devem ser de 28 dias. Os médicos afirmam que este número é uma referência por ser o mais comum, mas consideram normal todos os ciclos que tenha uma duração compreendida entre os 21 e os 35 dias.

É normal que os dois ou três primeiros ciclos menstruais não sejam regulares, mas ao longo do tempo o organismo adapta-se às mudanças trazidas pelo ciclo menstrual e encontra o seu próprio período regular. Normalmente, após o primeiro parto, as mulheres observam uma maior regularidade nos seus ciclos, que tendem a estabilizar até aos 45 anos. Nesta fase, passa a ser normal o retorno da irregularidade, uma vez que o corpo se prepara para a menopausa.

As duas fases do ciclo menstrual

Existem duas fases distintas que podemos destacar durante o ciclo menstrual, e nela a mulher pode experimentar diferentes sensações e sintomas, como a melancolia, a tristeza, a euforia, a falta de apetite ou o apetite exagerado, e o aumento ou diminuição da libido. Todas as alterações são consideradas normais e devem-se ao ciclo de variações de duas importantes hormonas: a progesterona e os estrogénios.

Em regras gerais, cada fase dura metade do tempo de cada ciclo, ou seja: num ciclo de 28 dias, as fases vão ter a duração média de 14 dias, cada uma. Isto ocorre devido às alterações naturais e saudáveis que o ciclo menstrual provoca no corpo feminino. Ao fim do ciclo, o endométrio – camada criada para receber o feto – descama e é expulso através do período, voltando a regenerar-se em seguida.

A primeira fase do ciclo menstrual

A primeira fase do ciclo é contada a partir do primeiro dia de menstruação e vai até ao 14º dia, sendo considerada a parte mais importante deste período de preparação para uma possível gravidez. Cada período dura, em média, cinco dias (podendo oscilar entre os três e os sete dias).

Durante a primeira semana do ciclo menstrual, as defesas do organismo estão em baixa e a mulher sente uma quebra da sua energia natural. Em simultâneo, o período contribui para reduzir a retenção de líquidos e provoca algum alívio.

A segunda semana caracteriza-se por uma fase de energias renovadas, com menos cansaço e mais libido. É nesta altura que é mais provável ter sucesso ao iniciar uma dieta, por exemplo, e os estrogénios fortalecem e dão beleza à pele e aos cabelos.

A segunda fase do ciclo menstrual

Do 15º ao 28º dia ocorre a segunda metade do ciclo menstrual. É nesta altura que voltam a aparecer alguns sinais de desânimo e fraqueza, devido às alterações provocadas pelo aumento da progesterona.

Na terceira semana, esta hormona vai provocar alguma ansiedade e nervosismo, ressecar a pele e contribuir para o aumento da fome. É indicado que as mulheres procurem praticar atividades físicas  que possam ajudar a tranquilizar.

Na quarta semana do ciclo menstrual, e última, a síndrome da tensão pré-menstrual aparece e chega também a fase em que o corpo se ressente com a retenção de líquidos, podendo provocar inchaço, alterações intestinais e náuseas. A chegada do novo período põe fim ao desconforto e anuncia a contagem de um novo ciclo menstrual.

Quais são os dias férteis?

Todos os dias do ciclo menstrual podem ser férteis, mesmo os dias em que está presente a menstruação. Isso acontece porque a ovulação pode variar.

No entanto, quando os ciclos são regulares, é possível prever que exista uma maior probabilidade de gravidez a meio do ciclo, ou seja, ao 14º dia (quando o ciclo menstrual é de 28 dias). Os dias férteis vão ser os 4 anteriores e os 4 a seguir ao dia da ovulação – do 10º ao 19º dia.

Como evitar enganos?

Para evitar enganos e uma gravidez indesejada, só há uma receita: utilizar métodos contracetivos durante todo o ciclo menstrual. A pílula anticoncecional ou o DIU são as escolhas mais adotadas pelas mulheres. No entanto, é preciso redobrar as atenções quando o assunto envolve as doenças sexualmente transmissíveis. Para evitar o contágio, não deve abrir mão de um método contracetivo de barreira, como o preservativo.

O que provoca a irregularidade do ciclo menstrual?

  • Início da fertilidade (dois primeiros anos de ciclo menstrual);
  • Stress e problemas emocionais;
  • Distúrbios alimentares;
  • Excesso de atividade física;
  • Ovários policísticos;
  • Período após a gravidez;
  • Pré-menopausa;
  • Mudança da pílula anticoncecional;
  • Hipertireoidismo;
  • Pólipos, inflamação ou tumores.
  • Lembre-se: quando o ciclo menstrual não acontece por três meses, deve consultar o seu médico especialista e diagnosticar a causa da alteração.

 

Veja também: