Como reduzir o IMI?

São tantos os impostos que os contribuintes têm que suportar, que se houver a possibilidade de reduzir algum, tanto melhor para que a carga fiscal seja menor. Hoje falamos do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), que pode ser reduzido se simplesmente pedir uma reavaliação da sua casa. Veja como.

Como reduzir o IMI?
Dicas para pagar menos IMI

O Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) – antiga Contribuição Autárquica – é uma taxa que recai sobre o valor patrimonial tributário dos imóveis (rústicos/urbanos/mistos) situados no país, constituindo uma importante receita para os municípios onde se localizam. Isto porque são os próprios municípios que definem as taxas a aplicar, dentro do intervalo determinado pelo Código do IMI.


TOME NOTA:
O Orçamento de Estado trouxe novidades preocupantes para quem paga IMI, que se podem traduzir num aumento significativo do mesmo. A pensar nos momentos de maior volume de contas, o Unibanco disponibiliza uma solução que permite suavizar as despesas e pagar em 3x sem juros.

Fatores que influenciam o valor do IMI

  • Antiguidade da habitação;
  • Tipo de edifício;
  • Área do imóvel;
  • Localização geográfica;
  • Características do imóvel;
  • Qualidade da construção.


Pedir reavaliação da casa para baixar do valor do IMI

Pedir uma reavaliação da casa pode significar uma redução no imposto. Tal acontece porque com o passar do tempo, o coeficiente de vetustez – principal factor para o cálculo do IMI, torna-se mais favorável. Mais um motivo para pedir a reavaliação é que esse pedido é gratuito.

No entanto, existem alguns pontos importantes a reter para que não peça uma reavaliação sem qualquer critério, e são eles:
  • Antes de avançar com um pedido de reavaliação, analise se tal será vantajoso para si ou não.
    Pode, por exemplo, recorrer ao simulador da DECO;
  • Só poderá pedir uma reavaliação se a última foi realizada há pelo menos três anos.

Em determinadas situações é até possível pedir a isenção de IMI.


Aumento de IMI para 2015

O Orçamento de Estado para 2015 traz boas e más notícias no imposto de IMI. Por um lado, o Governo alarga a isenção permanente de IMI aos contribuintes com rendimentos até 15.300€ (anteriormente ficava-se pelos 14.600€). Por outro lado, desaparece a cláusula geral de salvaguarda o que foi impedindo a subida do IMI até 2015 e poderá significar, agora, aumentos significativos de IMI.


Prazos e métodos de pagamento do IMI

Conforme o valor a pagar de IMI, este pode ser pago em uma, duas ou três prestações anuais:
  • IMI igual ou inferior a 250€: o pagamento é efetuado no mês de abril;
  • IMI superior a 250€ e inferior ou igual a 500€: o pagamento é efetuado em duas prestações, em abril e novembro;
  • IMI superior a 500€: o pagamento é efetuado em três prestações, nos meses de abril, julho e novembro.

Existem ainda outras alternativas para suavizar esse valor, pagando o mesmo em acessíveis prestações, sem juros. Talvez a opção mais atrativa disponível no mercado é a facultada pelo Unibanco com o cartão TR3S (consiste num cartão de crédito complementar ao cartão clássico).

Com o cartão Unibanco TR3S pode pagar a taxa de IMI em três prestações, sem juros desde que as prestações sejam pagas na totalidade. Lembramos que estas condições estão disponíveis para qualquer compra que queira efectuar, como por exemplo pagamento de propinas, prémio de seguros, electrodomésticos, desde que a mesma seja de valor igual ou superior a 300 euros. Além disso ainda beneficiará das restantes vantagens associadas ao TR3S.

Aceda aqui a informações complementares do produto TR3S do Unibanco.