Como investir para a reforma

Investir para a reforma envolve algumas regras que terá de conhecer e aplicar para aumentar a probabilidade de atingir os seus objetivos. Conheça as nossas cinco regras de ouro!

Como investir para a reforma
É urgente começar a poupar hoje para a reforma. Contudo, é também essencial investir.

No nosso artigo "Como Poupar para a Reforma" abordamos três fatores essenciais para aumentar a probabilidade de acumular algum património para a sua reforma. Falámos de três fatores fundamentais:
  • Importância de começar a poupar o quanto antes;
  • Adequar o risco da carteira à sua idade;
  • Procura por esquemas de poupança automáticos.
 
Tendo acumulado património e tendo já enraizados hábitos de poupança regular, sugerimos que se foque em algumas ideias essenciais para aumentar o retorno da sua carteira.
 

Nunca perder dinheiro!

A primeira regra no mundo dos investimentos consiste em nunca perder dinheiro. Claro... quem não gostaria de investir sabendo que vai sempre ganhar dinheiro? Sendo óbvio, deverá estruturar a sua carteira de investimentos tendo em atenção que a preservação de capital é um fator fundamental. Para ter uma ideia da importância desta regra, imagine duas situações:
  • Perdeu 20% da sua carteira. Logo, para voltar ao ponto inicial necessita de ter uma valorização de 25%;
  • Perdeu 50% da sua carteira num ano. Assim, para voltar ao ponto inicial a sua carteira terá de valorizar 100%.
 

Diversifique os seus riscos:

A segunda regra que se destina a reforçar a ideia de nunca perder dinheiro consiste na diversificação da sua carteira por diversos ativos, de modo a proporcionar um bom nível de retorno mas sem assumir riscos específicos. Por exemplo, não fará muito sentido ter a sua carteira de investimento para a reforma toda investida em ações de duas ou três empresas...
 
 

Compre alguns ativos com capital garantido:

Uma parte da sua carteira deverá estar investida em ativos com capital garantido. No E-konomista temos abordado com alguma recorrência a atratividade dos certificados de aforro e dos certificados de tesouro poupança mais, dois produtos de aforro comercializados nos CTT e que são os produtos mais interessantes em termos de retorno. Muitos portugueses optam por depósitos a prazo mas é fácil comprovar que os depósitos a prazo são muito menos rentáveis do que estes produtos!
 
 

Compre Planos Poupança Reforma (PPR):

Uma quarta ideia para investir para a reforma passa por aproveitar os benefícios fiscais dos produtos de investimento disponíveis no mercado. Muitas pessoas olham para os PPR e acreditam que não têm qualquer benefício fiscal. Se é certo que houve tempos em que os benefícios fiscais à entrada eram muito interessantes, também é certo que os benefícios fiscais ainda se revelam como muito atrativos. Por exemplo, a taxa de imposto sobre os lucros é significativamente mais baixa do que nos restantes produtos, sendo que apenas terá de pagar os seus impostos quando levantar o seu dinheiro (nos restantes produtos geridos pelas sociedades gestoras portuguesas, os impostos são pagos todos os anos pelo fundo de investimento). Saiba mais sobre os PPR.
 
 

Não espere pelo Estado!

A quinta ideia e que está na base da nossa defesa pela urgência de começar a poupar e investir para a reforma consiste no facto de as reformas proporcionadas pelos esquemas de segurança social irem reduzir-se significativamente. Na realidade, os últimos estudos apontam para que as reformas dentro de algumas décadas venham a ser, no máximo, 50% do último salário. Imagine o que será ter de repor 50% do seu último salário, apenas para manter o mesmo nível de vida...
 
Apesar de muitas pessoas se encontrarem a uma distância considerável do seu momento de reforma, é fundamental começarem-se a preocupar já hoje com essa realidade. Quando mais cedo atuarmos maior será a probabilidade de atingirmos os nossos objetivos. Não concorda?
 

Veja também: