Comprar a primeira casa: 10 conselhos essenciais

O ato de comprar a primeira casa deixa-nos tão entusiasmados como receosos. Neste artigo, dizemos-lhe o que deve ter em conta antes de realizar este sonho.

Comprar a primeira casa: 10 conselhos essenciais
A primeira casa é uma conquista que não se esquece

Finalmente, vai dar o grande passo. Não, não falamos de dar o nó, mas sim de comprar a primeira casa. Mas será que já pensou nas várias implicações que esta decisão acarreta? Sabe quais os passos a dar para que este seu sonho se realize sem receios ou frustrações? Veja as nossas dicas e conselhos para que a compra da sua primeira casa seja um sucesso.

Comprar a primeira casa: 10 dicas fundamentais


Ponderar sobre as características da casa

Ponderar sobre as características da casa

Idealizar a habitação é o primeiro passo – quase inconsciente – que se dá quando se pensa em comprar a primeira casa. Apartamento ou vivenda? No centro da cidade ou numa zona rural? Tipologia reduzida ou quartos para convidar toda a família?

Mas uma coisa é a casa dos seus sonhos, outra são as casas que irá encontrar no mercado e, dentro destas, aquelas que poderá realmente ponderar comprar, devido ao fator preço ou a outras condições que lhe sejam essenciais, como a localização, o lugar de garagem, a existência de elevador, ou outras.

É, por isso, muito importante que, antes sequer de começar a ver casas, estabeleça as características de que está disposto a abdicar e aquelas que para si são fundamentais e obrigatórias.

A importância da exposição solar de uma casa

Dica extra: sabia que a exposição solar de uma casa é um aspeto muito importante, mas frequentemente descurado no momento da compra? Quando virada a norte, a casa recebe pouco sol, e se é verdade que é mais fresca no verão, no inverno é preciso gastar mais energia para aquecê-la.

Já uma casa virada a nascente recebe sol apenas durante a manhã, enquanto que as casas voltadas a sul e a poente são as que oferecem mais luz e aquecimento natural.

Fazer uma análise à situação financeira

Analisar situação financeira

Antes de comprar a primeira casa, há que analisar bem as suas poupanças, bem como as suas fontes de rendimento e despesas, de forma a poder calcular o montante que poderá despender não só no início – para a entrada e para as despesas legais que a compra de casa acarreta – mas também mensalmente, com a prestação ao banco.

Equacionar a necessidade de fiadores

Saber se vai precisar de fiadores

A maior parte dos bancos, dependendo do perfil financeiro do cliente do crédito habitação, exige a existência de fiadores no contrato, ou seja, a assinatura de pessoas que se responsabilizem pelo pagamento da prestação, caso o titular do crédito falhe.

Veja por isso se a sua mãe, pai ou irmãos têm capacidade para serem seus fiadores e se estão disponíveis para tal, caso o banco o exija. Apesar de ser uma garantia para a entidade credora, na maior parte das vezes não passa de uma questão burocrática. No entanto, pode fazer a diferença entre conseguir ou não a aprovação do crédito.

Calcular as despesas mensais

Calcular rendimentos

Muitas vezes, quando decidimos comprar casa, pensamos no valor da mesma e na prestação mensal ao banco, mas esquecemos que todos os meses, a somar aquela, irá chegar a conta da água, da eletricidade, da TV Cabo e Internet, do condomínio, etc.

Faça uma estimativa destes gastos e de outras eventuais despesas fixas, como o ginásio, por exemplo, e equacione se terá capacidade para pagar tudo.

Ver casas dentro das suas possibilidades

Não há casas perfeitas. O que significa que, por norma, é preciso procurar muito e ver inúmeras hipóteses antes de se decidir. Este é um processo moroso e cansativo, pelo que aconselhamos a que selecione para visita apenas as casas que respeitem os requisitos que considera obrigatórios e as que apresentem um valor dentro do razoável para a sua capacidade financeira.

Recorrer a agências imobiliárias

Consultar agências imobiliárias

No seguimento da dica anterior, aconselhamos a que recorra aos serviços de uma ou mais agências imobiliárias, nomeadamente das quais tenha boas referências. Descreva ao vendedor aquilo que procura, a margem de preços que se enquadra no seu perfil e deixe-o fazer uma primeira filtragem por si. Assim, perderá menos tempo com casas que não interessam.

Fazer simulações nos vários bancos

Ainda antes de decidir qual a casa em que quer investir, estabeleça um valor para o dinheiro que precisa de pedir emprestado e faça simulações de crédito nos vários bancos – um processo rápido e fácil de fazer online, nos sites dos bancos.

Pode encontrar simuladores online, que comparam várias propostas e detalham as condições de cada uma, destacando aquela que se adapta melhor ao seu perfil.

Conselho extra: o total da sua dívida com prestações – sejam do crédito habitação ou de outros créditos que tenha contraído – não deve ultrapassar os 36% do seu rendimento mensal. Esta é a taxa de esforço máxima aconselhada pelos especialistas financeiros.

Comparar várias soluções de financiamento

Comparar as propostas dos diferentes bancos

Já escolheu a casa que quer comprar, agora quer negociar propostas concretas com os bancos, de forma a conseguir o melhor negócio. Peça propostas a pelo menos três entidades bancárias, analise e compare o spread oferecido por cada uma, as condições exigidas, custos de processo e comissões, preços dos seguros obrigatórios, etc.

Dica extra: não está obrigado a fazer os seguros na entidade bancária que concede o crédito; pode pedir propostas a outras seguradoras e optar por quem lhe apresentar as condições mais competitivas.

Já agora, e se é novo nestas andanças, o spread é a taxa de juro cobrada pelo banco e que pode ser definida como a margem de lucro daquela instituição. Este é um dos valores que entra no cálculo da prestação mensal do crédito habitação.

Verificar o estado legal do imóvel

Este conselho é especialmente importante quando se trata de uma casa usada. Confirme junto da Conservatória do Registo Predial se existem hipotecas ou penhoras sobre o imóvel. Aqui pode também confirmar quem é o proprietário da casa e se esta está livre de herdeiros.

Na respetiva Câmara Municipal pode saber se o pagamento do IMI está em dia e não deixe de questionar o condomínio sobre o pagamento das quotas. Desta forma, evita ver-se enredado em situações desagradáveis após a compra.

Não se esqueça ainda de que agora é obrigatório os proprietários das casas apresentarem um certificado energético. Quanto mais eficiente for a casa em termos de energia, menos gastará em eletricidade ou gás no dia a dia.

Conselho extra: se optar por uma casa usada, analise bem o seu estado e faça as contas a eventuais melhorias que queira ou seja necessário efetuar.

Dispor de um fundo de maneio

Poupar para um fundo de maneio

Por último, antes de comprar a primeira casa, deve estar consciente da importância de manter uma poupança a postos para alguma eventualidade. Comprar uma casa implica assumir um compromisso financeiro considerável e deve estar preparado para uma mudança inesperada de vida ou outro tipo de imprevisto que o impeça de contar com os rendimentos habituais.

Imagine que fica de baixa ou perde o emprego: deve conseguir pagar a prestação de forma regular nos primeiros meses ou até voltar a ver a sua situação financeira de novo equilibrada.

Sugestão extra: comece já hoje a poupar, pondo de lado 10% do seu rendimento mensal, todos os meses. Faça isso assim que recebe, para não cair na tentação de gastá-lo.

Veja também: