5 razões para deixar de comer carne vermelha

Seja amante de carne ou não, descubra 5 razões para deixar de comer carne vermelha, que se prendem com a sua saúde e com a do ambiente.

5 razões para deixar de comer carne vermelha
Sabia que optar por alternativas à carne vermelha ajuda a emagrecer?

Alimentação paleo, vegan, vegetariana, sem glúten, etc. Os cuidados com a alimentação são cada vez mais uma preocupação para muitas pessoas. As dietas são várias e adequam-se aos diferentes objetivos nutricionais.

Conheça agora 5 razões para deixar de comer carne vermelha, um grupo no qual se insere a carne de vaca, porco, carneiro, cabra, cabrito, borrego e cavalo.

Porquê deixar de comer carne vermelha?


1. Mais energia

energia

Para quem tem problemas de digestão, esta deve ser uma das principais razões para deixar de comer carne vermelha. Isto porque este tipo de carne é uma das que consome mais energia para fazer a digestão, provocando-lhe assim digestões mais lentas.

Neste sentido, em detrimento das carnes vermelhas, deve optar por uma alimentação equilibrada à base de peixes gordos, carnes brancas, complementando com hábitos saudáveis, como o exercício físico e controlo do peso.

Deste modo, vai estar a seguir uma dieta equilibrada, o que vai fazer com que se sinta melhor e tenha mais energia.

2. Ajuda a emagrecer

100g de carne de vaca equivalem a aproximadamente 25o calorias, enquanto que 100 g de carne de frango são 239 e, por último, o vencedor: 100g de carne de peru equivalem a 139 calorias! Resumindo, outra das principais razões para deixar de comer carne vermelha, e muito pertinente, é o facto de esta restrição ajudar a emagrecer!

Na verdade, uma das medidas de referência para a quantidade de carne vermelha a ser consumida é o equivalente à palma da mão. Contudo, na maior parte das vezes, essa medida de referência é largamente ultrapassada.

Como tal, para além de já estarmos a ingerir mais quantidade de proteína do que é suposto, ainda falta contabilizar as calorias dos acompanhamentos!

3. O ambiente agradece

ambiente agradece

São vários os documentários a retratarem o efeito que a criação de animais tem no ambiente. No caso do documentário Cowspiracy, é revelado o impacto ambiental devastador que a produção industrial tem no planeta.

Neste documentário são dadas a conhecer as consequências da indústria pecuária, tais como: desflorestação, consumo de água abusivo e poluição, sendo ainda responsável pela emissão de gases de efeito de estufa.

Paralelamente a estas consequências surgem outras implicações, nomeadamente a destruição da floresta tropical, a extinção de várias espécies, a perda de habitat, a erosão do solo, entre outras.

4. Níveis de colesterol

Se tem o colesterol alto, esta deve ser uma das razões para deixar de comer carne vermelha. Segundo dados divulgados pela Fundação de Cardiologia (FPC), mais de 70% da população portuguesa tem um colesterol elevado e 40% é hipertensa.

Neste sentido, uma inspiração para um aposta saudável e variada é a alimentação mediterrânica. Aqui são privilegiados o consumo de peixe e carne de forma equilibrada, de ovos, bem como de leguminosas, vegetais e fruta.

5. Menos doenças

menos doenças

Uma das doenças que se encontra associada ao consumo de carnes vermelhas é o cancro colorretal, um dos cancros mais mortais em Portugal.

Mário Dinis-Ribeiro, investigador do CINTESIS e diretor do Serviço de Gastroenterologia do Instituto Português de Oncologia do Porto, em entrevista ao E-Konomista, alertou para os principais aspetos deste tipo de cancro.

Apesar de esta ser uma doença que se manifesta maioritariamente em pessoas com mais de 60 anos, todos os cidadãos devem ter cuidados contínuos ao longo dos anos. Só assim será possível prevenir outros tipos de cancro ou de outras doenças, como já vimos, o caso do colesterol.

O especialista reforça ainda que a população em geral, mesmo não tendo nenhum sintoma ou fator de risco associado à doença (como ter algum familiar que já tenha tido cancro), deve ter um estilo de vida saudável e nunca é demais lembrar:

  • Diminuir o consumo de carnes vermelhas;
  • Aumentar o consumo de vegetais;
  • Praticar exercício físico;
  • E, sobretudo, não fumar.

 

Veja também: