Como fazer um orçamento familiar

Fazer um orçamento familiar no início do mês é a primeira medida para ter as finanças pessoais em ordem. Veja as dicas para organizar os seus gastos.

Como fazer um orçamento familiar
Faça um orçamento para evitar surpresas

Criar um orçamento familiar implica maior dificuldade do que um orçamento pessoal, uma vez que será necessário determinar tanto as necessidades, como as despesas, de várias pessoas.

Para poder determinar o que cada elemento do agregado familiar pode gastar, o melhor será reunir todos os elementos da família.
 

Dicas para organizar o orçamento familiar

 

1. Faça uma reunião familiar

Comece por fazer uma reunião familiar logo no início do mês para melhor definirem as prioridades, para saber quanto está a ser gasto e em quê e quanto dinheiro terá de ir para onde. Se tem filhos será uma ótima oportunidade para lhes ensinar a gerirem as suas finanças pessoais com cuidado e de forma responsável.

 

2. Crie categorias de despesas

Crie categorias e associe-lhes pequenas despesas que terá ao longo do mês, por exemplo:
  • Habitação: crédito habitação ou renda, seguros, luz, água, gás, TV e internet, manutenção e IMI;
  • Alimentação: comida e refeições fora;
  • Transportes: seguro automóvel, gasolina, crédito automóvel, passes, estacionamento, imposto automóvel, revisões e portagens.
  • Educação: manuais, material escolar, fotocópias, propinas e visitas de estudo;
  • Saúde: consultas, farmácia, análises, exames e seguro de saúde;
  • Vestuário: roupa, calçado, lavagens a seco e arranjos;
  • Lazer: férias, desporto, livros, cinema, teatro, música, escapadinhas;
  • Despesas pessoais: cabeleireiro, telemóvel, seguro de vida.
 

3. Crie uma categoria para a poupança

Categorize todas as despesas, bem como a poupança. Afinal, não se pode esquecer de colocar algum dinheiro de lado e fomentar a poupança. Esse dinheiro pode ser importante para fazer face a imprevistos e despesas extra, evitando assim recorrer a créditos pessoais e empréstimos.

Tratar a poupança como uma despesa fixa facilita o processo, pois esta deixa de ser vista como uma mera possibilidade mas sim como uma verdadeira obrigação. Seja realista quanto a esta categoria. Por muito pouco que seja o dinheiro que vai para a poupança, este continua a ser uma contribuição.

 
Ponha-se a par da nova tecnologia: uma oferta destas não se pode recusarSaiba mais...

4. Defina despesas essenciais e secundárias

Agora está na altura de saber qual é o dinheiro que não está a ser bem gasto. Com toda a família, analise as categorias que foram definidas e as despesas nas mesmas, e faça por encontrar uma solução que vá reduzir a despesa da família.

 

5. Crie objetivos

Para que o orçamento familiar tenha um propósito além de controlar o que acontece ao dinheiro, faça por criar objetivos a serem cumpridos de modo a que o dinheiro seja bem gerido. Se assim for, não só educará os seus filhos como também terá mais dinheiro disponível ao final do mês (assumindo que tem sucesso com estes objetivos).

 

6. Faça por reduzir todas as despesas

Depois de ver como pode poupar através das despesas essências e secundárias, tente melhorar o seu orçamento familiar e reduza nas despesas tanto quanto possível. A alimentação, por exemplo, é essencial, mas pode reduzir a despesa nesta categoria ao comprar produtos de marca branca e a escolher os restaurantes mais económicos.

Ao reduzir as despesas comece por focar-se em áreas especificas em vez de tentar abordar as despesas de modo geral. Comece com uma categoria e faça o melhor que conseguir para a reduzir em, pelo menos, 10%.

 

7. Determine quanto dinheiro pode ser gasto

Agora basta dar uma vista de olhos ao dinheiro que cada um pode ou não gastar para que os compromissos financeiros não sejam ignorados. É importante definir não só quanto cada elemento pode gastar, mas também quanto é que cada elemento não pode gastar.

Não se esqueça que o lazer também faz parte da vida e não pode ser negligenciado.

 

8. Analise os resultados

Quando chegar o fim do mês faça mais uma reunião familiar para reverem os resultados obtidos. Veja o que correu bem e o que correu mal, e tente encontrar soluções para o que correu mal, tentando também melhorar o que correu bem.

 

Poupança familiar

É muito importante manter um orçamento familiar quando este é inicialmente definido, visto que é esta a ferramenta que permite poupar e aprender. Para toda a família isto pode ser uma tarefa difícil, logo faça os possíveis para que todos os elementos da sua família tenham uma atitude positiva face ao orçamento que é definido.

Não se esqueça que terá objetivos definidos e que a grande finalidade do orçamento familiar não é o controle, mas sim a melhoria no que toca à gestão do dinheiro. Não interessa quem está a gastar mais dinheiro, interessa como pode essa despesa ser reduzida sem grande impacto na qualidade de vida de toda a família.

Importante: A criação de um orçamento familiar poderá ajudar cada elemento da família a interiorizar as suas reais possibilidades financeiras e dessa forma melhorarem o próprio comportamento relativamente às finanças pessoais.
Não deixe que as últimas novidades digitais lhe passem à frente - ofereça um presente a si mesmo >>
  Veja também: