Comer melhor e poupar mais? Fizemos as contas

De acordo com a ciência, comer bem e poupar mais é sinónimo de seguir 9 passos simples. O melhor? Uma dieta equilibrada ajuda a poupar na conta do supermercado.

Comer melhor e poupar mais? Fizemos as contas
Vamos comer bem?

Quando falamos em reeducação alimentar, dietas e planos de emagrecimento, associamos o processo a consultas com especialistas, tratamentos estéticos, exames, suplementos, entre outros. Mas será que é possível seguir uma alimentação saudável e gastar pouco dinheiro com isso? Para a ciência, a resposta é apenas uma: sim. Tome nota de 9 passos simples para comer melhor e poupar mais.
 

A alimentação nacional

Pesquisas científicas revelam como o nosso corpo funciona e algumas das conclusões mostram como é possível comer bem sem gastar muito. Pelo contrário: consumir alimentos que fazem bem à saúde é mais económico. A informação tem sido amplamente divulgada pela Direção Geral de Saúde, que após estudos realizados junto à população, concluiu que a crise financeira levou ao aumento do número de obesos em Portugal. 

A cada grupo de 10 portugueses, 3 admitiram ter deixado de incluir alimentos essenciais por apresentarem dificuldades financeiras acrescidas. Isto acontece porque alimentos pobres em nutrientes e ricos em calorias são também acessíveis ao bolso. Com 1 milhão de adultos obesos e 3,5 milhões a atingir a obesidade, o país reúne armas para reverter a situação e mostrar que é possível fazer uma dieta saudável e low cost.

Veja aqui como pode comer melhor, pesar menos na balança, ter a saúde em dia e gastar menos. Faça as contas a partir das nossas dicas. 
 


9 passos para comer melhor e poupar mais

 

1. Esqueça o “lixo alimentar”

Evite o consumo de alimentos ricos em gordura ou açúcares e deixe o assunto para as ocasiões especiais. Tentações com alto valor enérgico são mais caras e péssimas para o organismo.     

As contas
Se parar para pensar melhor, vai perceber que lanches saudáveis custam bem menos. Que tal incluir na rotina palitos de cenoura, tomate cereja, bolachas sem creme ou frutos secos? Sabia que, ao fim de um mês, pode fazer uma economia de até 10 euros?
 


2. Faça do seu pequeno-almoço o famoso “bom e barato” 

A ciência provou que um pequeno-almoço reforçado ajuda a acelerar o metabolismo e faz o corpo funcionar melhor. Esta é a fonte de energias para enfrentar uma manhã na escola ou no trabalho e, seja para adultos ou para crianças, a regra é obrigatória: após acordar, nunca sair de casa sem comer bem. Este hábito, para além de saudável, evita que se gaste dinheiro desnecessário numa refeição mais calórica fora de casa. 

Faça o teste
O que sai mais barato: um copo de leite e um pão com manteiga em casa, ou uma meia de leite e um bolo no café da esquina? A segunda opção pode custar mais de 50 euros ao fim do mês, enquanto a primeira fica por menos de 10 euros.

 

3. Lanches saudáveis para levar para fora

As lancheiras saudáveis estão na moda e não vai encontrar dificuldades para encontrar companhia para almoçar ou lanchar no trabalho. Prepare refeições saudáveis em casa e fique atento aos número da DGS: comer fora e optar por doses açucaradas e ricas em gordura pode chegar a custar o dobro de uma marmita bem preparada em casa.

Dica do E-Konomista
Experimente economizar com 1 pão de mistura, de cereais ou de centeio e 1 pacote de leite meio gordo simples e gaste uma média de 0,44 cêntimos.
 


4. Sopa e fruta: coroadas à hora da refeição

De certeza já sabe: a sopa é uma das grandes aliadas de quem precisa de perder peso. Pobre em calorias e rica em nutrientes, ela também é uma receita de economia na cozinha. Para a sobremesa ou para o lanche, a sua peça de fruta favorita é excelente para concluir os rituais de uma alimentação saudável. 

Dica do E-Konomista
Fuja dos congelados e pré-preparados. Têm um custo acrescido e perdem valores nutricionais importantes. Opte pelos frutos nacionais da época e escolha não comprar legumes embalados. A poupança poderá chegar aos 65 euros ao fim do mês. 
 


5. Aposte na dieta mediterrânica

Ela já foi considerada uma das dietas mais saudáveis do mundo e continua a dar o que falar. Conhecida por valorizar o consumo das sopas, caldeiradas e ensopados, a dieta mediterrânica é uma grande aliada também de quem quer gastar menos. O segredo: evitar frituras e alimentos processados. 

Dicas do E-Konomista
  • Reduza a carne e privilegie a soja, as leguminosas e peixes como a cavala, a sardinha e o carapau, a poupança mensal pode chegar aos 45 euros.
  • Opte por comprar peixe e frango inteiros e esqueça os produtos de charcutaria pré-embalados. 
  • Escolha massas e arroz integrais, substitua os cereais pelos flocos de aveia e compre o pão do dia.
  • Compre embalagens de leite maiores e evite as caixas de 200ml. 
  • Compre packs de iogurtes com maior quantidade.



6. Deixe as calorias para a comida, não para os líquidos

Tem sede? Escolha beber água. Um estudo científico revelou que basta cortar refrigerantes da dieta para obter resultados no processo de emagrecimento. 

Dica do E-Konomista
Esperar ter muita fome para iniciar a refeição é garantia de colocar mais alimentos no prato. Para evitar que isso aconteça, beba muita água durante o seu dia e certifique-se de ingerir 400ml antes da hora de comer. Isto pode ajudar a perder até 2kg a mais, se comparado a quem não pratica o mesmo truque. 
 


7. Fique longe de restaurantes 

É muito mais provável que perca o controlo sentado à mesa de um restaurante, e já se sabe que em muitos deles a regra é servir porções mais generosas do que aquilo que pode ser visto como uma dose saudável. Se está a tentar comer melhor e gastar menos, leve a sua comida para o trabalho, por exemplo.

Dica do E-Konomista 
Para medir a quantidade ideal de comida a ingerir em cada refeição, compare cada porção ao tamanho do seu punho. 
 


8. Está com fome? Não vá às compras

Encarar os corredores do supermercado com fome é a receita mais provável para comprar o que não deve – e gastar mais. Ir às compras com o estômago vazio pode significar comprar mais 1/3 de “porcarias” não saudáveis e inimigas do bolso.
 


9. Uma boa noite de sono não custa nada

Um estudo chegou a resultados curiosos: quem dorme menos tem maior tendência a não resistir às tentações à mesa. Dormir mais, por outro lado, faz com que o cérebro não necessite desta “recompensa”.

Veja também: