10 destinos económicos de última hora

O calor chegou e julho está ao virar da esquina. Se ainda não marcou férias então esteja atento a esta lista de destinos económicos. 

10 destinos económicos de última hora
Planeie umas férias sem estourar o orçamento

Ao contrário do que muitos pensam, planear as férias “em cima do joelho” pode não ser tão caro como se convencionou dizer e não é tão difícil encontrar destinos económicos com uma procura online.

Com isso em mente o Observador fez um estudo para a semana entre 19 e 25 de julho, analisando os custos de transporte, alojamento e alimentação para 54 destinos. Recorreu à Skyscanner para encontrar os voos mais em conta, ao Trivago para os melhores preços em alojamento e ao índice Big Mac do Economist para avaliar os preços da restauração nos destinos analisados, fez as contas e elegeu dez destinos. 
 

10 Destinos económicos à sua espera

 

Madrid, Espanha

Madrid, Espanha

Mesmo aqui ao lado, a capital de "nuestros hermanos" é um destino de eleição. Viajar do Porto pela Ryanair pode ficar por menos de 60 euros, um custo de vida baixo - em comparação com outras capitais da Europa Ocidental - tornam Madrid numa boa escolha e com tanto para oferecer, para quem procura um destino económico.

 

Kiev, Ucrânia

Kiev, Ucrânia

Tal como escrevemos sobre Bruxelas, a baixa dos preços em Kiev é também um reflexo da situação política. A Ucrânia é neste momento um país “partido em dois”, em estado latente de guerra com a vizinha Rússia o que tem afastado os turistas do país, forçando a descida dos preços, num país em que o nível de vida já era consideravelmentemais  baixo em comparação com Portugal antes de começar a crise na Crimeia. 

 

Praga, República Checa

Praga, República Checa

Sem estar bem servida por voos low cost baratos desde Portugal, com um custo de vida médio e preços moderados no alojamento, Praga não será a primeira escolha, mas tem lugar garantido nesta lista de destinos económicos quando se combinam os três parâmetros.

 

Moscovo, Rússia

Moscovo, Rússia

A queda do rublo faz com que Moscovo fique em segundo lugar nesta lista de destinos económicos. Um Big Mac custa 114 rublos, ou seja, 1,53 euros, cerca de metade do preço que tem em Portugal. O alojamento também tem preços aceitáveis. O mais caro será a viagem, que ronda os 280 euros, partindo de Lisboa, com escala em Munique ou Viena. 

 

Varsóvia, Polónia

Voos baratos em companhias low cost ajudam, mas sãos os hotéis mais baratos entre os 54 destinos estudados que tornam a capital da Polónia numa das eleitas. Com os preços da restauração a serem em média 25% mais baratos que em Portugal, Varsóvia é uma escolha fantástica. Se porventura resolver viajar e conhecer Cracóvia, Gdansk, Breslávia ou Poznan, então os preços ainda são mais baixos, pois quanto mais longe da capital, por norma mais baratas são as refeições e os alojamentos.

 

Bruxelas, Bélgica 

Mais barato que voar para Bruxelas, só mesmo voar para Madrid e Paris. A estadia na capital belga também é mais barata em comparação com a maioria dos destinos. Se gosta de chocolates, banda desenhada e batatas fritas com maionese, então não hesite, Bruxelas é o seu destino. Os atentados de março afastaram muitos visitantes da cidade e os preços estão a refletir a situação, a cidade tornou-se mais barata para quem a visita. Contudo, se escolher a Bélgica como destino, lembre-se que o alerta de terrorismo está no nível 3, numa escala de 0 a 4.

 

Taline, Estónia

Um pouco à imagem de Praga, Taline entra nesta lista de destinos económicos quando se combinam os três fatores analisados. 

 

Joanesburgo, África do Sul 

Por 420 euros, com escala em Luanda, consegue chegar-se a Joanesburgo onde o alojamento é barato, e as contas nos restaurantes ficam aproximadamente a 50% dos preços praticados em Lisboa.

 

Bombaim, Índia 

Se não tiver medo de enfrentar as monções e a muita chuva que normalmente cai no mesmo de Julho por toda a Índia, então Bombaim é uma boa escolha. 
A cidade que os portugueses fundaram tem preços em conta e a viagem poderá ficar por volta de 500 euros, contudo não esqueça que o custo do visa e de um eventual passaporte que precise tirar, fará a conta subir um pouco. 
Os hotéis não são tão baratos na cidade, mas se fugir para Goa ou outro destino de praia, pagará muito pouco para dormir. E para comer, conseguirá sempre almoçar ou jantar sem problemas bem por menos de 5 euros. 

 

Cairo, Egito

A capital do Egito é um verdadeiro museu ao ar livre, e é muito mais que as grandes pirâmides de Gizé, mas se até Napoleão e Alexandre o Grande não resistiram à magia, então também não pode deixar de visita-las. A viagem pode ficar em conta, já que se trata de um voo intercontinental, os preços do alojamento e da restauração refletem a crise de segurança que os atentados terroristas provocaram, o que ajudam o exótico Cairo a tornar-se num destino económico.


Veja também: