Os cursos que em Portugal deixam mais alunos de fora

As engenharias já reinam com as maiores médias de acesso, mas, em todo o país, há 30 cursos que deixam muitos alunos de fora. Veja a lista.

Os cursos que em Portugal deixam mais alunos de fora
Quase todos os cursos são de Lisboa e do Porto

Não é segredo nenhum: no ano passado, depois de divulgadas as colocações, as engenharias acabaram com o reinado de medicina no ranking das médias.

Engenharia Física e Tecnológica, Engenharia Aeroespacial e Engenharia e Gestão Industrial foram os três cursos que ficaram no pódio, ostentando as médias mais elevadas. No entanto, apresentamos neste artigo uma segunda forma de comparar os cursos mais desejados e concorridos na disputa pela vaga no ensino superior – e ela é desenhada a partir da análise daqueles que, face ao número de vagas oferecidas, mais concorrentes deixaram de fora.

Desde 2014, a Direção-Geral do Ensino Superior – DGES –  tem lançado os números que dizem respeito ao acesso às vagas ao ensino superior. Entre os dados, há uma estatística que ganha especial destaque: o “índice de satisfação da procura” – que nada mais é do que o rácio entre as vagas iniciais e os candidatos que indicaram um par de instituição/curso como a 1.ª opção durante a 1ª fase de candidaturas.

Conheça os 30 cursos que mais alunos deixaram de fora

De acordo com o “índice de satisfação e procura”, a lista com os 30 cursos mais procurados em 2016 é liderada pelo (novo) curso de Criminologia e Justiça Criminal. O curso em questão derrubou o reinado daquele que, em 2015, foi eleito o curso líder no mesmo ranking: Psicologia, no ISCTE. Em 2016, este curso caiu para a 6ª posição.

Para fechar a lista, encontramos um empate na 30ª posição do ranking: o curso de Engenharia e Gestão Industrial e o curso de Línguas e Relações Internacionais, ambos da Universidade do Porto – que, aliás, é a instituição que mais alunos deixa de fora. Entre os 30 cursos que compõem a lista, 9 são da UP. Em segundo lugar no pódio das instituições mais concorridas está a Universidade de Lisboa e o Politécnico do Porto, com 6 cursos cada.

Uma curiosidade encontrada no ranking dos cursos que mais deixaram alunos de fora no ano passado, é que todos os cursos superiores mais concorridos do país estão localizadas na capital e na Invicta, com exceção do primeiro.

Veja a lista completa

  1. Criminologia e Justiça Criminal, Universidade do Minho.
  2. Engenharia e Gestão Industrial, Universidade do Porto.
  3. Línguas e Relações Internacionais, Universidade do Porto.
  4. Gestão de Recursos Humanos, Instituto Universitário de Lisboa.
  5. Tecnologia da Comunicação Multimédia, Instituto Politécnico do Porto.
  6. Psicologia, Instituto Universitário de Lisboa.
  7. Engenharia, Informática e Computação, Universidade do Porto.
  8. Gestão, Universidade do Porto.
  9. Engenharia Aeroespacial, Universidade de Lisboa.
  10. Fisioterapia, Instituto Politécnico de Lisboa.
  11. Design de Comunicação, Universidade do Porto.
  12. Ciências da Comunicação, Universidade Nova de Lisboa.
  13. Fisioterapia, Instituto Politécnico do Porto.
  14. Psicologia, Universidade do Porto.
  15. Biotecnologia Medicinal, Instituto Politécnico do Porto.
  16. Recursos Humanos, Instituto Politécnico do Porto.
  17. Direito, Universidade do Porto.
  18. Design de Comunicação, Universidade de Lisboa.
  19. Gestão de Recursos Humanos, Universidade de Lisboa.
  20. Publicidade e Marketing, Instituto Politécnico de Lisboa.
  21. Engenharia Biomédica, Universidade de Lisboa.
  22. Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria, Multimédia, Universidade do Porto.
  23. Gestão do Desporto, Universidade de Lisboa.
  24. Gestão, Universidade Nova de Lisboa.
  25. Gestão das Atividades Turísticas, Instituto Politécnico do Porto.
  26. Gestão e Administração Hoteleira, Instituto Politécnico do Porto.
  27. Estudos Asiáticos, Universidade de Lisboa.
  28. Direito, Universidade Nova de Lisboa.
  29. Ciência Política e Relações Internacionais, Universidade Nova de Lisboa.
  30. Bioengenharia, Universidade do Porto.

 

Veja também: