4 destinos imperdíveis na costa alentejana

Nada melhor do que a costa alentejana para passar uns dias descontraídos. Entre belas paisagens e localidades pitorescas, descubra 4 destinos imperdíveis.

4 destinos imperdíveis na costa alentejana
Cultura, gastronomia e diversão numa das mais belas zonas do país

A costa alentejana tem vindo a tornar-se, cada vez mais, um destino altamente apetecível para quem deseja tirar uns dias de descanso, usufruindo de belíssimas paisagens e desfrutando de uma inacreditável qualidade de vida.

São inúmeras as cidades, vilas e aldeias que oferecem experiências verdadeiramente únicas e inesquecíveis às pessoas que decidem conhecê-las. A nossa seleção incide sobre 4 delas, cada uma representando alguns aspetos característicos da costa alentejana.

Seja para uns dias de praia, atividades desportivas ou, simplesmente, uns dias de descanso pelo campo, a costa alentejana é, definitivamente, o destino perfeito. Saia para conhecer o nosso país, que tem tanto para lhe mostrar.

4 destinos a não perder na costa alentejana

1. Porto Covo


Porto Covo

Porto Covo combina a tradição piscatória com um intenso apelo turístico, resultante sobretudo das suas fantásticas praias de areia fina, banhadas pelas águas transparentes do Atlântico e enquadradas por deslumbrantes falésias. Mas a aldeia é também famosa pelo seu coração histórico, o maravilhoso Largo Marquês de Pombal, inspirado na baixa lisboeta e considerado um dos tesouros da arquitetura portuguesa.

Uma vez em Porto Covo, tem de visitar a Ilha do Pessegueiro, imortalizada por Rui Veloso. Uma vez aí, pode optar por uma visita de cariz cultural, dirigindo-se à fortaleza do século XVII, às ruínas do templo romano e à capela quinhentista, ou por um dia mais descontraído, apostando na fantástica praia da ilha, onde estão disponíveis atividades como windsurf e passeios de barco.

Está em Portugal e no Alentejo, logo, a gastronomia tem de ser “de comer e chorar por mais”. Delicie-se com um arroz de tamboril, uma açorda de marisco ou uma caldeirada de peixe. Se não abdica da carne, aposte na típica carne de porco à alentejana.

Onde ficar: Casas Buganvilia

2. São Teotónio


sao teotonioFonte da imagem: Mapio.net

O litoral desta típica vila alentejana faz parte do belíssimo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, o que lhe assegura a integração numa paisagem absolutamente deslumbrante.

No entanto, a fama de S. Teotónio deve-se, sobretudo, às festas que realizam por altura dos santos populares, em junho. A visão de praças, largos, ruas e ruelas totalmente enfeitadas com flores de papel, bem como a presença de enormes mastros durante a noite, criam uma imagem de original beleza e inesquecível impacto.

No penúltimo fim de semana de julho,  São Teotónio recebe a famosa FACECO – Feira das Atividades Culturais e Económicas do Concelho de Odemira. Nessa altura, acolhe mais de 300 expositores que representam o que de melhor existe na região em termos de artesanato, gastronomia e música. A feira é ainda palco de vários debates.

Em São Teotónio não vai poder escapar aos medronhos. O fruto é verdadeiramente delicioso e a compota não lhe fica nada atrás. Se gostar de um aperitivo, tem sempre o licor e a famosa aguardente de medronho, disponíveis em qualquer café ou tasca da aldeia.

Onde ficar: Teima

3. Vila Nova de Milfontes


Porto Covo

Tal como grande parte da costa alentejana, a “Princesa do Alentejo” é uma localidade pesqueira que estabeleceu uma forte ligação com o mar. Inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, distingue-se pela beleza da sua paisagem, em que intermináveis e douradas praias desertas se estendem a perder de vista por entre dunas e falésias.

Na vila, é essencial uma visita ao forte de São Vicente, parando depois na praceta que homenageia os aviadores Brito Paes e Sarmento de Beires para apreciar o rio Mira. Por fim, não esqueça o estuário, habitat de inúmeras espécies marinhas.

Em Vila Nova de Milfontes, encontrará belos exemplos de artesanato feito em madeira, cortiça e até trabalhos de olaria; no entanto, a nossa recomendação vai para as peças de cestaria, uma vez que esta arte está em extinção, sendo praticada apenas por dois ou três artesãos em todo o concelho.

Para além disso, não pode perder a deliciosa gastronomia: comece com uns deliciosos percebes e siga depois para um belo peixe grelhado, acompanhado de uma salada; não deixe também de levar consigo um frasquinho do delicioso mel da região.

Onde ficar: Casa do Adro da Igreja

4. Grândola


GrândolaFonte da imagem: Diário da Região

Com um lugar de destaque na nossa história moderna, a “vila morena” de Zeca Afonso tem vindo também a conseguir captar o interesse turístico de quem visita a região.

Mais uma vez, encontramos ao seu redor fabulosas praias que combinam a beleza selvagem do oceano atlântico com a paisagem imponente e verdejante da Serra da Arrábida.

Em Grândola, sugerimos que não deixe de visitar o Memorial ao 25 de abril e a Igreja matriz da vila, datada do séc. XV. Inevitável é também a realização do itinerário pedestre mais percorrido em Portugal: a Rota da Serra.

Neste concelho, a presença humana data de tempos bem remotos; ao todo, existem 40 estações arqueológicas identificadas, passando por praticamente todos os períodos da história. O nosso destaque vai para as ruínas romanas da Península de Tróia.

De salientar também a gastronomia local: aqui, as influências do interior fundem-se com as do litoral, pelo que temos mesmo de sugerir duas alternativas: um suculento prato de caça e uma deliciosa caldeirada de enguias. Para tirar o gosto à boca, tente-se com um rebuçado de pinhão de Melides.

Onde ficar: Monte do Brejinho de Água

Em resposta à crescente procura que a costa alentejana tem sofrido, a oferta turística na zona tem também vindo a levar a cabo um upgrade considerável, não só a nível de variedade, mas sobretudo de qualidade. Assim, aproveite as sugestões que lhe apresentamos e desfrute de uma das mais apelativas e acolhedoras regiões do nosso país.

Veja também: