Como melhorar a memória em 9 passos

Quando ela falha, é certo que o dia a dia não será o mesmo. Sabe como melhorar a memória e manter a saúde das suas lembranças? Existem truques para isso.

Como melhorar a memória em 9 passos
Dicas para ter uma memória de elefante

Ela é uma das funções mais importantes e complexas que o cérebro humano comanda. Quando as dificuldades para armazenar e encontrar dados aparecem, todo o rendimento cai e a vida social, profissional ou académica não será mesma. Mas será que podemos encontrar formas de fortalecer as nossas capacidades de ter lembranças? Saiba como melhorar a memória em 9 passos simples.

O ritmo de vida que as sociedades de hoje assumem como normal é um dos maiores fatores que influenciam no enfraquecimento da memória. Quando o cérebro não tem o mesmo controlo sobre esta função, é certo que os resultados serão incómodos e não interessa saber a classe social ou a faixa etária de quem é afetado. O problema alcança qualquer um.

40% dos adultos em todo o mundo já se queixou de dificuldades relacionadas à memória. E isso inclui uma boa fatia de população jovem. Um número que é, no mínimo, alarmante. Na maior parte dos casos a dificuldade não deriva de qualquer doença cerebral, o que nos leva mais uma vez a ponderar os fatores sociais que colocam a memória em causa. 
 

Como melhorar a memória e mudar o ciclo

Ao saber como funciona o processo de fixação de dados e evocação dos mesmos, conseguimos melhorar a capacidade de respostas que a nossa memória nos dá. A ciência já sabe que o processo de memorização tem início com a perceção de um determinado estímulo, por isso, o conselho dos especialistas é ter atenção aos sinais e saber destacá-los entre outros.

Ou seja: fazer com que o cérebro saia do modo automático e passe a dar importância aos acontecimentos, de forma a atribuir relevância ao estímulo e, por fim, memorizá-lo.

O cérebro só é capaz de fixar aquilo que considera importante, por isso mesmo, quando a rotina diária envolve fazer coisas à pressa, torna-se impossível deixar que a mente tenha a capacidade de enaltecer uma situação e guardá-la nas lembranças. Mas o processo da memória não encerra por aí. Após o cérebro fixar determinado estímulo, é preciso termos a capacidade de “chamar” a lembrança quando é preciso. Esta função da memória é chamada de evocação. Para exercê-la em condições, o cérebro precisará encontrar um rasto de memória, ou viver uma situação que esteja ligada ao fato já armazenado anteriormente. Muitas vezes há falhas na evocação e não conseguimos ir buscar uma memória na altura certa.



Qual o segredo de uma boa memória?

São muitos os segredos, mas uma boa capacidade de memorização está relacionada à qualidade do estímulo e ao fato de a pessoa que o recebe estar apta para o armazenar. Para um estímulo ser considerado adequado, ele precisa ser intenso, repetido e relevante. 

Deve estar a pensar como tornar-se numa pessoa capaz de receber os estímulos e guarda-los de forma eficaz. Existem 9 passos simples que pode seguir para fortalecer e energizar a sua memória. Tome nota.
 


9 dicas para melhorar a memória

 

1. Proporcione a si mesmo um ambiente adequado

Para estimular as capacidades da sua memória, é essencial que ofereça ao seu cérebro o melhor ambiente para trabalhar. Sítios iluminados, silenciosos e organizados são os mais apropriados porque fazem com que o cérebro consiga identificar de melhor forma o estímulo que lhe interessa. Assim, a função de memorizar é facilitada.
 

2. Faça uma coisa de cada vez

O principal erro praticado hoje em dia é fazer diversas coisas ao mesmo tempo. Quando o cérebro é ocupado com várias atividades em simultâneo, deixa de estar atento ao estímulo relevante. Priorize cada momento, resolva um problema de cada vez e seja capaz de desligar-se do resto à volta. Desta forma, episódios de esquecimento serão reduzidos e tornar-se-ão cada vez mais raros. 
 

3. Descanse 

Para o cérebro render mais, ele precisa de descanso. Esta é uma regra básica. Durma 8 horas sem interrupções e não abra mão de um sono com qualidade. Não esqueça de tirar as suas férias e não adie por longos períodos. A cabeça, assim como o corpo, precisa de pausas. Determine um tempo para praticar atividades de lazer, pois elas também evitam os lapsos de memória. 
 

4. Alimente-se bem

Sabia que a qualidade da sua dieta tem efeito direto sobre a sua capacidade de memorização? Faça pequenas refeições, várias vezes ao dia, e dê prioridade aos alimentos de fácil digestão. Um processo digestivo que exija maior esforço pode deslocar o fluxo sanguíneo para suprir as necessidades dos intestinos, e assim o cérebro fica mais preguiçoso. 
 

5. Medicamentos para ajudar a dormir? Fuja deles

Se tem dificuldades para adormecer, consulte um especialista e nunca faça uso de medicamentos para o efeito sem orientação médica. Muitos destes fármacos afetam a capacidade de memorizar.
 

6. Sofre com depressão ou ansiedade? Trate do assunto

A depressão torna mais lentos os processos cerebrais e facilita o aparecimento de episódios de esquecimento, que podem mesmo ser um dos sintomas da doença. No caso de pessoas ansiosas acontece o mesmo. Já que o “sofrer antes da hora” é provocado por constante sentimento de antecipação dos fatos. Isto faz com que a pessoa se esqueça de viver os momentos presentes e apresente dificuldades de concentração.  
 

7. Exercitar o cérebro

Provoque o seu cérebro. Dê-lhe novas situações, novos desafios. Aprenda uma nova língua, mude os caminhos habituais ou a mão com que come, por exemplo. Saia da rotina. O cérebro é um músculo, e como tal, precisa ser treinado para ser mais ativo, criativo e confiável. 


8. Deixe de fumar e evite álcool

Bebidas alcoólicas são inimigas da memória e, a longo prazo, podem mesmo gerar atrofia cerebral: situação em que o cérebro já não é capaz de fixar nada. Já o tabaco, por sua vez, favorece o aparecimento de isquemias cerebrais. Mesmo que impercetíveis, ao longo dos anos os problemas cognitivos tornam-se cada vez mais notórios e graves. 
 

9. Emocione-se

Existe um fenómeno que faz com que a memória seja seletiva, e ele é caracterizado por privilegiar o armazenamento de memória positivas. Todas as memórias que estejam relacionadas a boas experiências emocionais, têm maior hipótese de ficarem gravadas.

A receita básica para encerrar a lista dos 9 passos para fortalecer a memória é: seja otimista, encontre-se com os amigos com frequência, viaje, faça almoços e jantares de família, reúna as pessoas de quem mais gosta, faça novos amigos, reveja fotografias antigas, reconte as suas histórias marcantes. Viva mais, exponha-se mais e dê mais intensidade às suas experiências. Assim, as suas memórias serão mais resistentes ao tempo.

Veja também: