Publicidade:

9 destinos pouco conhecidos na Europa que vai querer conhecer

Fizemos um Top 9 dos destinos pouco conhecidos Na Europa. Quer deseje perder-se numa gruta ou apenas beber um bom copo de vinho, a solução está aqui.

9 destinos pouco conhecidos na Europa que vai querer conhecer
À procura de um destino pouco comum?

Quem gosta de dobrar fronteiras, já tem, certamente, muitos lugares na mira… Mas, não diz que “não” a novos lugares que nunca ouviu falar – ou que já ouviu falar, mas nunca tinha viajado no assunto. Viajar em quilómetros, no tempo, pela história e pela natureza… Ainda há tanto por explorar! Reunimos 9 destinos pouco conhecidos na Europa que valem a pena conhecer. Vamos a isso?

Top9 dos destinos pouco conhecidos na Europa: sugestões incríveis


1. San Marino

san marinoFonte: Pixabay/12019

É normal que nunca tenha ouvido falar do país mais antigo do mundo, pois é também o menos visitado. Inserido no país italiano, fica a 18 km de Rimini (Itália)  e são apenas 61 km2 e 30 000 habitantes. De paisagens dignas do imaginário monárquico, é também uma zona Tax Free e, por isso, um bom lugar para poupar uns euros.

O fazer?

Dividido em 8 pequenas cidades, San Marino é, literalmente pela sua dimensão, um dia bem passado.

Pode caminhar até à cidade mais visitada, Città di San Marino que fica no alto da montanha e depois Borgo Maggiore, de onde parte o teleférico com vistas de cortar a respiração.

Do Monte Titano, tem uma vista 360O da cidade cujas fotografias lhe vão render, garantidamente, muitos likes no Instagram. Depois, pode visitar a Basílica San Marino, a Piazza della Libertà, o castelo e as várias torres que compõe a paisagem da encosta recortada. Aproveitar a gastronomia da zona num dos três restaurantes com vista panorâmica é uma das melhores sugestões – afinal, este sítio incrível está circundado por Itália, cujas iguarias dispensam apresentações.

Pela cidade, pode encontrar o charme italiano dos pintores de rua e perder-se pelas ruas e ruelas cheias de lojas tentadoras!

2. Albânia

albaniaFonte: Pexesl/ingo

O Adriático, apesar de herdar as características tão populares do Mediterrâneo como os atrativos 25° de temperatura da água, é bastante menos explorado. A sua costa, faz inveja a qualquer Riviera Francesa com a vantagem de não se praticarem preços exorbitantes e (ainda) não ter multidões a ocupar a praia.

Águas cristalinas de temperaturas tropicais, areias de pedras clarinhas e até cavalos brancos, é tudo o que pode encontrar pelas praias albanesas. Da montanha, o caminho até à praia nem sempre é fácil, pelas estradas estreitas e inclinadas, mas o azul turquesa do mar ao fundo será mais do que uma luz ao fundo do túnel. Além disso, a vista até à praia é incrível: um contraste maravilhoso entre natureza florestal com a praia.

Porto Palermos

Aqui estão as ruinas de uma fortaleza do século XIX, cercadas por praias praticamente virgens e inexploradas, com as características que já mencionamos. Se este lugar estivesse mais para Ocidente, seriam certamente uma super atração turística!

Em Dhërmi, encontra a zona mais movimentada, com a maioria dos hóteis na encosta que liga o mar ao Centro Antigo, dentro da montanha.

Umas férias de praia num destino idílico e sem hordas de turistas é tudo o que pode encontrar pela Riviera Albanesa. Ah, e em regime bem low cost!

3. Ohrid, Macedónia

macedoniaFonte: Pixabay/DiscoveringMacedonia

Considerado Património Mundial da Unesco, o lago Ohrid na cidade com o mesmo nome é, para além de um dos destinos pouco conhecidos da Europa mais subvalorizados, a joia da coroa da Macedónia.

Ohrid é pejada de história medieval sob a forma de igrejas, antigos anfiteatros romanos, muralhas e fortalezas em perfeita simbiose com a beleza natural circundante. Um destino cheio de história e cultura, onde pode parar para respirar os ares do lago que, dito por quem já lá passou, deixam qualquer um relaxado, tranquilo e inspirado.

Por lá, também se faz papel desde a era de Gutemberg. Aliás, numa das ruas do centro histórico, pode encontrar uma das raríssimas cópias de uma prensa de Gutemberg que ainda é utilizada! Como dissemos, muita história!

4. Açores, Portugal

açoresFonte: Pixabay/charloisporto

São 9 ilhas que pintam o Atlântico de fauna e flora muito rica e ainda pouco descoberta e que fazem dos Açores, um arquipélago que vale muito a pena visitar.

Crateras e caldeiras vulcânicas, o azul das extensas sebes de hortênsias e o inesgotável verde que se avista de qualquer parte, fazem-nos respirar Natureza.

Das casas pintadas de azul e branco (Faial), a paisagens selvagens (Pico) ou ilhas onde há mais vacas do que pessoas (São Jorge), os Açores são de uma riqueza natural inesgotável.

A Caldeira Velha, em São Miguel, está situada na cratera do Vulcão do Fogo e vai transportá-lo para um paraíso exótico de águas termais em cascatas e canais com água de cor castanha pela abundante presença de ferro. Há caldeiras a ferver com água a borbulhar, fumarolas, zonas de desgaseificação e uma nascente de água termal. Um verdadeiro jacuzzi natural com águas medicinais! Se a nossa descrição não lhe despertou a curiosidade, espere só até ver imagens deste paraíso no oceano Atlântico plantado. E o melhor é que estas não fazem jus à verdadeira experiência sensorial deste arquipélago português!

5. Matera, Itália

materaFonte: Pixabay/chatst2

O nome até pode não lhe dizer muito, mas e o filme “A Paixão de Cristo”, de Mel Gibson?

Esculpida num desfiladeiro de calcário, a cidade milenar de Matera, no sul de Basilicata na Itália meridional, foi a escolhida para grande parte dos cenários do filme. O seu centro histórico, conhecido como Sassi di Matera, foi considerado Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

A sua sóbria popularidade deve-se ao facto de ter sido abandonada durante décadas e apenas recuperada nos anos 50 por hippies e artistas que se apaixonaram pela sua arquitetura medieval. Este repovoamento trouxe uma movida que muitos apelidam de bipolar pois, contrastando com as ruínas de milénios de história na parte baixa da cidade, está o lado mais jovem e irreverente na parte alta da mesma.

Este contraste faz de Matera um dos destinos pouco conhecidos da Europa e um dos tesouros italianos mais bem guardados que fez apaixonar realizadores de cinema – não só “A paixão de Cristo” foi lá rodado, mas outros 40 filmes mais. Grutas, cavernas e uma cidade construída sobre camadas de história, num encantador contraste entre o novo e o velho: perca-se nesta cidade milenar e verdadeiro cenário de filme!

6. Terschelling, Holanda

holandaFonte: Pixabay/ei6

Situada a uma distância relativamente acessível de Amesterdão, esta ilha de 88km2 é a segunda maior das Frísias Ocidentais. Parte do seu território, como os bancos de lodo e areais, estão classificados como reserva natural.

Terschelling é um paraíso muito procurado por quem deseja usufruir de extensas e tranquilas praias, mas tem também várias outras atrações: villas do séc. XIX, pitorescas casas de madeira e uma interessante vida noturna, com inúmeras galerias, restaurantes, bistros e outros espaços de entretenimento.

A nossa sugestão: é imprescindível uma visita ao Brandaris, o farol mais antigo da Holanda (data de 1594), que ilumina toda a ilha e constitui a sua maior atração turística.

7. Folégandros, Grécia

folegandrosFonte: Pixabay/buildwebguide0

A mais pequena ilha do arquipélago das Cícladas, Folégandros tem apenas 32km2 e situa-se no mar Egeu. No entanto, possui características geográficas bastante variadas, que passam por areais, penhascos e enormes cavernas.

Esta ilha é um bom escape para quem já se fartou das habituais atrações turísticas das ilhas gregas. Aqui, o que vai encontrar são ondas a bater nas pedrinhas das praias, velhos moinhos cujas velas se agitam na brisa salgada e inúmeras cabrinhas espalhadas pelos montes. De destacar é também Chora, a capital de Folégandros, construída na borda de um penhasco de 200 metros!

A nossa sugestão: para desfrutar de uma fantástica refeição caseira grega, marque lugar no “Irini’s”, uma mercearia que à noite se transforma em restaurante.

8. Ticino, Suíça

ticinoFonte: Pixabay/makalu

Ticino é o único cantão da Suiça que se situa a sul dos Alpes, sendo a sua língua oficial o italiano. Lugano é a sua maior cidade, Locarno é a mais turística e o Lago Lugano uma das suas principais atrações. Esta é uma interessante região de contrastes: sendo o lar espiritual da comunidade italiana na Suiça, exala um certo relaxamento e sedução, mas fazendo parte deste metódico país, oferece condições de qualidade absolutamente exemplar.

A beleza espantosa dos Alpes é tão intensa aqui como em qualquer outro local na Suiça, a diferença é que pode admirá-la enquanto desfruta de uma qualidade de vida reconhecidamente italiana: nas águas dos espelhados lagos de Locarno ou Lugano, enquanto prova um encorpado Merlot num cafezinho típico, durante uma refeição num rústico grotto ou enquanto se delicia com um gelato numa das muitas piazzas.

A nossa sugestão: passe uma noite na Villa Castagnola, antiga residência dos czares, situada nas margens do Lago Lugano. Ah, la dolce vita!

9. Staufen Im Breisgau, Alemanha

alemanhaFonte: Pixabay/alexanderbaetz

Pequeno enclave no sul da Alemanha, Staufen está situada entre duas áreas bem definidas: o vale do Reno, com as suas áreas de cultivo de cereais, vegetais e vinhas em socalcos, e o limite da Floresta Negra, com a sua frondosa vegetação, gado e, em tempos remotos, extração mineira. A nível turístico, este é o destino apropriado para os amantes do vinho.

Uma vez na baixa da cidade, passeie descontraidamente, usufruindo dos principais pontos turísticos. Nós destacamos a estátua de um Baco nu e gorducho e a Câmara Municipal que, localizada no centro do mercado, apresenta na fachada inscrições góticas que fazem a história recuar até ao ano de 770. Para terminar o dia, relaxe num bar de vinhos ao ar livre, experimentando alguns dos melhores néctares existentes.

A nossa sugestão: se pretende casar pela região, beba um pouco mais do que o habitual e caia numa das limpíssimas valas de irrigação de Staufen. Segundo a lenda, basta isso para que o destino entre em ação…

Convencido? Esperemos que tenha gostado das nossas sugestões de 9 destinos pouco conhecidos da Europa. Há algum que ficou ficou debaixo de olho ou despertou particular interesse? Se sim, de que está à espera? Boa viagem!

Veja também: