Condutores que detestam o seu trabalho têm mais acidentes?

Será que condutores que detestam o seu trabalho têm maior probabilidades de ter problemas no trânsito?

Condutores que detestam o seu trabalho têm mais acidentes?
Estudo aponta para os perigos relacionados

Acidentes no trânsito acontecem todos os dias. Uns mais graves, outros menos graves; uns por culpa nossa, outros por responsabilidade de outrem. A verdade é que circulamos no trânsito todos os dias e, por vezes, mais do que uma vez por dia. Com tantas horas passadas ao volante, estamos sujeitos a imprevistos.

E quando o assunto é conduzir após um dia de insatisfação no emprego, a questão que se coloca é: condutores que detestam o seu trabalho têm mais acidentes? Foi realizado um estudo de investigação pela Universidade de Haifa que pretendia relacionar o comportamento em ambiente de trânsito e o bem estar e motivação das pessoas.

Detestar conduzir pode ser sinónimo de acidentes

Não podemos esquecer que isto não passa de um estudo e que não podemos tomar a parte pelo todo, mas, de facto, a conclusão a que os investigadores chegaram foi que os funcionários que referiam ter piores experiências no trabalho eram aqueles que tinham um comportamento mais agressivo dentro do seu automóvel.

Quando se coloca a questão se os condutores que detestam o seu trabalho têm mais acidentes, não é possível responder de forma inequívoca, mas uma coisa é certa: quando estamos mais motivados e felizes, temos tendência para estar mais relaxados, calmos e compreensivos. E se há local que pode tirar uma pessoa do sério… são as filas de trânsito. Certo?

Dicas para evitar os maiores agrupamentos de trânsito

Se é daquelas pessoas que se identifica no grupo de condutores que detestam o seu trabalho e o caminho de volta para casa parece nunca mais acabar, deixamos aqui algumas dicas para que as suas viagens de carro sejam mais tranquilas. Tome nota:

  • Leve para o carro uma banda sonora que realmente goste de ouvir – isso vai ajudá-lo a relaxar.
  • Saia de casa 15 a 20 minutos mais cedo do que o habitual – para além de poupar imenso tempo nas filas de trânsito, se tudo correr bem, pode ainda sair um pouco mais cedo e aproveitar uns bons minutos de sol.
  • Aposte numas aulas de relaxamento, como o yoga, e veja que mudar os hábitos fora do carro também pode ajudar.

Já tentou de tudo e nada funciona? Então reflita sobre o que mais o incomoda no trabalho: o seu chefe? A pressão? Trabalho a mais? Já considerou falar com o seu responsável sobre estas questões para tentarem chegar a soluções de melhoria?

Em última instância, por que não considera mesmo mudar de emprego? Atualize o seu currículo e atire-se ao mercado.

A verdade é que tudo isto pode não ter qualquer efeito nos números gerais de acidentes e de feridos no trânsito, afinal um mau condutor será sempre um mau condutor (e uma pessoa mal educada será sempre mal educada). Mas, ainda assim, não custa tentar mudar a sua situação. Relaxar na vida e no trânsito, pelo menos, pode fazer a diferença para si.

Veja também: