Comportamento desprezível: o “novo” transtorno de personalidade

O comportamento desprezível pode ter relação com problemas de ansiedade e baixa autoestima.

Comportamento desprezível: o “novo” transtorno de personalidade
A ciência provou que há mesmo pessoas desprezíveis

Sabe aquele amigo que gosta de parecer desagradável? Ele usa o sarcasmo para responder e faz questão de diminuir os outros, revirando constantemente os olhos para reagir aos comentários alheios – sim, ele pode ser considerado, cientificamente, uma pessoa desprezível.

Quem é “vítima” destes indivíduos pode ficar mais tranquilo a partir de agora: um estudo realizado por psicólogos do corpo docente da Universidade da Califórnia confirmou que há mesmo pessoas com comportamento desprezível   e que não se trata de nenhuma paranoia de quem está a sua volta.

Comportamento desprezível: o “novo” transtorno

O jornal científico “Journal of Personality and Social Psychology” publicou o estudo onde os cientistas californianos comprovam que existem alguns padrões comportamentais que podem ser descritos como desprezíveis.

A descoberta científica surge para modificar a teoria dos especialistas em saúde mental, que acreditavam – até hoje – que o comportamento desprezível, tal como foi descrito acima, era um reflexo de traços de personalidade mais relacionados a características emocionais.

Os psicólogos elaboraram um teste de personalidade onde as pessoas analisadas eram confrontadas com afirmações variadas e tinham de responder se discordavam ou concordavam com o que lhes era dito.

Eu não tenho respeito pelos outros” ou “sinto que os outros desperdiçam o meu tempo” foram algumas das frases ditas durante a experiência.  O grupo de 960 voluntários respondeu ainda a questões sobre a raiva, inveja, a repulsa, o orgulho, o narcisismo e o perfecionismo.

Com base nas respostas dadas pelos quase mil voluntários, os especialistas chegaram a seguinte conclusão: o comportamento desprezível existe, de facto.

Pessoas desprezíveis são contraditórias e manipuladoras

Uma segunda revelação encontrada foi, também, surpreendente: os indivíduos com comportamento desprezível são contraditórios. Eles não têm interesse pela felicidade e pelo bem estar dos outros, mas ficam incomodados quando as pessoas os tratam da mesma forma.

Os estudiosos acreditam que isso acontece porque as pessoas desprezíveis sofrem de alguns traços de psicopatia, narcisismo e maquiavelismo. Os psicólogos concluíram isso após constatarem que essas pessoas veem as outras como inferiores e não demonstram qualquer problema em as manipular.

Comportamento desprezível pode ter impacto sobre o racismo

A mesma equipa de estudiosos realizou outros estudos comportamentais e descobriu que as pessoas que apresentam um comportamento desprezível têm mais tendência a serem racistas. Também foi constatado que elas são más influências em todos os relacionamentos que têm.

A ciência ainda não sabe explicar o que provoca o comportamento desprezível, mas já foi possível relacionar o distúrbio de personalidade a problemas de ansiedade e baixa autoestima.

Veja também: