AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Como ficar com o emprego sem as qualificações necessárias?

Mesmo que não tenha as qualificações, não significa que não tenha a experiência ou os conhecimentos necessários. Saiba como pode conseguir um emprego sem as qualificações necessárias. 

Como ficar com o emprego sem as qualificações necessárias?
Pode ser difícil, mas não é impossível.

Imagine este cenário. Depois de longas semanas, dia após dia e horas intermináveis a analisar anúncios de emprego eis que aparece aquele que é o emprego ideal. E de repente é inundado por uma onde de entusiasmo e mesmo sem ler toda a descrição está decidido a candidatar-se, mas… logo a seguir surgem os requisitos do perfil e percebe que não tem as qualificações exigidas. E assim de repente leva com um “balde de água fria” e acaba-se o entusiasmo. Mas ainda que possa ser difícil, não significa que seja impossível. Saiba o que pode fazer para ser selecionado para um emprego sem as qualificações necessárias.


Vá além das qualificações

Quando se depara com um oferta para a qual não tem as qualificações exigidas é normal que se questione se deve ou não candidatar-se. Pois bem, se tem a experiência e os conhecimentos, porque não? Cada caso é um caso e cada recrutador é um recrutador. Se há quem se limite a olhar para o Curriculum Vitae (CV) do candidato e identificar as características listadas no anúncio, outros há que vão mais além e procuram analisar as mais-valias dos candidatos. Se decidir avançar a sua missão é chamar a atenção do recrutador para o seu potencial e não para as suas qualificações. Veja como.


1. Esmere-se na sua carta de apresentação

A sua carta de apresentação deve ser um complemento do seu CV. É nela que deve destacar as suas competências, a experiência profissional e as principais conquistas em termos profissionais que possam ser relevantes para a posição a que agora se candidata.


2. Destaque as suas conquistas

Os seus “feitos” em termos profissionais são a prova da sua experiência profissional e das suas competências. São estas conquistas que vão fazer a diferença na hora da candidatura, porque demonstram ao seu recrutador que mesmo não tendo as qualificações está à altura do cargo.


3. Realce as competências transversais

As competências transversais são muito importantes, visto que podem ser úteis em vários departamentos e/ou funções, projetos ou circunstâncias do dia-a-dia de trabalho. Isso significa que lhe conferem aptidão para desempenhar tarefas distintas e até preencher lacunas existentes numa determinada equipa/grupo. Ou seja, se for capaz de enfatizar esse conjunto de competências perfila-se como um candidato apto para dar resposta a múltiplas necessidades e não apenas a um perfil “fechado”.


4. Envie as melhores referências profissionais

É bem conhecida a importância das referências profissionais no mercado de trabalho atual. Por isso, se o seu perfil não espelha os requisitos exigidos no anúncio, use as suas referências para mostrar que mesmo assim é o candidato ideal. Estas referências não só atestam as informações que constam do seu CV e da sua carta de apresentação, como ainda confirmam o seu valor profissional.


5. Pense “fora da caixa”

Se a candidatura convencional não resultar pode sempre tentar usar alguma criatividade para chamar a atenção dos recrutadores. Pode, por exemplo, dirigir-se à empresa para tentar chegar à fala com os recrutadores e mostrar-lhes o que faz de si um candidato à altura.


E se não for desta será na próxima!

Só para o tranquilizar, saiba que uma grande percentagem dos anúncios de emprego não especificam as qualificações exigidas. Mas mesmo nos que referem, essa lista de requisitos serve – muitas das vezes – para dar ideia do que se pretende num candidato, embora isso não feche as portas a outros candidatos.

Não preencher os requisitos do anúncio não anula as suas hipóteses, desde que tenha competências e conhecimentos (claro!) para tal. E depois, não custa tentar. Na pior das hipóteses ouve um “não” e parte para outra.


Veja também: