Como investir no longo prazo?

Investir no longo prazo envolve uma estratégia coerente e a escolha dos produtos mais adequados. Neste artigo falamos de obrigações de empresas e de ações, produtos que deverão constar na sua carteira diversificada.

Como investir no longo prazo?
Invista em produtos com mais risco para obter mais retorno
  • Obrigações de empresas podem dar bons retornos
  • Ações são adequadas para o longo prazo
  • Diversifique os seus riscos

Tendo já abordado o investimento para o curto prazo, onde defendemos o recurso a produtos com baixo nível de risco, como sendo os certificados de aforro, os depósitos a prazo, o papel comercial ou os fundos de obrigações, iremos focar a nossa atenção nos produtos para o longo prazo.


TOME NOTA:
Se investir para o longo prazo significa que está a dar tempo ao dinheiro para este “trabalhar por si”.
Se não tiver a necessidade de movimentar o seu dinheiro nos próximos três a quatro anos poderá investir em produtos um pouco mais arriscados. Quem investe para o longo prazo tem o objetivo de procurar mais retorno pois pode ficar mais tempo à espera que o "dinheiro trabalhe para si".


Obrigações de Empresas:

Contrariamente ao que muitas pessoas pensam, é possível emprestar dinheiro às empresas. Ser o banco da empresa. Isto é possível através de obrigações financeiras que não são mais do que empréstimos em que a empresa se compromete a pagar ao seu credor uma determinada taxa de juro (chamada de cupão) em determinados prazos.


O risco das obrigações é o da empresa não pagar o valor em dívida, o que acontecerá em situação de falência. Sendo uma situação rara não deixa de ser uma possibilidade a ter em conta.

Adicionalmente, se investir em obrigações procure manter a obrigação até ao final do prazo de modo a não correr o risco de mercado. Atenção, também, ao comissionamento. Para baixar as comissões poderá recorrer a fundos de investimento que são também boas alternativas no contexto da diversificação.


Ações:

Uma segunda alternativa para o investimento no longo prazo são as ações. Uma ação é uma pequena parte representativa do capital de uma empresa. Ser detentor de uma ação dá o direito a um dividendo (caso a empresa pague), dá direito a beneficiar da criação de valor da empresa (que resulta na valorização das ações) e possibilita a escolha da equipa de gestão.

O investimento em ações costuma estar envolto de algum nervosismo e receio. É um facto que muitos olham para o investimento em ações como um jogo, o que é errado e é meio caminho andado para o prejuízo.

O risco de investir em ações é elevado. No entanto, diz-nos a história que o investimento numa carteira diversificada de ações tem resultado em retornos muito interessantes. Mais uma vez, se não tiver o tempo nem a capacidade financeira para o investimento direto, pode sempre recorrer a fundos de investimentos que diversificam o risco e são geridos por profissionais.


Leia também: