Como fazer um cabaz de alimentos barato para uma família

Gasta mais no supermercado do que gostaria? Tome nota destas dicas simples para conseguir um cabaz de alimentos barato e poupe connosco! 

Como fazer um cabaz de alimentos barato para uma família
O que deve fazer para o conseguir.

Chega ao final do mês, faz as contas, e grande parcela do orçamento foi gasto na alimentação. Por mais que tente, mês após mês, não consegue reduzir a fatia e, não há como fugir, a sua família tem que comer. É possível conseguir um cabaz de alimentos barato mas, para isso, vai ter que mudar alguns hábitos e perder algum tempo a procurar alternativas aos seus fornecedores habituais. O que vale é que basta fazer esta pesquisa uma vez. 
 

6 Coisas que deve fazer para conseguir um cabaz de alimentos barato 

1. O primeiro passo para conseguir um cabaz de alimentos barato é muito simples e eficaz: basta tirar 15 minutos para planear a ementa semanal ou mensal - só custa a primeira vez.
Acredite quando lhe dizemos que vai, mesmo, poupar muito tempo e dinheiro (mesmo!). Acabam-se as compras por impulso e, assim, consegue uma alimentação mais equilibrada e saudável.


2. Se seguiu o primeiro passo, o segundo está simplificado: faça uma lista de compras e nunca vá para o supermercado sem a levar. Que dica básica, estão a pensar desse lado, certo? É verdade. Mas as coisas mais simples, são as mais certas. E se faz as contas e confirma que está a gastar mais do que gostaria, então, é porque tem que começar a introduzir algumas dicas básicas na sua vida.


3. Analise todos os folhetos dos supermercados da sua zona, selecione aquilo que lhe faz falta e compare os preços entre eles antes de comprar. Em alguns distritos, a diferença de preços é de quase 20%! Segundo um estudo da DECO, na guerra dos preços baixos, o Jumbo mantém a liderança e, dependendo da zona do país, pode conseguir uma poupança anual de 350 euros (já paga o seguro do carro!). Em segundo lugar está o Pingo Doce, na terceira posição está o Continente.


4. Nos últimos anos, muitos talhos aderiram à promoção “saco cheio” e a verdade é uma: compensa! Faça a experiência. Acaba por encontrar mais oferta, carne mais fresca e ainda leva de bónus um atendimento personalizado. Por 20 euros, dependendo do número de pessoas que vivem consigo, consegue fazer refeições para, pelo menos, duas semanas.


5. Sabemos que os preços dos frescos nos supermercados, aliados à comodidade do serviço, são tentadores mas… já foi espreitar os preços da mercearia da sua rua, a feira semanal da sua terra ou o mercado de biológicos? Fizemos a experiência e sabemos que vai conseguir preços mais baixos do que nas grandes superfícies. Além disso, disso são mais frescos, menos mexidos e mais saborosos.


6. Se tem a sorte de viver numa zona onde se mantém a tradição de acordar com a buzina da peixeira pela manhã, aproveite! Não há peixe mais fresco, chegado directamente da lota que ainda vem a saltar nas caixas. Com toda a certeza, mais em conta do que no supermercado.

Não sendo possível, procure uma peixaria pela sua zona (ainda as há) ou, no limite, para conseguir um cabaz de alimentos barato, opte pelo peixe congelado em alto mar que encontra nos supermercados.
 
Veja também: