AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Como falar dos pontos fracos na entrevista de emprego?

Conheça alguns truques para falar dos pontos fracos na entrevista de emprego, sem recorrer a clichés e sem prejudicar a sua imagem.

Como falar dos pontos fracos na entrevista de emprego?
Em apenas cinco dicas vai saber como ultrapassar esta dificuldade.

Está numa entrevista de emprego, tudo está a correr bem e, de repente, eis que se vê perante uma das perguntas mais temidas dos candidatos. Afinal de contas, quem gosta de falar dos pontos fracos na entrevista de emprego?
 

Como responder?

Sim, a pergunta é muito frequente nas entrevistas de emprego e pode surgir sob as mais diversas variações. “Quais são os seus pontos fracos?”, “fale-nos dos seus pontos fracos”, “há algum ponto ou problemas que devemos conhecer?” ou “que dificuldades ou frustrações experienciou nas suas experiencias profissionais recentes?”. Mais ou menos diretas, todas estas formulações pretendem apenas uma coisa: determinar as fraquezas dos candidatos.
 
Todos sabemos quão stressante pode ser uma entrevista de emprego e quando chega a altura de falar dos pontos fracos a tendência é para piorar. Afinal, estão a perdi-lhe que exponha a suas falhas em termos profissionais e que – dependendo da sua resposta – pode ditar a sua seleção ou exclusão. E se não estiver devidamente preparado há uma forte probabilidade de se “espalhar ao comprido”. Para evitar que isso aconteça, deixamos-lhe algumas dicas.
 

1. Tenha plena noção dos seus pontos fracos

Para poder falar dos seus pontos fracos e dos fortes, é importante que os conheça a fundo. Todos os temos. E mesmo que não seja capaz de os identificar sozinho pode sempre pedir às pessoas que o rodeiam que o ajudem nessa tarefa. Mas acima de tudo, tenha sempre em mente que não basta estar certo dos seus pontos fortes. Um bom profissional deve estar sempre ciente das suas mais-valias e das suas fraquezas.
 

2. Não leve a resposta memorizada

Pegue no ponto anterior e pense: se realmente está ciente das suas qualidades e defeitos, dos seus pontos fortes e dos seus pontos fracos, não será difícil falar sobre o assunto. Lembre-se que o entrevistador está a tentar conhecê-lo para avaliar se realmente tem aquilo que procuram num candidato e isso só é possível se for verdadeiro e não uma personagem criada antes de entrar para a entrevista e cheio de respostas previamente ensaiadas.  Preparar-se não significa criar um guião que vai memorizar para debitar depois na entrevista. Até porque as suas respostas devem adaptar-se ao rumo da conversa, algo que só é possível se for natural.
 

3. É suposto ser honesto (mas com precaução)

Ou seja, é claro que deve mencionar os seus pontos fracos, mas deve ter cuidado para não cometer o erro de crasso apontar aptidões essenciais para a função a que se candidata como as suas maiores fraquezas. Por exemplo, dificilmente alguém que se esteja a candidatar para a área publicitária, mas que diga que o seu ponto fraco é a criatividade, tem grandes hipóteses de ser selecionado.
 

4. Evite clichés

Ou melhor, fuja deles a “sete pés”. Por mais tentado que se sinta a "embelezar a pintura", lembre-se que deve ser natural e honesto nas suas respostas. Portanto, respostas como “sou perfecionista”, “presto demasiada atenção aos detalhes” ou “trabalho demais”, são exemplos de tudo o que não deve dizer. Acredite, são algumas das coisas que os recrutadores mais ouvem e menos acreditam. Ninguém é perfeito e os recrutadores sabem disso e, como tal, esperam ouvir respostas verdadeiras. Quando lhe pedem para falar dos seus pontos fracos, querem saber se é ou não capaz de reconhecer e ultrapassar as suas fraquezas. Portanto, se quer captar a atenção dos seus recrutadores, seja franco e fale dos seus pontos fracos (reais); dê exemplos de situações concretas (passadas) e da solução que encontrou para solucionar o problema.
 

5. Pontos fracos sim, mas apenas em termos profissionais

São muitos os candidatos que "misturam as águas”. Se está numa entrevista de emprego e são as suas competências profissionais que estão a ser avaliadas, isso também é válido para os seus pontos fracos. Os seus recrutadores querem conhecer os pontos em que possa revelar mais dificuldades, apenas porque querem perceber se é ou não capaz de os ultrapassar. Esteja pronto para falar das suas fraquezas, mas apenas a nível profissional. Tudo o que possa estar relacionado com os seus “dramas pessoais” guarde para si.
 

Perguntas & respostas

Perguntas como “fale-nos sobre si”, “porque deixou o seu último emprego?” ou “porque devemos contratá-lo?”, são apenas alguns exemplos daquilo que - muito seguramente - pode ser o tema de conversa durante uma entrevista de emprego. E se essas já o assustam, certamente vai sentir os nervos tomarem conta de si, quando lhe pedirem para falar dos seus pontos fracos. Mas como viu, todas as perguntas têm uma resposta e cabe-lhe a si estar a postos para dar a sua.
 
Veja também: