7 factos sobre conduzir a falar ao telemóvel

Conduzir a falar ao telemóvel é uma contraordenação grave e um comportamento de risco a evitar. Descubra porquê.

7 factos sobre conduzir a falar ao telemóvel
Evite riscos desnecessários

O número de acidentes rodoviários que acontecem devido ao motorista estar a conduzir a falar ao telemóvel tem vindo a aumentar.

Hoje, os smartphones não servem apenas para falar e escrever SMS, mas também para responder a emails, fazer pesquisas na Internet ou colocar uma foto na rede social. Conduzir a falar ao telemóvel é um ato perigoso que está expressamente proibido na lei e dá direito a multa e a apreensão da carta.

Nos vários estudos realizados, ficou provado que conduzir a falar telemóvel ou utilizar ferramentas digitais aumenta bastante o risco de acidentes. Isto porque é difícil para quem vai a conduzir executar as tarefas necessárias para uma condução segura, se estiver ocupado com uma outra tarefa que o vai desfocar da condução.

Os mesmos estudos internacionais provam que enviar mensagens é um fator de distração cognitiva, física/ motora e ainda de distração visual. Aliás, o tempo de reação a uma distração imprevista por parte de um condutor jovem que esteja a conduzir a falar ao telemóvel é quase idêntico a de um condutor com 70 anos que esteja a fazer o mesmo.

Factos sobre conduzir a falar ao telemóvel

Segundo estudos realizados na Europa, mais de 80% das pessoas utilizam o smartphone quando estão sozinhas no carro. Um ato que deve ser controlado para que se possa evitar muitos acidentes rodoviários.

1. O risco de causar um acidente é 800% maior se o condutor estiver a responder a mensagens escritas no smartphone ou a fazer uma publicação numa rede social;

2. Conduzir a falar ao telemóvel faz com que a atividade cerebral destinada à condução diminua em 37%;

3. Quando o condutor está a conduzir e a falar ao telemóvel leva mais tempo a reagir em caso de necessidade urgente;

4. Escrever mensagens enquanto está a conduzir acresce em 400% o tempo que tiramos os olhos da estrada e aumenta até 23 vezes o risco de acidente. Em média, o condutor deixa de olhar para estrada 5 segundos por mensagem;

5. Devido ao facto de conduzir a falar ao telemóvel, cerca de 75% dos condutores, por norma, não param nas passadeiras para peões;

6. O maior grupo de risco são os jovens, com idades compreendidas entre 18-24 anos, onde o risco de acidente aumenta em 40% face ao resto da população;

7. Quem está a utilizar dispositivos móveis enquanto conduz corre o risco de se distrair de tal forma que pode sair da faixa de rodagem, o que aumenta a probabilidade de acidente em 10%.

Cuidados que deve ter quando vai a conduzir

Está claro que o smartphone é um fator de distração para quem vai a conduzir a falar ao telemóvel. Por isso, deve tentar ter alguns cuidados para que mais tarde não se arrependa.

Quando vai a conduzir, deve desligar o smartphone ou então colocar em silêncio para não se sentir tentado a ver aquela última mensagem que acabou de cair.

Deve também evitar conduzir a falar ao telemóvel e se souber que os seus amigos vão a conduzir não lhes ligue. Se tiver mesmo de falar ao telefone, utilize um auricular ou o sistema de alta voz do carro que permite falar ao telemóvel deixando as duas mãos livres.

Alguns estudos demostram que 9 em cada 10 jovens respondem a uma mensagem ou email num período inferior a 5 minutos. Se a curiosidade não o deixa longe do smartphone, experimente colocá-lo num local do carro onde não tenha acesso enquanto conduz, como a bagageira.

Não se esqueça que estes cuidados podem evitar alguns acidentes, mas também o livram de uma multa pesada. Segundo o Código da Estrada, conduzir a falar ao telemóvel é uma contraordenação grave, com multa entre 120 e 600 euros e ainda a perda da carta que pode ir até um ano.

Veja também: