Como diversificar os riscos de investimento

Todos os investimentos têm associado risco e retorno. Normalmente o risco e o receio de perda são demasiado fortes…   A diversificação de investimentos possibilita reduzir o risco e aumentar o retorno de uma carteira de investimentos. Não coloque os ovos todos no mesmo cesto e compre produtos não relacionados entre si.

Como diversificar os riscos de investimento
Como melhorar a relação entre risco e retorno de uma carteira?
  • Investir em produtos não correlacionados
  • Invista também em produtos com retorno garantido

A imagem mais conhecida dos mercados financeiros é a imagem dos corretores financeiros em Wall-Street, o principal mercado de ações do mundo. Uma imagem de pessoas a gritar para comprar e vender diferentes ações a diferentes preços. Essa imagem vale por mil palavras e chama-nos a atenção para o carácter emotivo dos investimentos, visível em dois sentimentos distintos:

  • Ganância – Todos querem ganhar dinheiro;
  • Medo – Ninguém quer perder.

De modo a evitar oscilações nestes dois estados de espírito é sempre recomendável uma boa diversificação dos investimentos, uma recomendação frequente que não resulta apenas da sabedoria popular mas que foi inclusivamente estudada matematicamente (Harry Markowitz nos anos 50 do século XX). Esta recomendação, aliás, visa melhorar a relação entre o risco que corre e o retorno obtido.

Não colocar os ovos todos no mesmo cesto:

A imagem da diversificação costuma ter associada a metáfora dos ovos no cesto. Diz-nos que devemos colocar os investimentos em diversos produtos de modo a que:

1. As descidas de uns sejam compensadas pelas subidas de outros;
2. Assumindo que no longo prazo os investimentos tendem para valorização.

Contamos-lhe um “segredo”…

O segredo para uma boa diversificação consiste na capacidade do investidor selecionar e investir em produtos que cujo comportamento não seja relacionado. Em linguagem estatística fala-se na correlação:

  • Se em média as ações do BCP sobem 1% e as ações do BES sobem 0,7%, diz-se que os títulos são correlacionados (o que é lógico dado operarem no mesmo país e no mesmo setor de atividade);
  • Se em média as ações do BCP sobem 1% e as ações da PT caem 0,5%, diz-se que os títulos são descorrelacionados.

Na diversificação, o que interessa é a relação do retorno dos vários produtos e não tanto se temos 20 ou 30 produtos distintos. Naturalmente que tendo uma carteira com diversos produtos distintos é provável que tenhamos alguma diversificação. No entanto, podemos sempre melhorá-la com alguma análise e estudo. E nunca se esqueça que a sua carteira deverá sempre ter um produto cujo retorno seja “garantido” ou certo, como os depósitos a prazo ou os certificados de aforro.

Veja também: