Crise de meia-idade: 10 dos maiores desafios

A crise de meia-idade é um fenómeno que afecta muita gente. Saiba quais são 10 dos sintomas mais comuns deste período de auto-conhecimento e reflexão.

Crise de meia-idade: 10 dos maiores desafios
Quais os desafios da meia-idade?

Já se questionou se a vida é isto mesmo? Se não haverá mais nada a descobrir e, de repente, sentir uma urgência enorme em viver tudo com maior intensidade? O termo crise de meia-idade, cunhado por Elliott Jaques em 1965, refere-se a um estado de insegurança; a um momento de auto-reflexão. Não é um mito mas sim um fenómeno que se revela de diferentes formas.

Pode querer dizer que quererá cuidar melhor do seu corpo ou fazer a viagem dos seus sonhos, ir a um festival de Verão ou aprender uma nova arte. É uma vontade repentina de procurar um novo rumo e, não, não é uma coisa negativa. É natural que, ao sentir que o seu corpo está a mudar, procure adoptar também novas formas de ocupar a mente. É importante saber que não está sozinho. Descubra aqui 10 dos possíveis desafios em que a crise de meia-idade se poderá traduzir.

10 possíveis sintomas de uma crise de meia-idade

crise de meia-idade

1. Não se reconhecer a si mesmo

Olha-se ao espelho e não sabe como chegou aonde está? É um sintoma comum da crise de meia-idade. Não se assuste e procure reflectir nas coisas positivas que conseguiu atingir até aqui.

2. Querer despedir-se de um bom emprego

É natural que, depois de muitos anos a trabalhar, se sinta preso e queira procurar novos rumos. Faça uma lista de prós e contras e defina se está realmente pronto para uma mudança tão grande.

3. Sentir-se deprimido ao fazer coisas que antes lhe davam prazer

Ter dificuldade em concentrar-se em tarefas que, anteriormente, o satisfaziam é também uma resposta natural às transformações pelas quais está a passar. Não tenha medo de explorar novos hobbies.

4. Desejo de ficar em forma

Não é, de todo, uma coisa má. Querer levar uma vida mais saudável é, provavelmente, um dos sintomas da crise de meia-idade que lhe trará mais benefícios.

5. Comparar-se com colegas e amigos

Fazer comparações é algo natural ao ser humano. Raramente conseguimos concentrar-nos somente no nosso percurso e tendemos a ver o dos outros como algo mais apelativo. Lembre-se, apenas, de que todas as pessoas são diferentes e, como tal, levam vidas distintas, com vantagens e desvantagens diversas.

6. Recomeçar algo que tenha deixado por completar há anos atrás

Iniciou um projecto há 20 anos e sente a necessidade de o terminar? Porque não? Coloque as mãos à obra e dê esse presente a si mesmo.

7. Desejo de fazer coisas inesperadas

Há muito que sente que familiares e amigos esperam certas atitudes de si. Fazer algo fora do seu carácter e fugir à rotina pode parecer-lhe atractivo. É algo natural e que, quando feito com algum peso e medida, não lhe trará malefícios.

8. Explorar novos estilos musicais

O mundo muda a cada instante e as novidades não cessam. Quer explorar novos estilos de música e, quem sabe, aprender a tocar um novo instrumento? Faça-o.

9. Estudar diferentes religiões e filosofias

Procurar inspiração na religião ou espiritualidade é também algo que poderá querer experienciar. Investigue e veja com o que se identifica.

10. Desejo de ajudar outros

Querer investir o seu tempo em ajudar os outros não é nem nunca será uma coisa negativa. Poderá trazer mais significado à sua vida e, assim, ajudá-lo a encontrar paz interior.

Fale com outras pessoas

crise de meia-idade

O segredo para não se sentir perdido é falar. Há muitas outras pessoas (provavelmente, no seu círculo de amigos) que estão a passar pela mesma crise de identidade, pelo que falar com elas pode ser altamente terapêutico. É bom saber que não está sozinho e que tudo se ultrapassa. Seja pro-activo e não negativo. Leia mais sobre o assunto e lembre-se que, se todos sobrevivemos à crise da adolescência, também esta é uma crise a superar.

Veja também:

Isadora Freitas Isadora Freitas

Isadora Freitas é licenciada em Jornalismo e tirou o Mestrado Europeu em Direitos Humanos. Encontra-se atualmente no Camboja, onde ensina Português a guias turísticos e procura explorar esse canto do Mundo. Gosta de ler, escrever, fazer teatro e é apaixonada por rádio e fotografia. É apreciadora de pequenas coisas e gosta de contribuir para as grandes