Coimas de velocidade: quais os valores praticados em Portugal

Todos os condutores querem evitar as coimas de velocidade. Saiba quais os limites e os valores aplicados em Portugal.

Coimas de velocidade: quais os valores praticados em Portugal
Saiba o valor das multas em território nacional

De acordo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), nos primeiros meses de 2017, registaram-se 46.873 acidentes e morreram 166 pessoas. O excesso de velocidade continua a ser um dos principais fatores na origem de acidentes nas estadas portuguesas.

Se quer evitar coimas de velocidade e chatices com as autoridades, a solução é simples: cumpra os limites estabelecidos por lei. Para os mais distraídos e com o síndrome do “pé pesado”, fica um lembrete: as coimas de velocidade podem chegar aos 2500 euros.

Coimas de velocidade: limites e valores praticados em Portugal


Vamos ao que interessa: quais os limites estabelecidos pela lei portuguesa e quais os valores das coimas de velocidade aos condutores apanhados em infração.

Os limites de velocidade estão especificados no artigo 27 do Código da Estrada (CE). Assim sendo, estes são os valores admitidos por lei.

multas de transito

Coimas de velocidade: os valores

Os valores das coimas de velocidade estão estabelecidos e são aplicados pelas autoridades competentes.

a) Velocidade máxima ultrapassada até 20 km/h dentro das localidades
Contraordenação leve com uma multa entre os 60 euros e os 300 euros;

b) Velocidade máxima ultrapassada até 30 km/h fora das localidades
Contraordenação leve com uma coima entre os 60 euros e os 300 euros;

c) Velocidade máxima ultrapassada entre os 21 km/h e os 40 km/h dentro das localidades
Contraordenação grave com a aplicação de uma multa que pode ir dos 120 euros aos 600 euros. Pode ser aplicada a inibição da condução por um período de um mês a um ano;

d) Velocidade máxima ultrapassada entre os 31 km/h e os 60 km/h fora das localidades
Contraordenação grave punível com uma multa de 120 euros a 600 euros e, ainda, com a inibição da condução por um período de um mês a um ano;

e) Velocidade máxima ultrapassada entre os 41 km/h e os 60 km/h dentro das localidades
Contraordenação muito grave punível com multa de 300 euros a 1500 euros e a inibição da condução por um período de dois meses a dois anos;

f) Velocidade máxima ultrapassada entre os 61 km/h e os 80 km/h fora das localidades
Contraordenação muito grave com uma coima de 300 euros a 1500 euros e a inibição da condução por um período que pode ir dos dois meses a dois anos;

g) Velocidade máxima ultrapassada em mais de 61 km/h dentro das localidades
Contraordenação muito grave punível com multa de 500 euros a 2500 euros e a inibição da condução por um período de um mês a um ano;

h) Velocidade máxima ultrapassada em mais de 81 km/h fora das localidades
Contraordenação muito grave punível com uma coima de 500 euros a 2500 euros e a inibição da condução por um período de um mês a um ano.

As contraordenações graves implicam, ainda, a perda de dois pontos da carta de condução, enquanto as contraordenações muito graves subtraem quatro pontos à carta de condução.

Recorrer de multas: como fazê-lo

Para recorrer das coimas de velocidade deverá elaborar uma carta de defesa nos 15 dias seguintes ao registo da multa. Se a ANSR der razão ao condutor, o valor da coima é devolvido.

Se o valor da multa ultrapassar os 200 euros, é possível requerer o pagamento em prestações. De acordo com a CE, se as multas não forem executados no prazo de dois anos acabam por prescrever.

Veja também: