7 hábitos na origem de dentes estragados

Refrigerantes, bruxismo, doces e tabaco. Conheça 7 hábitos que fazem com que tenha dentes estragados e evite-os.

7 hábitos na origem de dentes estragados
Conheça alguns hábitos que deve evitar e que os seus dentes agradecem

Um dos pesadelos mais comuns tem a ver com ficar sem dentes, especialmente sem os dentes da frente. É só um pesadelo, mas na vida real há um conjunto de situações que contribuem para que fique com dentes estragados e que podem mesmo fazer com que caiam mais facilmente.

7 razões para ter dentes estragados


1. Doces

doces

Gomas, rebuçados, chupa-chupas, chocolates, etc. As tentações são muitas mas, caso não lhes consiga resistir, deve optar pelos doces menos rijos e os que permanecem menos tempo na boca. Deste modo, vai estar a evitar o desenvolvimento de cáries.

De modo a contornar os malefícios dos doces, a American Dental Association (ADA) recomenda que os doces sejam ingeridos após as refeições. Isto porque a produção de saliva aumenta durante as refeições, minimizando assim o efeito dos ácidos produzidos pelas bactérias na boca.

No entanto, o mais importante é que não se esqueça de escovar os dentes no fim de comer os doces, de modo a evitar que o açúcar se aloje nas cavidades.

2. Bruxismo

Outro inimigo dos seus dentes é o bruxismo, isto é, ranger os dentes. Este é um ato, na maioria das vezes, inconsciente e que acontece enquanto as pessoas estão a dormir – o bruxismo noturno.

Todavia, a continuidade deste hábito leva a um considerável desgaste dos dentes, uma vez que se verifica uma perda do esmalte dentário. Por outro lado, o bruxismo leva ainda a outras consequências, tais como: sensibilidade dentária, dores de cabeça, transtorno do sono, etc.

3. Refrigerantes

refrigerantes

Outro aspeto que contribui para os dentes estragados são os refrigerantes. Uma das razões prende-se com o facto de estas bebidas serem ricas em açúcar. Uma lata de refrigerante contém quase 10 colheres de sopa de açúcar ou 7 pacotes de açúcar.

Ainda assim, o facto de muitos dos refrigerantes serem bebidas com gás faz com que estas bebidas ataquem o esmalte dos dentes.

4. Fazer dos seus dentes um abre-latas

Para além de resistir à tentação dos doces, caso queira evitar ter dentes estragados, vai ter de evitar fazer dos seus dentes uma ferramenta, por exemplo, abre-latas ou tesouras.

Isto porque, ao atribuir estas funções aos seus dentes, está a correr o risco de que os mesmos possam estalar, rachar ou mesmo partir. Caso isso aconteça pode implicar uma reconstrução do dente ou, em casos mais graves, um implante dentário.

5. Fumar

fumar

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabaco é a principal causa evitável de doenças não transmissíveis. Ainda de acordo com a OMS, o tabaco mata metade dos fumadores e provoca diversas lesões no corpo humano.

O tabaco e o café são dois outros inimigos dos seus dentes, uma vez que ambos provocam manchas nos dentes. Por outro lado, fumar conduz a outros problemas orais mais graves, como é o caso de problemas nas gengivas e cancro oral.

6. Piercings

Piercings na língua ou nos lábios contribuem para dentes estragados, em parte porque aumentam os riscos de infeções e feridas na boca. Na verdade, sendo a boca um local rico em bactérias – chegando a existir mais de 300 tipos de bactérias -, muitas acabam por ser prejudiciais para as gengivas.

Uma das infeções mais comuns pode ocorrer ao nível das gengivas, chamada gengivite, processo inflamatório nos tecidos que suportam e rodeiam os dentes.

7. Desportos sem proteção de dentes

Boxe, muay thai, kickboxing, karaté, taekwondo, etc. Todos estes são desportos de combate e que, atualmente, são muito comuns nos ginásios portugueses. No entanto, caso se queria iniciar nestes desportos, não se esqueça de usar uma proteção para os dentes para assim evitar o impacto, tanto nos treinos, como na competição.

Este tipo de produtos encontra-se à venda nas lojas de desporto, mas pode também solicitar ao seu médico dentista que lhe faça um molde.

Veja também: