PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Dar sangue: como e porquê

Quer saber se pode dar sangue mas não sabe onde fazê-lo? Esclareça as suas dúvidas e salve vidas.

Dar sangue: como e porquê
Descubra como pode dar sangue de forma segura e rápida

Costuma dizer-se que “dar sangue pode salvar vidas”. Em 2000, a Organização Mundial da Saúde (OMS) dedicou o dia 7 de abril ao dador de sangue sob o mote “sangue seguro começa em mim”.

A verdade é que, diariamente, milhões de pessoas em todo o mundo precisam de transfusões de sangue. De acordo com o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), em Portugal são necessárias, por dia, 1200 unidades de sangue para suprir as necessidades dos hospitais nacionais. 

Por isso, é importante que as reservas sejam mantidas a níveis sustentáveis que permitam a sua rápida utilização. O sangue é um bem escasso que não pode ser criado de forma artificial e, por essa razão, todas as doações são bem-vindas e fazem a diferença.

Um adulto tem entre cinco a seis litros de sangue. Uma dádiva de sangue implica a recolha de 450 ml, o que não acarreta nenhum risco para a saúde do dador.


Será que posso dar sangue?

  • Se estiver em boas condições de saúde;
  • Se tiver, no mínimo, 50 kg;
  • Se tiver entre 18 e 65 anos (60 anos, se for a primeira dádiva);
  • Se tiver mais de 1,50m;
  • Se não estiver em jejum;
  • Se não consumir drogas;
  • Se não tiver feito uma tatuagem ou um piercing há menos de seis meses;
  • Se não for portador dos vírus da Hepatite B, C e do HIV;
  • Se não fiz uma cirurgia há menos de seis meses;
  • Se não estive com febre ou com gripe há menos de duas semanas;
  • Se parei de amamentar há menos de três meses;
  • Se não mudei de parceiro sexual há menos de seis meses;
Quem quiser dar sangue pode fazê-lo nos locais onde estão as brigadas móveis de colheita, nos serviços de imunohemoterapia dos hospitais e nos Centros Regionais de Sangue de Lisboa, Porto e Coimbra.



O que é preciso fazer na altura de dar sangue?

Quem dá sangue pela primeira vez deve fazer-se acompanhar do Cartão de Cidadão. Nos casos dos dadores regulares, basta que levem o Cartão Nacional de Dador do Dador de Sangue.

O candidato é sempre avaliado por um médico através da revisão da história clínica, da medição arterial e do pulso e, ainda, através do doseamento da hemoglobina (para perceber se existe o número de suficiente de glóbulos vermelhos no sangue).

A doação de sangue não implica nenhuma remuneração e pode ser feita três vezes por ano pelas mulheres e quatro vezes por ano pelos homens (com intervalos mínimos de espera de dois meses entre cada doação). 

Veja também: