Como investir no curto prazo?

O investimento no curto prazo deverá ser feito em produtos muito conservadores, de modo a evitar correr o risco de perder grande parte do seu dinheiro sem ter tempo de recuperar.

Como investir no curto prazo?
Conheça alguns produtos ideais para o investimento até um ano
  • Depósitos a prazo;
  • Certificados de Aforro;
  • Papel Comercial e Obrigações;
  • Fundos de obrigações.

Os consultores financeiros costumam dizer que o horizonte temporal de investimento tem de estar alinhado com os produtos que escolhemos para investir. Na prática, isto será o mesmo que dizer que devemos ter cuidado para não investir em produtos que possam perder muito dinheiro num curto espaço de tempo. Imagine o que seria precisar do dinheiro dentro de 1 mês e comprar ações de uma empresa que entretanto desvaloriza 20%…

PONTO-CHAVE:
O aforro ou investimento no curto prazo exige uma escolha cuidada dos instrumentos financeiros. Quem investe para o curto prazo privilegia a preservação de capital pelo que não pode esperar grandes taxas de retorno.
Sendo certo que a sua estratégia deve estar alinhada com o seu perfil de risco e com o seu horizonte temporal de investimento, resta conhecer os produtos ao seu dispor para o investimento no curto prazo (até um ano), sempre conscientes que o curto prazo é caracterizado por taxas de retorno muito baixas:


Depósitos a prazo:

Os depósitos a prazo são empréstimos feitos por uma entidade (seja um particular ou uma empresa) a uma instituição financeira. O risco de quem empresta é perder parte ou a totalidade do seu dinheiro. No entanto, quem empresta aos bancos tem um fundo de garantia de depósitos que cobre capital e juros até um máximo de 100.000€. Veja como escolher o melhor depósito a prazo.


Certificados de Aforro:

Os certificados de aforro são empréstimos das famílias ao Estado. Mais uma vez, ao emprestar dinheiro ao Estado tem o risco do Estado “ir à falência” e não lhe pagar o seu dinheiro de volta. Como este risco é muito residual, as taxas disponibilizadas nestes certificados são tipicamente baixas (apesar de atualmente a taxa ser atrativa).


Também lhe pode interessar: É um investidor conservador? Saiba onde investir.


Papel Comercial e Obrigações de curto Prazo:

Estes instrumentos financeiros consistem em empréstimos de curto prazo a empresas e/ou sociedades financeiras. Costumam ser boas alternativas de investimento para quem quer aplicar os seus fundos com baixo risco. No entanto, estão apenas reservadas a investidores com montantes de investimento mais elevados.


Fundos de Obrigações:

O investimento em obrigações pode ser feito através de fundos de investimento, o que acaba por ser bastante mais interessante pois permite uma maior diversificação do risco e o acesso a instrumentos financeiros a partir de montantes muito reduzidos.
Em próximos artigos iremos descrever com maior detalhe os vários instrumentos ao dispor mas nunca se esqueça que o investimento no curto ao ter retorno mais seguro tem taxas mais baixas.


Veja também: